!!!!!

!!!!!

Noticias Do Brasil

                                 ATUALIZADO: 09/12/15                           

Rio já enfrenta ‘mercado negro’ de repelente

RIO - A falta do repelente Exposis, contra o Aedes aegypti, fez surgir um mercado negro. Em farmácias pequenas, balconistas oferecem o frasco com ágio para pagamento em dinheiro. O repelente é negociado em sites de vendas por preço três vezes mais alto do que o cobrado em lojas. Há ainda listas de espera.
O médico Luiz Eduardo Albuquerque, de 60 anos, comprou dois frascos do Exposis no “mercado negro”. Morador do Recreio dos Bandeirantes, na zona oeste do Rio, saiu em busca do repelente para o filho, de 7 anos, que é alérgico. “Quando vi na televisão que estavam indicando o repelente, imaginei que iria esgotar. Parei em 15 farmácias no caminho para o trabalho e, quando perguntava, já vinham três ou quatro pessoas atrás. Achei só no mercado negro”, afirmou.
Albuquerque ainda telefonou para outras farmácias e só ouviu negativas. “Até que um balconista disse que não tinha o produto, mas sabia onde conseguir, em dinheiro.” O médico pagou R$ 120 por dois frascos. Antes, custava R$ 42.
O Exposis também é oferecido a até R$ 179 cada frasco pela web. O Estado percorreu 14 estabelecimentos – quatro tinham listas de espera, mas os funcionários deram poucas esperanças. Em um, havia 110 inscritos.
A advogada Ludmila Lacerda, de 29 anos, grávida de 6 meses de João Pedro, contou que ela e a mãe passaram por mais de dez farmácias, sem encontrar o produto indicado pela médica. “Minha vizinha de 2 anos pegou zika. Estou preocupada porque procuro em todo lugar e não encontro”, afirmou.
O diretor-geral do laboratório Osler, Paulo Guerra, informa que aumentou em 1.100% a produção (os números absolutos são sigilosos, por causa do acordo com o fabricante francês). “Não há falta do repelente. O que houve em 12 dias, desde a confirmação pelo Ministério da Saúde de que havia ligação entre zika e microcefalia, foi uma corrida sem precedentes.”
Ele faz um apelo contra estoques e critica um site por anunciar o produto. “É inconcebível a revenda de produtos regulamentados pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).” Em nota, o Mercado Livre informou ser “uma empresa de tecnologia que oferece espaço para que vendedores e compradores se encontrem e negociem diretamente”.
Diferenças. São três as substâncias químicas aprovadas para repelentes no Brasil. O DEET, encontrado em produtos como OFF e Repelex; a icaridina, presente no Exposis; e o IR3535, da Loção Antimosquito Jonhson’s Baby – aprovada a partir dos 6 meses. “Todos são eficazes e seguros”, afirmou o infectologista José Cerbino, da Fundação Oswaldo Cruz.
“A questão é a concentração”, completou o presidente da Sociedade de Infectologia do Rio, Alberto Chebabo. O Exposis tem a icaridina concentrada a 20%, o que garante a proteção por dez horas. “Em dias muito quentes, a reaplicação deve ser entre 6 e 8 horas”, afirmou. Já o DEET é achado em concentrações entre 7% e 14% e deve ser reaplicado na pele em intervalos mais curtos. “O IR3535 tem concentração de 12% na Loção Antimosquito, o que faz com o que o produto deva ser reaplicado a cada 4 horas.”


Hóspedes negros são alvo de discriminação no AirBnB, aponta estudo de Harvard

essoas com nomes que sugerem que elas sejam negras são alvo de discriminação no site AirBnb, indica um estudo da Universidade de Harvard, nos EUA.
No AirBnb, pessoas podem alugar quartos, casas e apartamentos. O site tem mais de 2 milhões de anúncios em mais de 190 países.
Uma pesquisa com mais de 6 mil anfitriões - os donos dos anúncios - em cinco cidades americanas concluiu que nomes que soavam ser afroamericanos tinham 16% menos chances de conseguir ter um pedido de reserva aceito em comparação com nomes associados a pessoas brancas.
Em resposta, o AirBnb reconheceu que enfrenta um "grande desafio" nesta questão e pediu a colaboração de "qualquer um que possa ajudar a reduzir a discriminação" na sua comunidade.
"Estamos em contato com os autores do estudo e vamos manter um diálogo contínuo com eles", afirmou a empresa em comunicado.
Modelo
O estudo realizado por três pesquisadores da escola de negócios de Harvard destacou que o modelo usado pelo AirBnb para apresentar uma série de informações para os anfitriões e hóspedes contribui para a discriminação.
A pesquisa foi feita nas cidades de Baltimore, Dallas, Los Angeles, Saint Louis e Washington D.C.. Os cientistas criaram perfis idênticos, com exceção do nome usado.
Os anfitriões receberam, então, convites enviados por esses perfis. Quando os nomes informados soavam como sendo de pessoas brancas, como Todd ou Allison, eles receberam um retorno positivo - ou seja, conseguiram uma reserva - em 50% das vezes. Mas, para nomes afroamericanos, como Darnell ou Tamika, esta taxa foi de 42%.
Os autores explicam que a tendência é consistente com o que ocorre em outros serviços semelhantes, como sites para oferecer ou contratar tarefas, compartilhar objetos, classificados e aplicativos de táxi.
O estudo aponta que os anfitriões negros demonstraram ter a mesma probabilidade de discriminar negros do que anfitriões brancos. Não houve uma diferença significativa no comportamento de anfitriões homens e mulheres.

Pseudônimo

Os pesquisadores dizem que esta discriminação não ocorre na indústria hoteleira, já que as reservas são automáticas e sem que um funcionário saiba o nome do hóspede de antemão - solução proposta por eles para o AirBnb.
"O site poderia ocultar o nome dos hóspedes, como já faz com endereços de email e números de telefone para que os anfitriões e hóspedes encontrem formas de burlar seu serviço e as taxas cobradas por ele", dizem os autores.
Reprodução: Exemplo de mensagem enviada pelos autores da pesquisa© Copyright British Broadcasting Corporation 2015 Exemplo de mensagem enviada pelos autores da pesquisa
"A comunicação no site eBay já usa há muito tempo pseudônimos e mensagens automáticas para os primeiros contatos, então o AirBnb poderia facilmente implementar essa abordagem."
Eles também recomendam que o site incentive mais o uso da opção de "reserva automática", que permite ao hóspede reservar um quarto sem precisar da aprovação do anfitrião.
O AirBnb disse que a reserva automática tem se tornado mais popular, com um em cada cinco anfitriões usando a função hoje - em 2014, era um em cada 12.
Subconsciente
O site afirmou, no entanto, que não pretende fazer com que seus membros deixem de usar seus nomes verdadeiros para fazer reservas, já que considera importante incentivar uma relação de confiança entre os dois lados da transação.
Ben Edelman, um dos autores do estudo, disse à BBC considerar esta política excessiva. "Para que eles requerem que você revele seu nome verdadeiro? O que isso traz de bom? O AirBnb diz que isso torna as pessoas mais responsáveis, mas como faz isso?", questiona.
"É importante que o site saiba seu nome verdadeiro, mas não acreditamos que um anfitrião em potencial precise saber o nome de um hóspede em potencial."
Os cientistas concluem que, ao mesmo tempo em que a internet pode ser uma boa ferramenta para anular diferenças raciais e de classe, as discriminações do mundo real ainda existem no digital, mesmo que de forma subconsciente.
O estudo cita outras pesquisas que mostraram diferenças sutis quando o fator racial está em jogo. Uma pesquisa feita no site de classificados Craigslist apontou que compradores tinham menos chances de se interessar por um anúncio de um iPod quando a pessoa que exibia o aparelho era negra em vez de branca.
Outro trabalho que teve como base o site de namoros OkCupid mostrou que, apesar de pessoas responderem que estavam abertas a se relacionar com uma pessoa de uma raça diferente, os contatos iniciados por elas e as respostas enviadas a quem as abordava contradiziam com frequência essa afirmação.
Edelman acredita que as redes sociais estejam revertendo benefícios trazidos pela internet na redução da discriminação.
"Quando você compra algo na Amazon, você não será discriminado por sua raça, como poderia acontecer em uma loja física", afirma o cientista.
"Mas as recentes mudanças na internet, que passou a ter mais fotos e conexões sociais, estão piorando esta questão."



Governo fecha o cerco contra traições dentro do Planalto

© Fornecido por Notícias ao Minuto
O Planalto tem uma nova estratégia: não vai tolerar que aliados com cargos no governo tenham uma posição dúbia ou defendam o afastamento da presidente Dilma Rousseff. Segundo a coluna Painel, da Folha de S. Paulo, o governo não vai mais ser leniente com as traições.  
“Não tem mais brincadeira. É um absurdo que alguém com cargo no governo seja a favor do impeachment”, diz Jaques Wagner, ministro da Casa Civil.  
Agora, de acordo com a coluna, o Governo deve realizar uma análise dos cargos federais com o objetivo de identificar casos como o de Fábio Cleto, aliado de Eduardo Cunha que foi demitido esta semana da Caixa Econômica Federal.



Mulheres votam pela primeira vez na Arábia Saudita

As eleições municipais deste sábado (12) na Arábia Saudita são históricas e marcam um novo passo na lenta evolução da igualdade entre os sexos no país. Pela primeira vez, as mulheres foram autorizadas a votar e mais de 900 delas também concorrem a cargos de conselheiras municipais, algo inédito.
"Há 10 anos, desde que os homens votaram pela primeira vez, nós esperamos essa oportunidade", disse Fawzia al-Harbi, candidata na eleição. Ela fez campanha acompanhada de vários homens e vestida com a tradicional vestimenta preta que cobre todo o corpo, só deixando os olhos à mostra.© Fournis par RFI
País conhecido por aplicar de maneira rigorosa as leis islâmicas, a Arábia Saudita é o único país do mundo a proibir as mulheres de dirigir. Elas também são obrigadas a ter um "tutor masculino", seja o marido, pai ou irmão, que deve autorizá-las a viajar, trabalhar ou realizar determinadas consultas médicas.
Ainda sob o regime do Rei Abdallah, sucedido pelo rei Salman, a monarquia saudita deu início a uma série de reformas para promover uma evolução dos direitos das mulheres. No entanto, as regras continuam limitadas e monitoradas pelos religiosos conservadores e submetidas ao ultraconservadorismo da sociedade saudita.
Em 2011, após o anúncio do rei Abdallah de que as mulheres seriam autorizadas a votar e se candidatar nas eleições deste ano, o grande mufti, maior autoridade religiosa do país, afirmou que a decisão de permitir às mulheres participar da vida política seria como "abrir as portas ao diabo".
Pouco menos de mil candidatas
Na votação deste sábado, os sauditas poderão eleger dois terços dos membros dos conselhos municipais. Nas eleições anteriores, em 2005 e 2011, as mulheres foram excluídas e os eleitores definiram apenas a metade dos conselheiros. No entanto, os partidos políticos continuam proibidos e muitas candidaturas foram rejeitadas.
De um total de 20 milhões de habitantes, apenas 1,74 milhão de homens e 130 mil mulheres se inscreveram nas listas eleitorais para votar. Do total de 7 mil candidatos, apenas 978 são mulheres.

Dilma, Renan e Janot contestam rito do processo de impeachment de Cunha

BRASÍLIA — A presidente Dilma Rousseff, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, e o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), apresentaram na sexta-feira ao Supremo Tribunal Federal pareceres que contestam o rito do processo de impeachment defendido pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Para eles, caberá ao Senado dar a palavra final se o plenário da Câmara for favorável à abertura do processo de impeachment da presidente Dilma. Neste caso, os senadores terão de decidir se Dilma será mesmo afastada do cargo e se o processo de impeachment deverá ser instaurado.
Cunha diz que, aprovado em votação na Câmara, o impeachment deve ser automaticamente aberto no Senado. A definição sobre como se dá a instauração do processo é importante porque, no momento em que isso ocorrer, Dilma terá que deixar a Presidência da República. Os três pareceres serão analisados pelo Supremo Tribunal Federal (STF) na próxima semana, em ação apresentada pelo PCdoB.
Além de defender a prerrogativa do Senado, o parecer do governo, assinado pelo advogado-geral da União, Luís Inácio Adams, também pede a anulação do despacho inicial de Cunha que deu início ao processo de impeachment, sob alegação de que Dilma não pôde apresentar defesa prévia.
CONTRA A VOTAÇÃO SECRETA
Além de sustentar que cabe ao Senado a decisão sobre o afastamento da presidente, o procurador-geral, Rodrigo Janot, defendeu a anulação da votação secreta ocorrida na última terça-feira, em que a Câmara elegeu, em votação secreta, uma maioria oposicionista para compor a comissão que vai analisar o processo de impeachment. A anulação também foi defendida no parecer de Adams. Eles argumentam que a Constituição não permite o sigilo na votação. A esperança do governo é que, numa votação aberta, ao expor os deputados, ocorram menos traições.
“Os membros do Congresso Nacional não têm o direito de decidir por votação secreta quando a lei fundamental do país (Constituição) a tanto não os autorizou”, disse Janot no documento, concluindo: “Por esses motivos, caso decida o Supremo Tribunal Federal conhecer o pedido, nesse ponto, deve deferi-lo, para invalidar a votação havida no processo de impedimento em curso no Congresso Nacional”.
Na quarta-feira, se o Supremo definir que a votação deveria ter sido aberta, vai se deparar com outra controvérsia: manter ou não os efeitos da decisão da Câmara. O relator do caso, ministro Edson Fachin, é favorável à manutenção de todos os atos já realizados pela Câmara até agora, conforme manifestou na liminar e reforçou em declarações dadas à imprensa ao longo da semana.
Na sessão, o STF também vai decidir se estabelece ou não um rito para o processo de impeachment. O processo começa na Câmara, onde são necessários pelo menos dois terços dos votos dos deputados para autorizar a instauração do processo pelo Senado. Cabe ao Senado julgar o presidente e dar decisão final sobre o impeachment. Está em discussão, porém, se o Senado pode barrar previamente o processo vindo da Câmara, sequer iniciando julgamento, ou se deve apenas formalizar a decisão da Câmara.
Documentos oficiais de 1992, época do impeachment do presidente Fernando Collor, mostram que a decisão da Câmara passou por uma votação prévia no plenário do Senado. Naquele ano, o Senado recebeu a denúncia no dia 30 e instalou uma comissão especial no mesmo dia; no dia 1º, aprovou numa votação rápida em plenário parecer pelo acatamento do processo e pelo afastamento de Collor. No dia 2 de outubro, Collor foi afastado do cargo.
“A decisão de instauração do processo de impedimento do chefe do Executivo deve ser aprovada por maioria simples dos membros do Senado, consoante roteiro adotado no processo que levou à renúncia e veio a condenar por crime de responsabilidade o ex-presidente da República Fernando Collor. A partir da instauração do processo no Senado, o presidente da República tem suas funções suspensas”, escreveu Janot, no parecer enviado ao STF.
“O STF já reconheceu que a Constituição de 1988 modificou as atribuições até então distribuídas entre as Casas Legislativas no procedimento de impeachment, transferindo a atribuição de processar para o Senado Federal e incluindo nesta competência até mesmo o recebimento (ou não) da denúncia popular”, argumentou Renan ao STF.
— Você não pode dar uma consequência gravíssima, que é o afastamento, com a mera decisão da Câmara. Se, para algo bem menor, que é (a derrubada ou manutenção de) veto, exige-se a concordância das duas Casas, não se pode achar que a mera decisão da Câmara já repercuta no mandato presidencial. É necessário que as duas Casas concordem, e isso se dá, evidentemente, com a decisão de instauração ou não — disse Adams.
OPOSIÇÃO REAGIU
Janot, porém, entende que o Senado pode autorizar o processo por maioria simples. O governo acha que seriam necessários dois terços dos senadores.
Líderes da oposição reagiram à tese de que o Senado pode barrar a abertura de processo aprovado na Câmara. O senador Ronaldo Caiado (DEM-GO) disse que o afastamento é uma precaução para que o presidente não use o cargo para atrapalhar e interferir no julgamento do Senado. Ele diz acreditar que o Supremo irá rejeitar essa tese “esdrúxula”.
(Colaborou Maria Lima)



Clima: Acordo prevê limitar aquecimento global a 1,5 graus celsius

© EPA / JOSE RODRIGUEZ JOSE RODRIGUEZ/EPAA presidência francesa da Conferência de Paris apresentou hoje aos representantes de 195 países presentes o projeto de acordo final sobre mudanças climáticas, que visa conter o aquecimento global abaixo dos 2 graus Celsius e limitá-lo aos 1,5.
O ministro dos Negócios Estrangeiros francês, Laurent Fabius, anfitrião da conferência, propôs um acordo climático que prevê uma verba de 100 bilhões de dólares para os países em desenvolvimento a partir de 2020.
"Estamos quase no final do caminho e, provavelmente, no início de um outro", disse o ministro francês dos Negócios Estrangeiros, na sessão plenária, com a voz embargada e quase em lágrimas, depois de ter agradecido ao seu antecessor Manuel Pulgar-Vidal e ter por isso recebido uma salva de palmas.
Laurent Fabius presidiu cerca de uma quinzena de conversações em Paris que terminaram hoje com negociações durante toda a noite e conseguiu entregar o acordo aos ministros, que agora decidirão se o aprovam ou não.




ATUALIZADO 30/10/15

Em discurso lido por ministra, Dilma diz que governo não é prisioneiro do ajuste


© Fornecido por Estadão A ministra da Agricultura Káta Abreu
TRÊS LAGOAS - Em discurso lido pela ministra da Agricultura, Kátia Abreu, no lançamento de um projeto para dobrar a capacidade de celulose da empresa Fibria em Três Lagoas (MS), nesta sexta-feira, 30, a presidente Dilma Rousseff afirmou que o Brasil não está parado, nem é prisioneiro da agenda de ajustes da economia. "Não estamos prisioneiros da agenda de ajustes. Temos uma agenda consistente de estímulo ao desenvolvimento", afirmou.
O recado foi dado um dia depois que o PMDB divulgou documento apontando o "desequilíbrio fiscal" e de o vice-presidente Michel Temer ter afirmado que o governo se equivocou na política econômica. Segundo o discurso da presidente, um investimento como o da Fibria, de R$ 7,7 bilhões, não ocorre num país em que está sem perspectivas e no qual o empresariado não confia. "Nenhum empresário investe se não tiver confiança no retorno dos recursos aplicados. (O investimento) é expressão da confiança da Fibria no desenvolvimento sustentável do Brasil.
"Dilma cancelou sua ida à cerimônia de última hora, após sua mãe, dona Dilma Jane, de 92 anos, ter passado mal durante a noite. No discurso que leria no evento, ela defendeu o ajuste fiscal, mas disse que as medidas não travam o desenvolvimento do país. "Em momento de ajuste e de transição, a expansão da fábrica mostra que os empresários não se deixam levar pelas análises conjunturais pessimistas e não paralisam suas obras, confiando que o Brasil retomará os investimentos e que vale a pena investir nele." Defendeu ainda o Banco de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), que participou do investimento da Fibria.
Em entrevista, Katia Abreu, que é do PMDB, negou-se a responder a perguntas sobre o documento divulgado pelo partido. "Vim aqui para falar da Fibria e do Brasil." Segundo ela, os investimentos do governo em infraestrutura não estão sendo mostrados pela imprensa que, segundo ela, prefere mostrar as ações da Justiça. "O que precisamos divulgar para o Brasil, e isso é da maior importância, acho que a Justiça está cumprindo bem o seu papel, mas precisamos fazer o Brasil crescer. E isso quem faz não é o governo, é a iniciativa privada e os trabalhadores que precisam de emprego. E isso não se faz com pessimismo."
Segundo ela, apesar das críticas dos pessimistas, o Plano de Investimentos em Logística (PIL) está caminhando e uma das obras, a duplicação da BR-262, em Mato Grosso do Sul, recebeu 29 manifestações de interesse, o que mostraria que a iniciativa privada quer investir no país. "Sei que é difícil ficar sabendo pelo noticiário, mas o Brasil real está acontecendo." Ela defendeu o ajuste fiscal. "Ou votamos as medidas que estão sendo propostas pela Fazenda, ou vamos estar optando pelo pior imposto que existe, que é o imposto inflacionário."


Marido comemora gravidez criando arte na barriga da esposa


Simon Schaffrath e sua esposa estão esperando seu primeiro filho para o mês de novembro. Para comemorar a ocasião especial, o casal fez uma série de fotografias digamos, curiosas, sobre a chegada do bebê.
A forma curvilínea ajudou a imitar uma variedade de paisagens, e seu estômago estava coberto de materiais não tóxicos e de pele tolerante, que o transformou em colinas e dunas de areia. Árvores em miniatura, rochas e um pequeno boneco de neve promoveu a ilusão. Depois de configurar as cenas, Schaffrath os fotografou e retocou as imagens no Photoshop.
Confira as imagens abaixo:

Veja mais em Marte é para os Fracos.



Dados da Nasa mostram que seca no Brasil é pior do que se pensava







TORONTO, Canadá (Thomson Reuters Foundation) - Novos dados de satélite mostram que a seca no Brasil é pior do que se pensava, com o Sudeste perdendo 56 trilhões de litros de água em cada um dos últimos três anos, disse um cientista da agência espacial dos Estados Unidos (Nasa) nesta sexta-feira.
A pior seca do país nos últimos 35 anos também tem levado o Nordeste brasileiro, região maior, mas menos povoada, a perder 49 trilhões de litros de água a cada ano nos últimos três anos, comparando com os níveis normais, afirmou o hidrólogo da Nasa, Augusto Getirana.
Os brasileiros estão bastante conscientes da seca, dado o racionamento de água, blecautes e reservatórios vazios em partes do país, mas esse é o primeiro estudo que documenta exatamente a quantidade de água que tem desaparecido dos lençóis de água e reservatórios, disse Getirana.
"É muito maior do que eu imaginava", disse Getirana à Thomson Reuters Foundation. "Com as mudanças climáticas, isso vai acontecer com mais e mais frequência."
O sistema da Cantareira, que fornece água para 8,8 milhões de moradores de São Paulo, tinha, por exemplo, menos de 11 por cento da sua capacidade no ano passado, segundo autoridades locais.© REUTERS/Roosevelt Cassio Vista parcial do sistema Cantareira em Nazaré Paulista, no interior de São Paulo, em janeiro
A pesquisa de Getirana, publicada nesta semana no Journal of Hydrometeorology, tem como base 13 anos de informações dos satélites Recuperação da Gravidade e Experimento Climático (Grace, na sigla em inglês) da Nasa, que circulam a Terra detectando mudanças no campo de gravidade causadas pelos movimentos da água no planeta.
O país não tem uma falta de água absoluta, afirmou o pesquisador. O problema é que as regiões muito povoadas, particularmente o Sudeste, dependem de aquíferos e reservatórios locais, que não estão sendo reabastecidos devido à seca.
Teoricamente, a água pode ser transportada de outras partes do país para cidades afetadas, disse ele, mas os custos financeiros e logísticos seriam enormes.
As novas informações de satélite devem representar um chamado de alerta para os políticos gerenciarem melhor a água e atuarem em relação às mudanças climáticas para lidar com a crise, declarou Getirana.
Os dados não permitem que os pesquisadores façam previsões de quanto tempo a seca vai durar, disse ele, acrescentando que os níveis de água continuaram a cair nos últimos meses.
(Reportagem de Chris Arsenault)


Atualizado 09/10/15
Aidar nega que divisão de R$ 1 milhão por comissão de zagueiro tenha sido estopim de briga
© Gazeta Press São Paulo: presidente Carlos Miguel Aidar e o vice de futebol Ataíde Gil Guerreiro
O murro que Ataíde Gil Guerreiro teria desferido contra Carlos Miguel Aidar ainda segue dando o que falar no São Paulo. O presidente nega a agressão e também nega aquele que é apontado por importantes conselheiros como o motivo da briga: uma suposta divisão de dinheiro que deixou o agora ex-vice ofendido.
Segundo relatos de pessoas influentes nos bastidores do time tricolor, Ataíde teria dito que Aidar lhe ofereceu repartir R$ 1 milhão entre eles pela comissão da vinda de um jogador ao time tricolor. Esse atleta seria Gustavo, da Portuguesa, cujo nome aparece em e-mail enviado por Ataíde ao presidente.
ESPN procurou o presidente do São Paulo para ouvir sua posição sobre o assunto. Ao perguntar se era verdadeira a informação de que ofereceu para Ataíde a divisão de R$ 1 milhão em comissão na vinda de um atleta, o mandatário respondeu: "Desconheço", negando tudo.
A suposta proposta teria sido apenas a gota d'água para o ex-vice de futebol tricolor, que já vinha demonstrando irritação com o presidente há algum tempo. O caso Iago Maidana, por exemplo, é um fator recente que irritou Ataíde, já que na sua visão Aidar tentou jogar a culpa nele, apesar de ter sido o mandatário o principal responsável pela operação.

Blog revela e-mail na íntegra de ameaça de ex-vice são paulino a Aidar; veja
© DJALMA VASSÃO/Gazeta Press Ataíde Gil e Carlos Miguel Aidar se desentenderam nesta segunda-feira
Veio à tona o e-mail que Ataíde Gil Guerreiro, agora ex-vice de futebol do São Paulo, teria mandado a Carlos Miguel Aidar, exigindo a renúncia do atual mandatário tricolor. Um dia depois de o portal UOL divulgar a existência da correspondência eletrônica, o blog de Cosme Rímoli, no portal R7, divulgou a mensagem na íntegra.
No e-mail, Ataíde diz se incomodou quando Aidar ofereceu repartir a comissão da contratação de Gustavo, da Portuguesa. A partir daí, resolveu gravar uma conversa em que forçou o presidente tricolor a repetir a oferta.
O ex-vice de futebol diz não querer causar mais escândalos e pede a renúncia de Aidar para que não tenha que divulgar a gravação para a CPI do Futebol.
Veja, na íntegra, o e-mail de Atáide para Aidar:
Carlos Miguel:
A sua conduta na Presidência do SPFC não tem a postura que eu esperava de um líder. Todas as vezes que você assumiu a responsabilidade pela negociação de atleta, isolando a área de futebol, ficava uma suspeita de algo errado, foi assim no Douglas, Wesley, Denilson, acreditando em você não investiguei a fundo. Agora porém você exagerou na contratação do Yago, não tem como justificar, os fatos foram grosseiros, prova do sentido de impunidade.
Tudo isto ficaria sem comprovação, mas quando você me ofereceu repartir a comissão na contratação do Gustavo da Portuguesa, primeiro a sós e depois na frente da Cinira, vi que vocês dois estavam realmente lesando os interesses do clube. Para tratar com desleais só mesmo usando das mesmas armas.
Fui sábado com um gravador e consegui que você me dissesse em sequência, tudo limpamente gravado:
1- Descrevesse como você receberia o dinheiro da comissão na contratação do atleta e você ainda destaca que me entregaria em dinheiro circulante e nenhum de nos correria qualquer risco.
2- Mais grave ainda, quando lhe mostrei os dados sobre um possível contrato entre a TML e a Under Armour, você com a maior "cara de pau" diz que de fato tentou a comissão indevida mas que o contrato não foi assinado, logo você confessa corrupção que apenas não se consumou contra sua vontade.
3- Quando abordei a Far East, você negou que participa mas denunciou como cabeça de uma operação fraudulenta o Douglas.
4- Você menciona em detalhes que o Douglas perdeu a noção do perigo e pede comissão em todas as operações.
Carlos Miguel, não quero ver o SPFC envolvido em mais escândalos, mas não pode continuar sendo presidido por você com todas os problemas que você confessa na gravação com a maior simplicidade, como se seus atos fossem lícitos e normais. O Antônio Cláudio me aconselhou a não entregar as provas para a CPI do Futebol, mas que as libere ao presidente do Conselho Deliberativo. O escândalo será iminente e prejudicará o SPFC, a sua imagem pessoal e será devastador também ao seu escritório de advocacia.
Não esqueça que a CPI Futebol tem poderes para confirmar se a Under Armour Brasil pagou a TML e como a sede da empresa mãe fica nos Estados Unidos, poderá implicar em problemas graves para a multinacional. Me parece quem em face dos fatos só resta a você renunciar.
Só quero que o SPFC seja decente, imagem que você maculou e se continuar a frente do clube a cada dia será pior, o que você fala do Douglas na gravação vale para você : "perdeu o temor da impunidade". O Antônio Cláudio está copiado, por ser nosso amigo comum, sério e interessado no saneamento da administração do SPFC.

Apreensão de adolescentes sobe mais de 5 vezes desde 1996
O número de adolescentes que cumprem medidas socioeducativas no Brasil cresceu mais de cinco vezes desde 1996. Dados do 9.º Anuário Brasileiro de Segurança Pública mostram que, em 2013, havia 23.066 jovens em conflito com a lei, ante 4.245 naquele ano, um aumento de 543,2%.
O Estado com o maior número de internos proporcional àpopulação é o Acre, com 396,9 adolescentes nesta situação para cada 100 mil habitantes, seguido pelo Distrito Federal (294,5/100 mil) e Roraima (264,1/100 mil). Em números absolutos, São Paulo concentra quase metade dessa população, com 9.264 jovens, seguido por Minas Gerais (1.562) e Rio de Janeiro (1.212).
© Fornecido por Estadão São Paulo tem 9.264 jovens cumprindo medidas socioeducativas
A menor taxa de adolescentes em conflito com a lei a cada 100 mil habitantes está no Maranhão (14,9) e, em números absolutos, no Rio Grande do Norte (71). Desde o início da série histórica, o número sempre se manteve em alta. Entre 1996 e 1998, a taxa de apreensões já havia dobrado para 8.579 e, 10 anos depois, em 2008, voltou a dobrar, para 16.868. 
O salto no encarceramento dos jovens acontece em meio a uma discussão no Congresso sobre a redução da maioridade penal. Em agosto, foi aprovada na Câmara dos Deputados uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) para diminuir de 18 para 16 anos a idade para punir os adolescentes em casos de crimes hediondos (como latrocínio e estupro), de homicídio doloso (com intenção de matar) e de lesão corporal seguida de morte. A PEC seguiu para tramitação no Senado, ainda sem data para ser submetida à votação, onde precisará de dois terços de apoio dos parlamentares da Casa.
Atos infracionais
O relatório apontou que o ato infracional mais recorrente entre os jovens é o roubo, representando 42% dos 23.913 atos cometidos pelos adolescentes. Na lista dos casos mais comuns também estão tráfico de drogas (24,8%), homicídio (9,2%) furto (3,6%) e tentativa de homicídio (3,1%). Estupro e latrocínio somam 3,8% dos casos.
Para a diretora executiva do Fórum Nacional de Segurança Pública, Samira Bueno, o aumento expressivo é resultado de maior vigilância policial. “Há um crescimento populacional no período. Mesmo com essa ponderação, observa-se um crescimento expressivo no número de adolescentes internados. Isso evidencia maior vigilância e atuação policial em relação a eles. Temos de pensar que toda a discussão sobre a redução da maioridade penal tem a ver com este crescimento.”
Integrante da ONG Conectas, Rafael Custódio acredita que o aumento de apreensões está ligado à crença de que mais prisões reduzem a criminalidade. “O aumento está inserido em um quadro maior, que é o recrudescimento da política criminal. O que acontece nas apreensões aos adolescentes é um reflexo do sistema adulto. Hoje, o Brasil tem a quarta maior população carcerária do mundo e, mesmo assim, o crime só aumenta no País”, afirmou ele.
Homicídios
O estudo também mostrou que adolescentes foram responsáveis por 10,7% dos 17.854 homicídios esclarecidos ou com inquéritos relatados no País em 2014, ou seja, que foram investigados e concluídos, com ou sem a identificação do autor. No mesmo ano, aconteceram 52.305 homicídios. Doze Estados e o Distrito Federal não divulgaram dados.

Filho de ex-dono da Vasp é preso pela PF em Brasília

© Fornecido por Notícias ao Minuto
O empresário Wagner Canhedo Filho foi preso no início da manhã de hoje (9), pela Polícia Federal, em Brasília, investigado pelos crimes de fraude à execução, falsidade ideológica, lavagem de dinheiro e associação criminosa. A prisão foi determinada pela Justiça, depois de pedido do Ministério Público Federal (MPF).
Em maio, Canhedo Filho, principal gestor do grupo Canhedo, que atua nos setores de hotelaria e de transportes em Brasília, foi preso em flagrante por porte ilegal de armas, na Operação Patriota, deflagrada PF e pela Procuradoria da Fazenda Nacional. A operação desarticulou um esquema de fraude fiscal superior a R$ 875 milhões. O Núcleo Criminal do MPF investiga o caso desde o ano passado. Na ocasião, Canhedo Filho pagou fiança e foi liberado no mesmo dia.
Em nota, o MPF informou que, com a prisão do empresário, os investigadores pretendem garantir “o fim de práticas adotadas com o propósito de impedir a execução de dívidas tributárias” por parte dos gestores do Grupo Canhedo. Na década de 1990 a família Canhedo comprou a Viação Aérea São Paulo (Vasp), que decretou falência em 2008, com dívidas superiores a R$ 1,5 bilhão.
Na Operação Patriota, a Polícia Federal, o Ministério Público Federal e a Procuradoria da Fazenda Nacional identificaram que empresas de fachada eram usadas pelos gestores do Grupo Canhedo para ocultar o faturamento das empresas em débito com a Receita Federal.
Naquele momento, a suspeita era a de que Canhedo Filho usava empresas fantasmas, abertas em nomes de laranjas, para movimentar o dinheiro arrecadado pelo complexo empresarial, impedindo, dessa forma, o cumprimento de execuções fiscais. A apuração já identificou pelo menos seis empresas que teriam sido usadas na prática.
Em agosto, os investigadores reuniram novas informações que revelaram que o empresário mantém a prática criminosa. “Canhedo Filho migrou seu esquema para a utilização de outras empresas, até então não conhecidas e também não atingidas pelos bloqueios judiciais, no âmbito da Execução Fiscal, dentre as quais seguramente a Cooperativa de Transportes Alternativos e Autônomos do DF”, afirmou o MPF no pedido de prisão enviado à Justiça.
De acordo o com MPF, no dia 28 de agosto, o empresário sacou mais de R$ 1,2 milhão de uma conta bancária em nome da Cooperativa que, anteriormente, havia recebido depósitos vultosos da principal empresa do grupo. Em depoimento à polícia, o responsável pela cooperativa Coota-DF, Gilbson Luna Gadelha, confirmou as suspeitas de que Canhedo Filha usa a entidade para movimentar o esquema fraudulento.
Além da prisão, também foi solicitado que o empresário seja proibido de deixar o país. Os investigadores justificam que diante do “robusto” poder econômico, o risco de fuga é “inafastável”, o que poderia colocar em risco a aplicação da lei penal. Com informações da Agência Brasil.



ATUALIZADO-30/09/15

PMs envolvidos na morte de jovem serão indiciados

© Foto: Domingos Peixoto/Agência O Globo Policiais são acusados de alterar local do crime após homicídio.
Os cinco policias militares envolvidos na morte do jovem Eduardo Felipe Santos Victor, de 17 anos, serão indiciados por fraude processual qualificada, após serem flagrados alterando o local do crime. Inicialmente, apenas dois deles seriam indiciados pelo delito, e os outros três responderiam como testemunhas. A decisão foi tomada pelo delegado André Leiras, da Divisão de Homicídios da capital (DH):
— Analisando o vídeo melhor, eu percebi que os cinco policiais estavam inseridos no mesmo contexto material, temporal e espacial, o que me deu elementos para subsidiar a prisão em flagrante por fraude processual. — concluiu o delegado, que abriu um segundo inquérito para aprofundar as investigações no caso de homicídio. — As condutas serão individualizadas, a participação de cada um deles será esclarecida.
Os militares, identificados como Riquelmo de Paula Geraldo, Paulo Roberto da Silva, Pedro Victor da Silva Pena, Éder Ricardo de Siqueira e Gabriel Julião Florido, prestaram depoimentos na DH durante a madrugada.
— As declarações estão uníssonas, mas não apresentam uma razão, obviamente. As imagens são muito claras. Os depoimentos contradizem o que vemos no vídeo. — disse o delegado.
As armas dos PMs — dois fuzis e três pistolas — foram apreendidas. Após os depoimentos, os militares foram encaminhados ao Batalhão Especial Prisional (BEP), em Benfica, onde ficarão à disposição da Justiça.
O crime ocorreu na manhã de terça-feira, no Morro da Providência, no Centro. Toda a ação dos militares, lotados na UPP, foi filmada por dois moradores da comunidade. As imagens expuseram uma polícia violenta e corrupta, que ainda resiste ao programa de pacificação.

'FT': Impeachment traria risco a reputação do Brasil de erguer instituições fortes

© Foto: Ueslei Marcelino/Reuters Para jornal britânico, outra questão seria se eventual substituto teria legitimidade para impor 'remédio forte' necessário para botar economia nos trilhos.
Um eventual impeachment da presidente Dilma Rousseff "poderia pôr em risco a reputação do Brasil de construir instituições firmes", diz o jornal britânico Financial Times, principal diário de finanças do país, nesta quarta-feira.
Em reportagem de página inteira intitulada "Na linha de fogo", o jornal financeiro cita a crise econômica e política do país e diz que os pedidos de impeachment da presidente são um "teste crítico" para uma "das maiores e também mais jovens democracias do mundo".
"A grande questão para os políticos brasileiros é se seria prejudicial remover um presidente eleito apenas por ser impopular, ou mesmo incompetente, sem ter comprovadamente cometido um crime", diz o texto.
"O que era antes uma economia vibrante está em recessão, a elite política está atolada em um grande escândalo (da Petrobras) e, agora, oponentes querem o impeachment da presidente Dilma Rousseff em uma ação que ameaça levar o país a uma paralisia", diz o texto.
"Com grande parte do Congresso envolvido no escândalo da Petrobras há também a questão se qualquer substituto teria a legitimidade de dar o remédio forte - como aumento de impostos para balancear o Orçamento - que a economia em dificuldade precisa", diz a reportagem.
Para retirar Dilma, oponentes teriam de provar que a presidente é culpada por maquiar as finanças públicas, em medidas conhecidas como "pedaladas fiscais", ou que ela esteve diretamente envolvida em corrupção. A presidente nega as acusações.
O jornal expõe a situação complicada da economia do país - enfrentando uma recessão que deverá se prolongar por 2016 e a forte queda do real ante o dólar - e as dificuldades do governo em aprovar medidas no Congresso para balancear as finanças públicas.
Diz que a política econômica de Dilma é "inconsistente", que poderia levar à saída do ministro da Fazenda, Joaquim Levy.
AFP: Inconsistência de Dilma na política econômica poderia ver a saída de Levy, disse o FT© Copyright British Broadcasting Corporation 2015 Inconsistência de Dilma na política econômica poderia ver a saída de Levy, disse o FT
FT diz que "no lado positivo", Dilma poderá ser obrigada a abraçar "reformas mais agressivas para melhorar as finanças do país e, assim, aliviar um pouco a pressão do mercado por sua saída".
No início deste mês, o jornal disse em editorial que o sistema político "podre" do Brasil "não funciona" e que o governo não conseguia responder à crise econômica. Citou "bagunça" na economia e finanças públicas em "desordem" para dizer que a situação no país era "cada vez mais instável".
Em editorial publicado em julho, o Financial Times comparou a situação do Brasil a um "filme de terror sem fim". E, no mês passado, reportagem disse que o país passou de "um dos motores da economia global" para o "homem doente" dos mercados emergentes.

Avaliação negativa do governo Dilma vai a 69% em setembro, mostra CNI/IBOPE

© REUTERS/Carlo Allegri Presidente Dilma Rousseff na Assembleia-Geral da ONU, em Nova York
A rejeição à presidente Dilma Rousseff oscilou para cima no fim de setembro num quadro de recessão econômica e crise política, com a pesquisa CNI/Ibope mostrando nesta quarta-feira que a avaliação ruim/péssima do governo foi a 69%, ante 68% no fim de junho.
A pesquisa, contratada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), apontou ainda que 10% avaliam o governo como ótimo ou bom, ante 9% três meses antes.
A desaprovação da maneira de governar da presidente oscilou para baixo, passando a 82%, ante 83%.
O levantamento foi realizado entre 18 e 21 de setembro, com 2.002 pessoas em 140 municípios.
A margem de erro da pesquisa é de 2 pontos percentuais.
(Reportagem de Leonardo Goy)




ATUALIZADO: 17/9/15

Em pé de guerra contra Trump, latinos dizem: "Não temos medo"

© Fornecido por AFP O pré-candidato republicano Donald Trump, em San Pedro, Califórnia, no dia 15 de setembro de 2015
"As coisas que esse senhor diz não representam os latinos. Que construa os muros que quiser, não temos medo", diz, enérgico, Roberto Centeno sobre a controversa iniciativa do pré-candidato republicano Donald Trump para frear a imigração ilegal nos Estados Unidos.
"Quando chegar a hora da verdade, lhe fecharão as portas da Casa Branca. Este país é mais sensato do que ele", declara à AFP este jovem mexicano que trabalha como técnico de informática no centro de Los Angeles (oeste).
Centeno não perderá por nada a participação de Trump durante o segundo debate pelas primárias republicanas, que começará nesta quarta-feira às 17H00 locais (21H00 de Brasília) na Biblioteca e Museu Presidencial Ronald Reagan, situada na cidade californiana de Simi Valley.
O magnata e homem de negócios ofendeu a comunidade hispânica ao anunciar que expulsará todas as pessoas sem documentos e ao classificar os mexicanos que chegam os Estados Unidos de forma ilegal de narcotraficantes, criminosos e estupradores.
Além disso, quer construir um muro ao longo da fronteira com o México que blinde os americanos de sua chegada.
Apesar das críticas recebidas, suas ideias o empurraram a liderar as pesquisas republicanas, à frente de candidatos como Jeb Bush, Marco Rubio e Ted Cruz.
"Trump se esquece de nosso poder. Aqui na Califórnia somos maioria. Ninguém pode nos ignorar", declara Alfredo Rincón, técnico de informática mexicano.
Os últimos dados do censo de junho confirmaram que esta região do oeste do país se tornou o primeiro estado de maioria hispânica, com 14,99 milhões de latinos frente a 14,92 milhões de brancos.
Calcula-se que um terço não tem documentos legais e que 2,2 milhões são residentes permanentes que podem solicitar a cidadania americana.
Os hispânicos também são a primeira minoria em todo o país com 55 milhões de pessoas e cruciais para impulsionar a economia, ainda que por enquanto apenas 11 milhões possam votar.
A solução está nas urnas
O mal-estar dos latinos com Trump tem sido sentido principalmente nos meios de comunicação em espanhol, como as redes de televisão Univisión e Telemundo, e as organizações humanitárias.
Artistas como os cantores Ricky Martin, Shakira e Marc Anthony também levantaram sua voz para dizer "basta" aos discursos anti-mexicano e anti-imigrante do empresário.
Na opinião de Enrique Cisneros, pedreiro guatemalteco de 57 anos, pouco podem fazer os cidadãos agora para frear a popularidade do magnata.
"Este senhor sai na televisão e diz qualquer coisa. Mas nosso momento chegará na hora de votar", assegura, enquanto toca suas castigadas mãos de tanto misturar cimento. Seus "ataques" se neutralizam elegendo "um presidente que pense na comunidade", afirmou.
Sua esposa, Guadalupe, que trabalha como camareira em um hotel, afirma contudo que o presidente Barack Obama tem parte de culpa porque não cumpriu sua promessa de aprovar uma nova reforma migratória.
"Demos a ele oito anos para que o fizesse", referindo-se aos dois mandatos de quatro anos para os quais foi eleito. "Irá embora e nada terá mudado", lamenta.
Obama aprovou em novembro passado várias medidas por decreto diante da falta de ação do Congresso, mas um juiz do Texas (sul) as congelou ao colocar em dúvida sua constitucionalidade.
O pré-candidato republicano Donald Trump, em San Pedro, Califórnia, no dia 15 de setembro de 2015© Fornecido por AFP O pré-candidato republicano Donald Trump, em San Pedro, Califórnia, no dia 15 de setembro de 2015
Enquanto se aproxima o momento de ir às urnas, em novembro de 2016, as organizações a favor dos direitos dos latinos prometeram se tornar o pior pesadelo de Trump ao longo da campanha presidencial.
Várias associações mobilizaram nesta quarta-feira cerca de 400 pessoas para protestar frente à Biblioteca Ronald Reagan antes do início do debate.
O que Trump quer "é retroceder, a um país que tolerava o racismo e a discriminação", manifestou em uma coletiva de imprensa antes de partir para Simi Valley a presidente da Coalizão pelos Direitos Humanos dos Imigrantes de Los Angeles (CHIRLA), na sigla em inglês, Angélica Salas.
A diretora do grupo United Here, Maria Elena Durazo, foi mais longe: "Agora não me preocupo em ter um presidente com o qual eu não esteja de acordo, me preocupa ter um presidente que me odeia".

Defesa Civil de São Paulo recebe chamadas com queixas de tremores

© Fornecido por Notícias ao Minuto
A Defesa Civil de São Paulo informou hoje (16) à noite que recebeu chamadas de moradores das regiões da Avenida Paulista, da zona Norte e da zona Leste da capital com queixas de tremores de baixa intensidade. A unidade da niversidade Anhembi Morumbi, localizada na Paulista, dispensou os alunos por volta das 20h15.
O Corpo de Bombeiros recebeu mais de 50 ligações, principalmente dos bairros Tatuapé e Vila Mariana, na zona sul, e também das cidades vizinhas de Guarulhos e Osasco. Não há registro de feridos.
Um terremoto de magnitude 7,9 na escala Richter atingiu hoje (15) o Chile. O tremor ocorreu no mar, a 11quilômetros de profundidade, às 19h54 (hora local). O país também recebeu um alerta para tsunami
O epicentro fica a 71 quilômetros da cidade de Illapel, na Província de Choapa, localizada no Norte de Santiago, capital do país, onde vivem cinco milhões de habitantes.

Como o 'não curtir' pode tornar o Facebook mais 'viciante' e 'lucrativo'

"Devo ou não curtir este post?" Quem usa o Facebook provavelmente já se perguntou o que fazer diante de uma publicação sobre um tema triste ou delicado.
O botão de um dedão apontado para cima é um dos recursos mais populares na rede social.
Não parece, no entanto, ser muito apropriado "curtir" uma mensagem sobre o falecimento de uma pessoa, mesmo que se tenha apreciado o texto em sua homenagem.
Ou a notícia de uma tragédia, ainda que a solidariedade em torno do acontecimento seja louvável.
O Facebook está tentando resolver esse dilema. Mark Zuckerberg, seu criador e presidente, disse na última terça-feira que estuda uma alternativa ao "curtir".
"As pessoas pedem isso há muito tempo. O que elas querem é uma forma de demonstrar empatia. Nem todo momento é um momento feliz", disse Zuckerberg, citando a crise de refugiados sírios como exemplo.
Por enquanto, o Facebook revelou poucos detalhes deste novo recurso. Zuckerberg apenas explicou que será testado com uma parcela do público.
Não se sabe ainda como será chamado - o nome que está sendo usado por enquanto nas discussões sobre este novo mecanismo é o de "não curtir" -, se será um botão, qual será seu símbolo. Se valerá para todos os posts ou só para aqueles de temas mais delicados.
Com o "não curtir", Zuckerberg também poderá tornar a rede social mais popular e lucrativa, avaliam especialistas ouvidos pela BBC Brasil.
Mas eles alertam para o risco da novidade acirrar ainda mais os ânimos dos debates e discussões na internet.

Fórmula secreta

O "não curtir" significa uma mudança na alma do Facebook: seu algoritmo.
O site tem parâmetros e regras para avaliar o conteúdo publicado e definir o que será exibido para cada usuário.
Cliques, publicações, curtidas, comentários e compartilhamentos. Tudo que fazemos vira um dado que alimenta esta fórmula secreta.
O site conhece assim as preferências de cada membro e filtra as publicações para exibir o que tem mais chances de agradar ou gerar interesse.
O "curtir" tem um peso importante nesta equação desde que foi lançado, em 2009. Um post com muitas curtidas tem mais chances de aparecer também para mais usuários e movimentar ainda mais o Facebook.
Mas, enquanto mensurar a reação positiva a uma publicação é relativamente simples, refletir um sentimento como a empatia é um pouco mais complexo.

Bolsonaro é condenado por dizer que deputada 'não merece' estupro

© Fornecido por Notícias ao…
Jair Bolsonaro (PP-RJ) foi condenado em primeira instância a indenizar a deputada federal Maria do Rosário (PT-RS) em R$ 10 mil, por ter dito que não a estupraria porque "ela não merece", segundo a Folha de S. Paulo. O deputado federal ainda pode decorrer da decisão da juíza Tatiana Dias da Silva, da 18ª Vara Cível de Brasília.
Bolsonaro fez a declaração em dezembro de 2014, no plenário. Ao jornal Zero Hora, no dia seguinte, o deputado afirmou "Ela não merece porque ela é muito ruim, porque ela é muito feia. Não faz meu gênero. Jamais a estupraria".
Após pedidos de cassação de seu mandato, o deputado mencionou que possui imunidade parlamentar e que não causou "danos indenizáveis". Outro processo tramita no STF (Supremo Tribunal Federal), por quebra de decoro parlamentar.



ATUALIZADO 26/08/15

Homem é multado em R$ 2 mil em país que proíbe celebrar aniversário em público

Um homem no Tadjiquistão foi multado em cerca de R$ 2 mil por celebrar seu aniversário em público.
Isayev Amirbek foi "enquadrado" pelas autoridades da ex-república soviética, localizada na Ásia Central, por desrespeitar uma lei que proíbe comemorações deste tipo fora da privacidade do lar.
O país tem um dos regimes mais repressores do mundo.
Amirbek foi descoberto ao postar no Facebook fotos da comemoração, em um café. As fotos foram usadas como prova em um processo em que Amirbek foi acusado de violar o Artigo 8º de uma lei regulando costumes e tradições.
Ele alegou ter "se entusiasmado" após buscar o bolo de aniversário em uma confeitaria. E que a celebração não tinha sido planejada. Ele contou até com o depoimento de um garçom do café, que garantiu ter havido a ausência de cumprimentos a Amirbek.
Mas o juiz que analisou o caso não se sensibilizou e decidiu pela multa. A lei supostamente foi criada para evitar gastos excessivos com festas.
Segundo um site de notícias do Tadjiquistão, houve 394 violações do tipo em 2014, com base em estatísticas do Comitê Nacional de Regulamentação de Costumes e Tradições Nacionais.

Polícia investiga suspeita de bomba na porta do SBT

A polícia está investigando uma possível bomba na porta da sede do SBT, em Osasco, São Paulo.
Segundo a coluna de Flávio Ricco, no UOL, a emissora relatou que, na noite de terça-feira (25), um rapaz tentou entregar dois extintores de incêndio para Silvio Santos e que os seguranças informaram não iriam receber a encomenda.
O colunista escreve que o homem teria se irritado e deixado os extintores no canteiro em frente ao portão da emissora.
A polícia, então, foi acionada para verificar se o conteúdo deixado não é uma bomba caseira.
O colunista informa que o Gate foi ao local e já isolou a área.

Senadores investigados sabatinam Rodrigo Janot hoje

© Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/ABr A Polícia Legislativa deverá reforçar a segurança durante a sabatina.
O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, deve encontrar nesta quarta-feira, 26, um clima majoritariamente favorável à sua aprovação durante a sabatina na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado Federal. Embora 13 dos 81 senadores sejam investigados na Operação Lava Jato, parlamentares dizem acreditar que o senador Fernando Collor (PTB-AL) deverá ser uma voz "solitária" nas críticas a Janot.
A Polícia Legislativa deverá reforçar a segurança durante a sabatina. Um dos motivos é o tom beligerante que vem sendo adota por Collor contra Janot. Por isso, o sabatinado deverá ser acompanhado por até três policiais e dentro da sala que abriga a Comissão deverá haver outros quatro integrantes da Polícia Legislativa do Senado. "Ninguém sabe qual vai ser a reação dele (Collor). Vamos ficar atentos", disse um integrante da Polícia Legislativa à reportagem.
Embora Collor não seja membro titular da CCJ do Senado, a presença dele é aguardada por parlamentares. Há ainda a possibilidade de o ex-presidente participar da votação de Janot na CCJ. Isso ocorrerá se um dos três senadores que compõem o bloco do qual Collor faz parte - Eduardo Amorim (PSC-SE), Marcelo Crivella (PRB-RJ) e Magno Malta (PR-ES) - se ausentar da sessão.
A aprovação na sabatina é o primeiro passo a ser enfrentado pelo procurador para permanecer no cargo por mais dois anos, após indicação da presidente Dilma Rousseff. O atual mandato do procurador-geral expira no dia 17 de setembro. Até lá, Janot será submetido a duas votações secretas: uma delas na CCJ, onde precisa de maioria simples para ser aprovado, e no Plenário da Casa, onde são necessários pelo menos 41 votos. Embora o objetivo do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) seja de dar "celeridade" ao processo de recondução de Janot, senadores ouvidos pela reportagem acreditam que poderá não haver tempo suficiente para que o nome de Janot passe pelo crivo, tanto da CCJ quanto do Plenário da Casa, ainda nesta quarta-feira. Como publicou o jornal O Estado de S.Paulo na segunda-feira, 24, a alta cúpula do PMDB "fechou um acordo" com o governo para a aprovação de Janot.
Sabatina
A sabatina na CCJ está marcada para ter início às 10h. Logo após a abertura, o presidente da Comissão, senador José Maranhão (PMDB-PB), abrirá para que o procurador faça uma apresentação inicial, o que deve durar até 20 minutos. O passo seguinte são as perguntas dos senadores da CCJ e, por último, a votação secreta.
Um senador ouvido reservadamente pela reportagem acredita que Janot terá de responder a uma extensa lista de questionamentos feitos pelos senadores. Contudo, a expectativa é de que a sabatina não se alongue tanto quanto a do ministro Luiz Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), que passou 12 horas respondendo questionamentos para ser aprovado. No radar dos parlamentares estão questionamentos ligados a detalhes da Operação Lava Jato, como o uso da delação premiada em investigações, por exemplo.
Alguns senadores de oposição devem levar ao procurador-geral questionamentos sobre por quê apenas dois dos 54 políticos investigados foram denunciados ao STF. Na semana passada, a uma semana da sabatina, Janot ofereceu ao Supremo denúncia do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e do senador e ex-presidente Fernando Collor (PTB-AL), seus dois principais críticos. Contudo, na visão de alguns parlamentares, os questionamentos da oposição devem ser feitos com ressalvas já que alguns políticos de partidos oposicionistas também figuram a lista de investigados.
Senadores ouvidos pela reportagem avaliam que o clima contra Janot havia "azedado" em meados de julho, quando foi deflagrada a Operação Politeia, que resultou em mandados de busca e apreensão envolvendo parlamentares. Contudo, apesar de 8 dos 27 senadores titulares da CCJ serem investigados na Lava Jato a pedido de Janot, a leitura da Casa é que uma eventual rejeição a seu nome soaria muito mal para a imagem da instituição. "A Casa ficaria aos pés de Janot e ele sairia daqui como um vitorioso", avalia um interlocutor. Na avaliação de senadores, é melhor "tapar o nariz e votar pela aprovação" do procurador-geral.
Entre os senadores investigados na Lava Jato, oito são membros titulares da CCJ e outros dois são suplentes. Veja a lista:
Titulares
Romero Jucá (PMDB-RR)
Valdir Raupp (PMDB-RO)
Edison Lobão (PMDB-MA)
Benedito de Lira (PP-AL)
Ciro Nogueira (PP-PI)
Humberto Costa (PT-PE)
Gleisi Hoffmann (PT-PR)
Antonio Anastasia (PSDB-MG)
Suplentes:
Fernando Collor de Mello (PTB-AL)
Lindbergh Farias (PT-RJ)
Mesmo sem fazer parte da lista, todos os 81 senadores podem comparecer à comissão, se desejarem. Eles também estão autorizados a fazerem perguntas ao procurador-geral. Somente os membros titulares, no entanto, votarão o parecer que a CCJ encaminhará ao plenário do Senado, recomendando ou não a aprovação do nome de Janot. Na ausência de um titular, um suplente do mesmo bloco adquire o direito de votar.
Com informações do Estadão Conteúdo

DHPP quer prisão temporária de PM que teria atuado em chacina

© Fornecido por Notícias ao…
O Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) vai pedir nesta quarta-feira, 26, à Justiça, a prisão temporária do policial militar Fabrício Emmanuel Eleutério, por suspeita de participar da chacina que deixou 18 mortos e 6 feridos em Osasco e Barueri, na Grande São Paulo, no dia 13.
Nessa terça, 25, ele foi reconhecido pessoalmente por uma testemunha como o autor do disparo que deixou uma pessoa ferida na Rua Suzano, na Vila Menck, em Osasco, um dos dez pontos de ataques na cidade da Grande São Paulo.
Os advogados Nilton Nunes e Flávia Artilheiro, que defendem o policial, afirmaram que são favoráveis à decretação da prisão de seu cliente. "Ficará provado que ele não oferece risco às investigações e todas as diligências serão feitas com tranquilidade por parte da polícia", afirmou a advogada.
Os defensores apresentaram documentos, gravações e troca de mensagens de WhatsApp que comprovariam que o policial estava na casa da namorada comendo uma pizza no momento dos ataques. "Ele é inocente" disse Nunes.
O PM está em prisão administrativa desde sábado. Antes, cumpria funções burocráticas nas Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota). Eleutério também responde a cinco processos na Justiça e já havia sido preso em abril de 2013 sob suspeita de integrar um grupo de extermínio. Antes da prisão, era obrigado a cumprir medidas restritivas: permanecer em casa durante os fins de semana, não se ausentar de Osasco sem prévia autorização judicial, não frequentar bares e boates e também não se aproximar de testemunhas dos processos.
A Corregedoria tem uma lista com outros 17 policiais militares de Osasco e um segurança casado com uma PM suspeitos de participar da chacina, que pode ter sido motivada pela morte do PM Avenilson Pereira de Oliveira, baleado uma semana antes durante um latrocínio.
Relatório
O Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana (Condepe) apresentou nessa terça, 25, um relatório de 20 casos de chacinas e execuções registrados entre 2012 e 2015 e que resultaram em 110 mortos na região metropolitana e na capital. Segundo Rildo Marques de Oliveira, presidente do órgão, os homicídios tiveram as mesmas características dos assassinatos do dia 13 de agosto. Procurada, a Secretaria de Segurança Pública afirmou que não pode comentar o caso, pois desconhece o relatório. Com informações do Estadão Conteúdo.

Prefeita foragida cortou salário dos professores

Lidiane Rocha, a prefeita (PP) foragida de Bom Jardim, no interior do Maranhão, é acusada – em ação por improbidade movida pelo Ministério Público Estadual -, de ‘reduzir injustificadamente’ os vencimentos dos professores da rede municipal no mês de outubro.de 2014. Na ação, proposta em novembro, a Promotoria pede condenação de LIdiane. O processo está em curso.
O corte no holerite dos docentes reforça as suspeitas da Promotoria de que a gestão Lidiane sucateou o sistema de ensino do município de 40 mil habitantes situado a 275 quilômetros da capital São Luís. A prefeita está foragida há seis dias, alvo de investigação por supostos desvios de recursos que podem chegar a R$ 15 milhões – parte era destinada à merenda escolar das crianças.
Vaidosa, 25 anos, Lidiane exibe nas redes sociais imagens de uma vida de alto padrão para uma cidade à beira da miséria, com um dos menores IDHs do Brasil. Carros de luxo, festas e preocupação com a beleza, o que inclui até cirurgia plástica, marcam o dia a dia da moça.
Na quinta-feira, 20, foram presos dois ex-secretários de Lidiane – Antônio Gomes da Silva (Agricultura) e Humberto Dantas dos Santos (Coordenação Política), o Beto Rocha, ex-namorado da prefeita.
Bom Jardim vive um clima de revolta e ansiedade. Seus moradores querem saber da prefeita fujona. A Polícia Federal está no encalço de Lidiane e já colocou em alerta os agentes que atuam no aeroporto da capital maranhense. Um advogado disse que a prefeita ‘fugiu num momento de pânico’ e que ela deverá, afinal, se entregar.
Lidiane já é ré em três ações por improbidade. Uma delas trata do corte do holerite dos professores e pede a condenação da prefeita ao ressarcimento integral do dano causado, perda da função pública, suspensão dos direitos políticos por cinco anos, pagamento de multa de até 100 vezes o valor da remuneração recebida no cargo de chefe do executiuvo de Bom Jardim, além da proibição de receber qualquer tipo de benefício ou incentivo do Poder Público, mesmo que por meio de empresa da qual seja sócia majoritária, pelo prazo de três anos.
A ação foi aberta pela promotora Karina Freitas Chaves. Ela recebeu um ofício do Sindicato dos Profissionais do Magistério do Ensino Público Municipal de Bom Jardim informando que a administração municipal havia suprimido valores dos vencimentos dos educadores. O corte de salários não teve qualquer justificativa.
A Promotoria ouviu professores que confirmaram e comprovaram a redução do contracheque. Os valores suprimidos variam entre R$ 535,37 e R$ 590. Na ação, a promotora Karina Freitas Chaves destaca que a Lei Municipal 567/2012 estabelece os salários dos professores da rede de ensino municipal. A redução dos vencimentos fere essa legislação e os princípios constitucionais da legalidade e da moralidade na administração pública, ‘configurando ato de improbidade administrativa’.
O Sindicato dos Profissionais do Magistério do Ensino Público Municipal de Bom Jardim-MA ( SINPROBEM) diz que os docentes são ‘desrespeitados, humilhados, vitimados de cenas lastimavelmente depreciativas, vis e indignas’. Eles questionam ‘onde está o compromisso que (Lidiane) fez durante a campanha’. “A prefeita desconhece o significado das palavras ética e moral”, afirma a entidade.


ATUALIZADO: 22/07/15

Em ano de crise, governo acelera repasses às centrais sindicais

Em tempos de baixa popularidade e crise econômica, com atrasos em repasses para programas sociais como o Minha Casa, Minha Vida, o governo Dilma Rousseff acelerou pagamentos às centrais sindicais - tradicionais motores de mobilização popular, ligadas a partidos políticos. 
Dados obtidos pelo Estado mostram que, entre janeiro e abril deste ano, já foram transferidos R$ 166,6 milhões às seis entidades habilitadas a receber uma parte do que é arrecadado com o imposto sindical no País. O tributo é recolhido de trabalhadores com carteira assinada. O montante é 66% maior que o pago no mesmo período de 2014 (R$ 100 milhões) e já quase chega ao que foi transferido ao longo de todo o ano passado (R$ 180,1 milhões). 
O polêmico repasse de dinheiro às centrais começou em 2008, por meio de lei autorizada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Desde 1943 até aquele ano, apenas sindicatos, federações e confederações recebiam. Com a nova política, nos últimos 7 anos, as centrais obtiveram dos governos petistas, ao todo, R$ 1 bilhão. 
O governo sustenta que os pagamentos são calculados com base em critérios técnicos, baseado na quantidade de trabalhadores com carteira assinada e no valor dos salários. A velocidade com que os recursos são transferidos, no entanto, depende do gestor. © Fornecido por Estadão Protesto de sindicalistas

A entidade mais contemplada é a Central Única dos Trabalhadores (CUT), ligada ao PT. Maior central do País, com 2,7 mil sindicatos filiados, a CUT, no entanto, é contrária ao uso de imposto sindical. A central entende que o movimento sindical deveria se financiar somente com taxas negociadas junto a cada categoria de trabalhadores. Mesmo fazendo oposição ao repasse, a CUT abocanhou mais de R$ 340 milhões desde 2008. Procurada, a entidade não respondeu aos pedidos de entrevista até o fechamento desta edição.
Em segundo lugar há uma briga acirrada entre a Força Sindical e a União Geral dos Trabalhadores (UGT). Entre 2008, quando o repasse do dinheiro começou, e 2012, a Força Sindical foi favorável aos governos de Lula e Dilma. O quadro mudou a partir de 2013, com o afastamento político do ex-presidente da central, o deputado Paulinho da Força, que fundou o Solidariedade, partido do qual é presidente nacional. Paulinho é um dos principais entusiastas do impeachment da presidente Dilma Rousseff. A Força recebeu neste ano R$ 40 milhões, patamar pouco superior aos R$ 37 milhões obtidos pela UGT.
"Continuo leal à presidente Dilma, que vai superar as dificuldades políticas que ela enfrenta hoje. O movimento sindical perdeu a unidade por questões partidárias recentemente, mas devemos nos esforçar para manter a proximidade nos temas do mundo do trabalho", disse Ricardo Patah, presidente da UGT e integrante da direção nacional do PSD, partido de Gilberto Kassab, ministro das Cidades.
A UGT atribui o aumento de sua arrecadação à conquista de sindicatos. Quanto mais sindicatos e mais trabalhadores representados por essas entidades, mais dinheiro do imposto sindical uma central recebe. No ano passado, a UGT tirou da Força a Federação dos Comerciários de São Paulo, entre outros sindicatos. "A queda de arrecadação ocorreu em parte por alguns sindicatos que saíram da central, mas o principal é o início de uma tendência: com o aumento do desemprego, menos trabalhadores contribuem com o imposto sindical", disse Miguel Torres, presidente da Força e integrante do Solidariedade.
Além disso, o governo também incluiu no bolo a Central de Sindicatos Brasileiros (CSB). Ligada ao PMDB, a CSB apoia a presidente Dilma Rousseff e contou com ajuda do ministro do Trabalho, Manoel Dias, para obter o registro. A área técnica do ministério foi contrária ao repasse para a CSB por entender que havia irregularidades na documentação da entidade. Com a decisão do ministro, a CSB passou a receber dinheiro este ano - foram R$ 6,9 milhões.
Além da questão política há um imbróglio jurídico envolvendo o repasse de dinheiro do governo às centrais sindicais. Desde 2008 tramita no Supremo Tribunal Federal uma ação direta de inconstitucionalidade (Adin) que questiona essa transferência. O STF julgou o caso até 2010, quando houve um pedido de vista do então ministro Carlos Ayres Brito. Ele se aposentou, sendo substituído Luís Roberto Barroso. O caso, que está empatado com três votos a três, continua parado desde então.

Gráfica ligada ao PT girou R$ 67 milhões em 5 anos

© Fornecido por Notícias ao…
Relatório de Inteligência Financeira da Operação Lava Jato mostra que a Editora Gráfica Atitude, sob suspeita de ter sido usada para captar propinas para o PT, movimentou R$ 67,7 milhões entre junho de 2010 e abril de 2015.
A gráfica, controlada pelo Sindicato dos Bancários de São Paulo - entidade ligada ao PT -, é alvo de uma investigação da Polícia Federal que atribuiu ao ex-tesoureiro petista João Vaccari Neto os crimes de corrupção e lavagem de dinheiro do esquema Petrobrás.
O Relatório de Inteligência foi produzido pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) e anexado aos autos da Lava Jato na segunda-feira, 20. O documento integra o dossiê de indiciamento do empresário Marcelo Bahia Odebrecht, presidente da maior empreiteira do País, a quem a Polícia Federal imputa os mesmos crimes de Vaccari e também organização criminosa e crime contra a ordem econômica.
Os investigadores suspeitam que existam relações da Odebrecht com a Gráfica Atitude. Um dos fatos registrados no relatório do delegado Eduardo Mauat da Silva é um jantar organizado pelo empreiteiro em sua residência, em 2012, a pedido do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
Despertou a atenção dos investigadores da Lava Jato, o fato de que entre empresários e banqueiros foram convidados dois sindicalistas, administradores da gráfica - Juvandia Morandia Leite, presidente do Sindicato dos Bancários, e Sérgio Aparecido Nobre, do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, reduto sindical que celebrizou Lula nos anos 70.
Inteligência
A devassa nas contas da Atitude revela que entre agosto e 2008 e janeiro de 2010 a empresa Observatório Brasileiro de Mídia - da qual Juvandia consta como presidente - recebeu R$ 833 mil da gráfica, por meio de 40 operações bancárias.
O documento revelou ainda que R$ 17,95 milhões foram depositados em espécie na conta da Editora Gráfica Atitude, por meio de 137 operações, entre dezembro de 2007 e março de 2015, pelo Sindicato dos Bancários.
A Atitude caiu no radar da PF desde que o empresário Augusto Ribeiro de Mendonça, um dos delatores da Lava Jato, declarou que em 2010 o então tesoureiro do PT, João Vaccari Neto - preso desde abril de 2015 sob acusação de corrupção e lavagem de dinheiro -, lhe pediu que "doasse" R$ 2,4 milhões para o PT por meio de depósito em conta da gráfica.
Segundo Mendonça, um contrato assinado entre uma empresa dele, a Setec, com a Gráfica Atitude estipulou o repasse de R$ 1,2 milhão, em pagamentos mensais de R$ 100 mil.
Quebra de sigilo bancário da gráfica ligada ao PT apontou a existência de depósitos que totalizaram R$ 2,25 milhões, entre 2010 e 2013 nas contas da Gráfica Atitude, oriundos de três empresas controladas pelo delator, Projetec Projetos e Tecnologia, Tipuana Participações e SOG Óleo e Gás.
A análise das movimentações bancárias encampa o período em que as empresas de Mendonça fizeram repasses ao PT via gráfica, a pedido de Vaccari. O ex-tesoureiro do partido foi um dos dirigentes do sindicato dos bancários.
Segundo o documento de inteligência financeira, os débitos, entre 2010 e 2015, totalizaram R$ 33,88 milhões, dos quais R$ 8,31 milhões por meio de 1.861 TEDs, DOCs e transferências entre contas, R$ 7,3 milhões constando como pagamentos diversos, R$ 7,09 milhões para quitar 1.257 depósitos e R$ 5,85 milhões pagos pela compensação de 1.592 cheques.
Defesas
A assessoria de Juvandia Moreira Leite, presidente do Sindicato dos Bancários de São Paulo, não retornou contatos da reportagem.
O criminalista Luiz Flávio Borges D?Urso tem reiterado taxativamente que o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto jamais pediu propinas.
O PT afirma que todas as doações que recebeu tiveram origem lícita e foram declaradas à Justiça eleitoral.
A Odebrecht sustenta que não participou do cartel de empreiteiras na Petrobras e que nunca pagou propinas.
Quando teve seu nome citado por Augusto de Mendonça, a gráfica Atitude, por meio de seu coordenador de planejamento editorial, Paulo Salvador, afirmou que nunca tratou de patrocínios para a empresa do lobista com o tesoureiro do PT João Vaccari Neto. Salvador, contudo, evitou responder ao ser questionado sobre a delação do executivo, que afirmou ter depositado valores na conta da gráfica a pedido de Vaccari. "Não recebemos nenhuma demanda da Justiça ainda."
Na ocasião, ele afirmou que a Atitude não pertence ao PT ou à CUT, mas possui uma "afinidade política" com a sigla nos temas que aborda em suas publicações. Com informações do Estadão Conteúdo.

Mega-Sena sorteia R$ 32 milhões hoje

Nesta quarta-feira (22) ocorre o concurso 1725 da Mega-Sena, que pode pagar ao sortudo que acertar as seis dezenas sorteadas R$ 32 milhões. O sorteio acontece em Lontras/SC na Praça Henrique Schroeder nº 01, às 20h. © Fornecido por SorteOnline Marcos Santos/USP Imagens
O último concurso (1724) da Mega-Sena acumulou. Os números sorteados foram: 27 - 33 - 37 - 39 - 58 - 60. Mas 53 apostas fizeram a Quina e levaram R$ 48.154,01, enquanto 4.281 jogos acertaram a Quadra e receberam R$ 851,65 cada.
As apostas para a Mega-Sena de hoje podem ser feitas até as 19h em todas as casas lotéricas e também em alguns sites de serviços lotéricos.
Confira os sorteios que correm hoje:
Mega-Sena concurso 1725 - R$ 32 milhões
Quina concurso 3838 - R$ 5 milhões
Lotofácil concurso 1238 - R$ 1,7 milhão
Lotomania concurso 1574 - R$ 500 mil
Lotogol concurso 717 - R$ 30 mil

Na véspera de defesa no TCU, presidente mobiliza ministro

SP: carro capota em acidente e cai no Minhocão

Mega-Sena sorteia hoje R$ 32 milhões

O governo Dilma Rousseff vai entregar nesta quarta-feira, 22, um documento com mais de mil páginas ao Tribunal de Contas da União, no prazo final dado pela corte para que a presidente esclareça distorções, como as “pedaladas fiscais”, indicadas pelos auditores nas contas federais de 2014.
Nas 110 páginas de esclarecimentos e cerca de 900 em anexos, o governo espera, a partir de agora, convencer os ministros do TCU a mudar a tendência de dar parecer pela rejeição do balanço que descreve a situação financeira, contábil e patrimonial da União.
Uma eventual reprovação seria inédita em 78 anos de análise. A véspera do “dia D” para a presidente foi marcada por ansiedade. Dilma conduziu uma nova rodada de reuniões com ministros e presidentes de bancos públicos no Palácio da Alvorada para decidir o tom da defesa. Uma coletiva à imprensa está agendada para ocorrer amanhã. O governo quer “vencer a batalha de comunicação”, segundo uma fonte que participou dos encontros. Como revelou ontem o Estadoa defesa está calcada em comparações com 17 Estados e também com o governo do tucano Fernando Henrique Cardoso.
Dilma sustentará que os atrasos nos repasses do Tesouro Nacional à Caixa Econômica Federal, que precisou usar recursos próprios para continuar pagando em dia programas sociais, não infringiram a Lei de Responsabilidade Fiscal. Além disso, essa prática, chamada de “pedalada fiscal”, foi usada também por governadores e vem sendo repetida, de forma pontual, desde 2000, quando o Palácio do Planalto era ocupado por FHC.
Nos anexos, o Planalto deve apresentar tabela que mostra que a Caixa pagou juros ao governo todos os anos, desde 1994, porque recebeu mais recursos da União, não havendo déficit. O governo sustenta que, apesar das pedaladas fiscais, o ano de 2014 terminou com um saldo positivo de repasses do Tesouro, o que forçou a Caixa a pagar R$ 141 milhões em juros. Entre janeiro e abril de 2015, a União recebeu R$ 72,3 milhões da Caixa. Desta vez, no entanto, não houve atraso em nenhum mês: o governo corrigiu as pedaladas com a Caixa no fim do ano passado.
Uma fonte do tribunal de contas que participará da análise da defesa da presidente afirmou que  o “clima” na corte é pela reprovação das contas, por entender que as pedaladas foram ilegais. Segundo a fonte, a tese de que outras autoridades, como governadores ou mesmo o governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, tenham recorrido à prática não teria força para reverter uma reprovação, porque o TCU não tinha, até então, feito uma inspeção específica dos repasses do Tesouro aos bancos públicos.
Ouça a entrevista do relator do processo que analisa as contas do governo de 2014, ministro Augusto Nardes, à Rádio Estadão sobre a avaliação que fará das 'pedaladas fiscais'. 








Atualizado: 09/07/15

Jovens terminam o ensino médio sem aprenderem o básico

© Fornecido por Notícias ao Minuto
Pesquisa feita com jovens que terminaram o ensino médio mostra que há uma desconexão entre o que é ensinado nas escolas e os conhecimentos e habilidades exigidos na vida adulta. A pesquisa Projeto de Vida – O papel da Escola na Vida dos Jovens, da Fundação Lemann, foi apresentada na quarta-feira (8) em seminário que debate a base curricular nacional comum para a educação básica.
A análise dos resultados mostra que falta aos jovens competências básicas em comunicação, raciocínio lógico e tecnologia. Também foi constatado que há dificuldades de interpretar o que leram, de se expressar oralmente e de construir argumentos consistentes. Além disso, os entrevistados sentem dificuldades para escrever textos do dia a dia como um e-mail e enfrentam problemas com a concordância e ortografia.
Foram entrevistados jovens que concluíram o ensino médio – 80% de escolas públicas – que ingressaram recentemente no mercado de trabalho, na faculdade, além de professores, empregadores, especialistas em educação e organizações não governamentais que atuam na formação e orientação de jovens.
No campo do raciocínio lógico, a pesquisa mostra que os jovens não dominam conteúdos básicos da matemática, têm dificuldades com estimativas de valores, com cálculos de descontos e reajustes e para ler planilhas e gráficos.
Jovens ouvidos relataram que já erraram ao passar troco a clientes e que saíram da escola sem noções básicas de informática, o que dificultou a entrada no mercado de trabalho. “Apesar de extensos, ainda falta aos currículos conteúdos e habilidades que são essenciais para a vida adulta”, diz a pesquisa Projeto de Vida.
Ela aponta que a base curricular nacional comum para a educação infantil, fundamental e média, em discussão no Ministério da Educação, é uma oportunidade de diminuir a desconexão entre o que é ensinado na escola e o que o jovem realmente precisa aprender.
O diretor executivo da Fundação Lemann, Denis Mizne, avalia que a base comum pode contribuir para que a escola abandone o papel de ser apenas um transmissor de conteúdo e prepare o estudante para que ele tenha bom desempenho nas atividades da vida cotidiana. “Nosso grande desafio na construção da base comum é escolher o que é essencial, não o mínimo, e não se limitar a listagens, mas ir além e mostrar como as disciplinas se conectam, como agregar a isso as habilidades do século 21, ser mais investigativo, mais crítico”, disse.
O secretário de Educação Básica do Ministério da Educação, Manoel Palácios, explicou que o MEC criou um grupo de trabalho responsável pela redação de uma proposta preliminar da base nacional comum curricular. A proposta é estabelecer um amplo debate para a elaboração do documento, ouvindo professores, estudantes, secretários de Educação, especialistas e organizações envolvidas com o tema.
“Colheremos as opiniões de professores e de estudantes que também devem participar desse debate. Especialmente, os estudantes que estão no ensino médio e tem a expectativa de ingresso na universidade e de profissionalização, para se manifestarem sobre os objetivos de aprendizagem que integrarão a base comum”, disse Palácios.
A pesquisa recomenda que a base comum contribua para tornar o estudo mais atrativo ao aluno, inclua habilidades socioemocionais, respeite as diversidades regionais, correlacione as habilidades e ensine o que é fundamental aos alunos aprenderem.
As discussões sobre a base curricular nacional foram feitas em Brasília, no Seminário Internacional Base Nacional Comum: o que Podemos Aprender com as Evidências Nacionais e Internacionais. O evento foi organizado pelo Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed) e a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime). Com informações do Estadão Conteúdo.

Taxa de desemprego no trimestre encerrado em maio fica em 8,1%, a maior da série histórica

RIO - A taxa de desemprego no país foi de 8,1% no trimestre encerrado em maio, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua, que apresenta dados para todos os estados brasileiros, e foi divulgada nesta quinta-feira pelo IBGE. A taxa é a maior da série histórica, iniciada em 2012. Em igual período do ano passado, a taxa foi de 7%. Nos três meses terminados em abril, a taxa havia sido de 8%, igualando-se à do primeiro trimestre de 2013, até então a mais alta da série.
Entre março e maio, o rendimento médio real do trabalhador ficou em R$ 1.863. O valor é considerado estável frente ao registrado em igual período do ano passado (R$ 1.870) e na comparação com o trimestre entre dezembro e fevereiro (R$ 1.877). Ainda no trimestre entre março e maio, a massa de rendimento — ou seja, a soma dos valores recebidos pelos trabalhadores — ficou em R$ 166,1 bilhões, também sem apresentar variação estatisticamente significativa frente a outros períodos.
Entre março e maio, o IBGE calculou que há 8,2 milhões de brasileiros desocupados — ou seja, pessoas que estão disponíveis para trabalhar, mas não conseguem encontrar vagas. Esse número representa um acréscimo de 1,3 milhão de pessoas sem emprego, na comparação com o mesmo período do ano passado, quando o grupo somava 68 milhões de pessoas. Percentualmente, o avanço do número de desocupados foi de 18,7%.
Já o número de pessoas ocupadas ficou em 92,1 milhões, sem apresentar variação na comparação com o mesmo trimestre do ano anterior, ou frente ao trimestre entre dezembro e fevereiro.
Os dados da Pnad Contínua são calculados mensalmente com informações coletadas no trimestre encerrado no mês de referência. Para as informações de maio, foram contabilizados dados de março, abril e maio.
Já a Pesquisa Mensal de Emprego (PME) — divulgada no fim de junho pelo IBGE e que inclui apenas dados de seis regiões metropolitanas (Rio, São Paulo, Belo Horizonte, Recife, Salvador e Porto Alegre) — mostrou que a taxa de desemprego ficou em 6,7% em maio. Foi a maior para o mês desde 2010, quando ficou em 7,5%. Considerando toda a série histórica, que teve início em março de 2002, a taxa de desemprego de maio foi a maior desde agosto de 2010, quando também foi de 6,7%. Ainda segundo a PME de maio, o rendimento médio acumulou queda em um ano de 5%, já descontando a inflação: em maio do ano passado o valor era de R$ 2.229,28. Em maio deste ano, R$ 2.117,10.

Parlamentares pedem anulação da redução da maioridade penal

© Fornecido por Notícias ao Minuto
Mais de cem parlamentares de 13 partidos assinaram documento que será entregue ao Supremo Tribunal Federal (STF) ainda hoje (9) questionando a condução de votações polêmicas pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e para tentar anular o resultado da votação da redução da maioridade penal, aprovada pelo plenário da Câmara no último dia 2.
Na madrugada do dia 1° de julho, a Câmara rejeitou a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 171 que reduz a maioridade penal de 18 para 16 anos, com 303 votos a favor, 184 contrários e três abstenções. Na sequência, após acordo com líderes que defendem a redução, Cunha decidiu colocar em votação uma nova proposta com o mesmo teor, que foi aprovada na madrugada do dia seguinte.
O mandado de segurança assinado pelos parlamentares foi concluído na manhã de hoje e pede uma posição da Justiça sobre os atos praticados por Cunha que, na opinião do grupo, ferem um parágrafo do Artigo 60 da Constituição Federal. A lei proíbe a análise de uma matéria de proposta de emenda à Constituição, no mesmo ano em que já tenha sido rejeitada.
Defensores do resultado em plenário afirmam que a legislação trata do conteúdo do texto, o que permitiria que qualquer alteração de redação pudesse ser colocada novamente em votação. Segundo eles, o que foi aprovado foi uma emenda ao texto original já que o parecer rejeitado era um substitutivo à matéria. “A matéria é a mesma e por isto não pode ser repetida”, rebateu o vice-líder do PMDB, deputado Darcísio Perondi (RS), que é um dos signatários do mandado.
"Estamos entrando no Supremo para que dê liminar suspendendo a validade desta votação em nome da dignidade, em nome do presente e do futuro do Brasil. Não é sobre mérito, mas sobre a decisão regimental do presidente [Cunha] de colocar em votação a mesma materia na mesma legislatura”, garantiu.
Perondi lembrou que a proposta ainda precisa passar por um segundo turno de votação na Câmara para depois ainda ser analisada pelos senadores. “Vamos tentar ganhar no segundo turno e depois tem o Senado que tem função revisora e, em última instância, tem a Adin [Ação Direta de Inconstitucionalidade] no Supremo”, explicou.
Eduardo Cunha continua seguro de que a votação seguiu o regimento e não feriu a Constituição. A diferença entre o substitutivo do deputado Laerte Bessa (PR-DF) e da emenda aprovada limitou-se aos tipos de crimes previstos. Na proposta vitoriosa, que surgiu como uma emenda aglutinativa – que reúne o conteúdo de outras emendas ou com texto de proposição principal que deu origem ao assunto –, foram retirados o tráfico de drogas e o roubo qualificado. Com informações da Agência Brasil.



ATUALIZADO: 16/06/15

Mudanças climáticas podem provocar aumento de 4,3 °C, avisa AIE

© Fornecido por RFI
A Agência Internacional de Energia (AIE) declarou nesta segunda-feira (15) que as mudanças climáticas podem provocar um aumento de temperaturas de mais de 4ºC. O órgão fez um apelo para que mais esforços sejam feitos para reduzir as emissões de dióxido de carbono.
Em um relatório publicado antes da conferência contra as mudanças climáticas de Paris, em dezembro, a AIE diz que os atuais compromissos internacionais "terão um impacto positivo (...) mas não bastarão" para alcançar o objetivo de que a temperatura média mundial não suba mais de 2ºC.
Tomando como referência os compromissos atuais dos países e as políticas dos que não adotaram compromissos, como a Índia, a AIE estima que a temperatura média mundial terá aumentado 2,6ºC em 2100.
No hemisfério norte, onde vive a maioria da população mundial, o aumento será de 4,3ºC, e cidades como Paris podem começar a sofrer ondas de calor, mais próprias do sul da Europa.
Eventos extremos
As mudanças serão acompanhadas de "um maior número de acontecimentos meteorológicos extremos", disse Fatih Birol, economista chefe da AIE, afirmando que a África, que quase não contribuiu para as mudanças climáticas, sofrerá a pior parte, sobretudo na forma de secas.

Eduardo Cunha nega mal-estar entre governo e PMDB

© Foto: Zeca Ribeiro/Câmara dos Deputados Ainda de acordo com o presidente da Câmara, os frequentes atritos entre ele e o PT vêm desde o início de 2014, quando ele era líder da bancada do PMDB na Câmara.
O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), negou a existência de mal-estar nas relações entre o governo e o seu partido. “Eu não vejo, no governo, atos que possam vir contra mim pessoalmente. Não acusei em nenhum momento o governo. Eu reagi ao PT. O governo não me atacou, quem me atacou foi o PT”, disse hoje (15) ao chegar à Câmara.
Cunha fez referência a suas declarações sobre a aliança com o PT, publicadas no domingo (14), no jornal O Estado de S.Paulo, de que petistas estariam trabalhando para retirar o vice-presidente Michel Temer da articulação política do governo. Segundo ele, o PMDB mantém seu compromisso com a estabilidade e com a governabilidade, mas poderia se afastar da base aliada, caso Temer seja retirado do papel de articulador político com o Congresso. “O PMDB não rompeu, o que eu disse é que se o processo de tentativa de sabotagem ao Temer for levado a curso, e ele sair da articulação, aí é inevitável o rompimento com o PT”, afirmou.
Ainda de acordo com o presidente da Câmara, os frequentes atritos entre ele e o PT vêm desde o início de 2014, quando ele era líder da bancada do PMDB na Câmara. “Em 2014, quando eu era líder, o atrito que se teve aqui na época, que gerou o chamado 'blocão', foi o presidente do PT [Rui Falcão] me atacando. Então, já é deles continuar atacando”, disse Cunha para quem não haveria mais condições de repetir a aliança nas eleições de 2018.
No último sábado, o PT aprovou em seu congresso a continuidade da aliança com o PMDB. Para Cunha, contudo, o modelo de aliança entre os dois partidos está esgotado. “O que antecipei é a falta de vontade que vejo do meu partido continuar a aliança. E isso vai ser discutido, vai ser debatido, vai ser amadurecido”, disse Cunha. “Falei por mim como militante partidário e dirigente do partido”, acrescentou.
A oposição enxergou no episódio uma oportunidade de causar mais desgaste para o governo. O líder do PSDB na Câmara, Carlos Sampaio (SP), também entrou no debate sobre a aliança PT-PMDB. Questionado por jornalistas, o tucano disse ver um “afastamento” da presidenta Dilma Rousseff com o principal partido da base aliada. “O que fica bastante claro é que a presidenta Dilma, que não tinha relação alguma com o Congresso e, particularmente, com os partidos de oposição, agora se afasta também dos partidos da base aliada”, disse.
Editor Stênio Ribeiro

Crise de refugiados é a pior desde a 2ª Guerra Mundial

São Paulo – O mundo vive hoje a sua pior crise de refugiados desde a Segunda Guerra Mundial. Estimativas dão conta de que, entre 2013 e 2015, ao menos 50 milhões de pessoas tiveram de abandonar os seus lares, seja pelo medo da violência das guerras ou por conta da pobreza extrema da região na qual viviam.
As constatações foram divulgadas nesta manhã pela Anistia Internacional, uma ONG dedicada ao monitoramento de violações de direitos humanos, e estão disponíveis em um estudo chamado “The Global Refugee Crisis”. A pesquisa foi produzida pela entidade para marcar o Dia Internacional dos Refugiados, que acontece no próximo dia 20.
O relatório traz números alarmantes sobre a situação dos refugiados no mundo e elege a Síria, que vive uma guerra devastadora desde os idos de 2011, como o país que oferece os piores cenários para a população.© Reuters Síria: país é visto pela Anistia como aquele que vive hoje a crise humanitária mais grave em relação aos refugiados e deslocados internos
Segundo o levantamento, pouco mais de 50% dos sírios encontram-se hoje deslocados internamente ou estão refugiados em países vizinhos. 95% destas pessoas vivem hoje na Turquia, na Jordânia, no Iraque, no Egito ou no Líbano, onde um em cada cinco habitantes é um refugiado da Síria.
Já no Mediterrâneo, os números tampouco trazem alento. 33% das pessoas que atravessaram para a Europa eram sírias. Em 2014, 166 mil pessoas foram resgatadas das águas por autoridades italianas. Em abril, num período de dez dias, mil refugiados morreram afogados.
África subsaariana e o sudeste asiático também foram alvo de investigações por parte da organização. Na primeira região, menos de 15 mil dos três milhões de refugiados conseguiram ser reassentados em 2013, enquanto que, na Ásia, apenas em maio deste ano, oito mil pessoas foram resgatadas navegando à deriva na costa da Tailândia.
O problema, crê a entidade, é agravado pela inércia de líderes mundiais, “que estão condenando milhares de pessoas a um estado de existência insuportável e centenas à morte por falharem em providenciar assistência humanitária”.
De fato, há meses a União Europeia enfrenta críticas sobre a maneira como lida com o problema dos imigrantes no Mediterrâneo. E um exemplo prático de ação polêmica foi a decisão da Itália de encerrar no ano passado a Mare Nostrum, sua missão dedicada ao resgate de embarcações no mar, por falta de fundos.  
“Essa crise é um dos maiores desafios do século” considerou a ONG. “Mas a resposta da comunidade internacional tem sido um fracasso vergonhoso. Precisamos de uma mudança radical nas políticas e na prática para criar uma estratégia global coerente”, ponderou.


ATUALIZADO 12/06/15

Professora grampeia orelha de criança de 4 anos

© Fornecido por Notícias ao Minuto
Os pais de um menino de quatro anos de idade ficaram chocados ao descobrir que o ouvido dele tinha sido grampeado por uma professora do jardim de infância, na China.
O portal de notícias R7 publicou que o menino começou a chorar de dor enquanto tomava um banho. Após sair do chuveiro ele disse para os pais que sua professora tinha usado um grampeador para furar sua orelha na hora do almoço. O caso aconteceu na última segunda-feira, em uma escola localizada na província de Fujian.
A mesma publicação conta que as fotos publicadas nas redes sociais chinesas pelos pais do menino mostram a criança chorando como um médico removendo o grampo.
A professora do jardim de infância acusada de ser responsável pelo ato foi detida pela polícia e a vice-diretora da escola foi afastada.
As autoridades locais confirmaram que a professora, identificada apenas como Ms Lan, ficará sob custódia da polícia por 15 dias . Ela também deve pagar uma multa de 1.000 yuans. Nenhuma razão foi dada sobre por que o garoto havia sido perfurado na orelha. Uma nota médica confirma que o lóbulo da orelha da criança tinha sido perfurado.

Após 15 anos do sequestro do ônibus 174, pai de vítima aguarda indenização

© Fornecido por Notícias ao Minuto
Quinze anos após o sequestro do ônibus 174 na Rua Jardim Botânico, zona sul do Rio, Gilson Gonçalves, pai da refém assassinada, não recebeu um centavo da indenização determinada pela Justiça. O governo do Estado do Rio foi condenado a pagar R$ 50 mil e uma pensão vitalícia de três salários mínimos, mas a Procuradoria Geral do Estado alega que "só pode efetuar o pagamento após a expedição do precatório, o que ainda não ocorreu".
Na tarde de 12 de junho de 2000, a professora Geisa Firmo Gonçalves, de 21 anos, saiu da favela da Rocinha (zona sul) com a amiga Damiana Nascimento de Souza, então com 40, para descontar cheque de R$130 em agência bancária no Jardim Botânico. Era o pagamento pelo trabalho de artesanato que fizeram para o Dia dos Namorados, encomendado pelo shopping Fashion Mall, em São Conrado, perto da Rocinha, onde moravam.
"Pegamos o ônibus juntas e infelizmente fomos separadas também juntas", disse Damiana.
Após quase cinco horas de ameaças e torturas aos onze reféns, o sequestrador Sandro do Nascimento, sobrevivente da chacina da Candelária (1993), desceu do ônibus agarrado a Geisa, apontando o revólver para ela. No desfecho da negociação, o soldado Marcelo Oliveira dos Santos, de 27 anos, do Batalhão de Operações Especiais (Bope) da Polícia Militar (PM), avançou na direção dos dois com um fuzil e atirou, atingindo Geisa de raspão. Sandro e ela caíram no asfalto, e o criminoso disparou três vezes contra a professora.
Damiana sofreu um derrame dentro do ônibus, durante o sequestro. Ficou quase seis anos sem falar e andar. "Quando voltei a falar, ninguém entendia nada, mas fiz fonoaudiologia e melhorei. Foi uma vitória. Vivo um dia após o outro. Não recebi nada do Estado até hoje, nem uma aspirina", disse ela, que era agente comunitária e trabalhava em creche da prefeitura na Rocinha. Se aposentou por invalidez. Aos 55 anos, conta que Geisa tentou protegê-la.
"Ela me jogou debaixo do banco, queria me esconder." Não adiantou. Damiana teve o revólver colocado dentro de sua boca - Sandro ameaçou uma estudante da mesma forma e simulou um assassinato.
"Se ele (Sandro) quisesse matar a gente, teria matado. Mas não queria. Ele queria torturar. Colocou a cabeça da Janaína (outra refém) nas minhas pernas e ameaçou explodir. Teve um momento em que perguntei: 'Por quê?' Ele falava da mãe assassinada, que a gente não sabia o que ele tinha passado nos presídios e nas ruas. Disse que não podia ser preso, porque seria morto. Quando ameaçava matar a gente, dizia que a última bala seria dele."
Sandro foi asfixiado e morreu no carro da PM, a caminho da delegacia. Dois anos depois, os cinco PMs que o acompanharam no camburão foram julgados e absolvidos. A reportagem tentou contato com os policiais por meio do advogado Clovis Sahione, que os defendeu à época, mas eles não deram entrevista. Sahione disse que o capitão que chefiava o grupo deixou a PM. Procurada, a corporação não informou onde os outros policiais trabalham. O coronel José Penteado, que comandou toda a operação, se aposentou. O soldado Marcelo dos Santos deixou a corporação.
Liberado por Sandro, o refém Carlos Leite Faria desceu do ônibus pela janela e foi preso por policiais sob acusação de ser comparsa do assaltante. Há 3 anos, ganhou ação por danos morais na Justiça e foi indenizado em R$ 60 mil. "Ele estava com um relógio no pulso e outro no bolso, da filha, que levava para conserto. Na visão da polícia, isso configurava a suspeita. Foi um pesadelo. O caso 174 é um exemplo de como não se deve atuar, em todos os aspectos", disse o advogado de Faria, João Tancredo.
O advogado Delano Cruz, que representa o pai de Geisa, radicado no interior do Ceará, lamentou o atraso na indenização. "Quinze anos depois, a família não recebeu nada, apesar de não caber mais recurso. É retrato da falta de efetividade das decisões judiciais. Houve erro da polícia, por isso o Estado foi condenado em 2012, mas nunca entrou em contato, não tem o menor interesse. Não paga e fica por isso mesmo, lamentavelmente." Geisa virou nome de escola em Fortaleza (CE), onde nasceu e foi sepultada, em funeral com cerca de 3 mil pessoas. Sandro foi enterrado como indigente, um mês após o sequestro. Com informações do Estadão Conteúdo.

Hackers acessaram dados de todos os funcionários federais dos EUA

© Fornecido por AFP Os hackers que acessaram a base de dados do governo americano têm em suas mãos informação pessoal de todos os funcionários federais do país
Os hackers que acessaram a base de dados do governo americano têm em suas mãos informação pessoal de todos os funcionários federais do país, advertiu nesta quinta-feira o sindicato dos empregados públicos.
A organização sindical enviou um e-mail às autoridades no qual afirma que os hackers acessaram os números de identificação - Social Security number - de todos os funcionários federais.
Na semana passada, o governo americano admitiu que hackers acessaram os dados de ao menos quatro milhões de funcionários e ex-funcionários do governo federal, em um ataque atribuído à China.
"Os hackers têm agora os dados pessoais de cada funcionário federal, de cada aposentado...", destaca o e-mail.
Segundo o presidente do sindicato, David Cox, os números de identificação não estavam codificados. Isto significa que existe uma "falha de segurança absolutamente escandalosa e indefensável", destaca o texto.
Os piratas podem ter obtido endereços, datas de nascimento, valor de salários e dados militares de todos os funcionários, afirmou o sindicato.
"O alcance exato desta invasão pontual segue sendo objeto de investigação do FBI e de especialistas técnicos", disse nesta quinta-feira Josh Earnest, porta-voz do governo.
O ataque foi o último de uma série de ações de hackers contra o governo dos Estados Unidos, e coloca em evidência as falhas de segurança nesta área.


ATUALIZADO 11/06/15

Mulher é baleada em tentativa de assalto em Botafogo no Rio

© Fornecido por Notícias ao Minuto
Na manhã desta quarta-feira (10), uma mulher foi baleada em Botafogo, na Zona Sul do Rio, durante uma tentativa de assalto.
Segundo o jornal Extra, Silvarina Santos Serafim Costa, de 24 anos, passava pelo local quando dois suspeitos rendiam um homem, que teria reagido e um dos bandidos atirou. Testemunhas contaram ter ouvido apenas um disparo, que acabou a mulher.
Silvarina foi socorrida em uma farmácia e, de lá, foi levada para a Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) de Botafogo e, depois, transferida para o Hospital municipal Miguel Couto, na Gávea, também na Zona Sul. O estado dela é estável.
Por meio de uma rede social, uma testemunha contou ter visto a correria e também que os suspeitos estavam bem vestidos: “Uma moça acabou de ser baleada, tiro na perna, em frente à Pacheco da São Clemente, ao lado do metrô. Foi socorrida na UPA. Ouvi o tiro e os dois caras passaram correndo por mim com a arma na mão. Bem vestidos, entraram num carro preto estacionado próximo. Da delegacia que fica na Bambina, rua em frente, não veio ninguém...”.
Ainda segundo as informações do jornal, as testemunhas informaram que os bandidos fugiram num carro.

Dilma deve gravar entrevista com Jô na sexta

© Foto: Roberto Stuckert Filho/Presidência da República Ainda não foi definido se a conversa será realizada no Palácio do Planalto, onde fica o gabinete da presidente, ou no Palácio da Alvorada, sua…
A presidente Dilma Rousseff deverá gravar nesta sexta-feira, 12, uma entrevista com o apresentador Jô Soares, em Brasília. Segundo o Broadcast Político apurou, ainda não foi definido se a conversa será realizada no Palácio do Planalto, onde fica o gabinete da presidente, ou no Palácio da Alvorada, sua residência oficial.
Jô Soares e a presidente Dilma Rousseff se encontraram no dia 18 de maio, no Palácio do Planalto. O encontro foi marcado depois de o apresentador criticar no seu programa de televisão manifestações favoráveis ao impeachment da presidente.
"Eu acho inacreditável, discordo frontalmente de cartazes de 'Fora Dilma', 'Fora FH', 'Fora Lula', como se presidente da República fosse técnico de futebol", disse Jô Soares no programa. 
A entrevista de Dilma ao "Programa do Jô" deverá ser gravada no final da tarde desta sexta-feira. 

Justiça ouve hoje menores suspeitos de estupro no Piauí

© Fornecido por Notícias ao Minuto
A Justiça do Piauí ouve hoje (11), em Teresina, os quatro menores suspeitos de participar do estupro e das agressões a quatro adolescentes no interior do estado, no fim de maio.  O caso ocorreu na cidade de Castelo do Piauí, a 180 quilômetros da capital. As meninas, com idade entre 15 e 17 anos, foram encontradas violentadas e inconscientes. Uma delas morreu domingo (7), outra permanece internada e duas tiveram alta médica.
Segundo o promotor de Justiça de Castelo do Piauí, Cesário Cavalcante, os menores respondem pelos atos infracionais análogos aos crimes de homicídio, três tentativas de homicidios - todos com agravante de feminicídio e tentativa de feminicídio -, associação criminosa e estupro. Os menores foram apreendidos em flagrante e estão internados em Teresina.
“Eu não tenho dúvida de que eles continuarão internados. Devem permanecer pelo prazo máximo de três anos. Todo o estado do Piauí está indignado, porque foi uma selvageria”, disse o promotor. Participarão da audiência, além dos menores e da Promotoria, os pais deles e os defensores públicos. As vítimas e testemunhas devem ser ouvidas em outra data, segundo Cavalcante.
Apesar de o caso tramitar na comarca de Castelo do Piauí, a audiência ocorre em Teresina porque a polícia não garantiu a segurança no prédio da Justiça no interior. “A população ainda está muito chocada, revoltada com tudo. Na época, a delegacia quase foi invadida, populares atearam fogo a pneus. Temíamos que o Fórum fosse invadido”, disse o gerente do Interior da Polícia Civil do Piauí, Williame Moraes.
Além dos menores, um adulto é suspeito de participar do estupro. Ele está preso e a data do julgamento ainda não foi marcada. Para o delegado responsável pelo caso, Laércio Evangelista, não resta dúvida de que os cinco participaram do estupro e das agressões. “Ficou provada a participação de todos por meio de depoimentos - como confissão dos menores e de testemunhas - e exames periciais”, disse.
No inquérito, conduzido pelo delegado, foram ouvidas duas vítimas e pessoas que ajudaram a socorrer as adolescentes. O laudo de local do crime foi entregue à polícia, faltando ser concluído o exame de DNA, que fará a comparação do material genético colhido dos suspeitos e das meninas logo após o crime.
As investigações mostraram que as quatro jovens foram estupradas, agredidas e arremessadas do alto de um penhasco, no último dia 27 de maio. As meninas haviam ido a um ponto turístico de Castelo do Piauí, cidade com cerca de 18 mil habitantes,
A Organização das Nações Unidas (ONU) Mulheres no Brasil e a Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM) lamentaram o episódio.
Para a ONU Mulheres, o caso chocou todo o Brasil e a América Latina pela crueldade com que as adolescentes “foram alvo da violência sexista, tendo seus corpos violados, torturados e mutilados”. A SPM expressou “todo apoio e solidariedade às vítimas, aos parentes e à população piauiense”. Com informações da Agência Brasil.

A sujeira das suas mãos fica bem mais interessante após ser cultivada em laboratório

© Reprodução
Crianças vivem colocando as mãos em todo lugar, o que normalmente é nojento e irritante. Mas se o lugar em questão for uma superfície esterilizada, que você pode incubar em uma placa de Petri, as coisas ficam bem mais interessantes.
A imagem acima foi criada por Tasha Sturm, que usou placas estéreis e meio TSA (ágar triptona de soja) para capturar a marca da mão do filho dela, com 8 anos, após uma sessão de brincadeiras ao ar livre.
Depois de ficar por um dia em uma incubadora de 37 graus, e então permanecer em temperatura ambiente por mais alguns dias, a placa adquire esse visual colorido e cheio de fungos e bactérias.
Você já lavou as mãos hoje, aliás?

MC Vertinho é preso acusado de estuprar jovem de 12 anos

© Fornecido por Notícias ao Minuto
O cantor de funk Everton da Silva Lima, 22 anos, conhecido como MC Vertinho, foi preso na última terça-feira acusado de estuprar uma garota de 12 anos durante um show realizado em 2012, em Recife, Pernambuco. O Extra divulgou que segundo a Polícia Civil, o acusado teria derramado whisky nos seios da menina e, em seguida, simulou uma relação sexual com a jovem, o que, pela legislação, já é considerado estupro.
Segundo a publicação, as imagens foram registradas em vídeo e divulgadas nas redes sociais na época do acontecimento, em 2012. O pai da jovem registrou ocorrência na Gerência de Polícia da Criança e do Adolescente (GPCA) de Pernambuco quando ficou sabendo do ocorrido.
O pedido de prisão foi expedido pelo Vara Regional da Infância e Juventude da 1ª Circunscrição. MC Vertinho foi encaminhado ao Centro de Observação e Triagem Professor Everardo Luna (COTEL), na Região Metropolitana de Recife, onde aguardará julgamento.
Segundo a legislação, mesmo que o ato sexual não seja consumado, praticar ato libidinoso com menor de 14 anos é caracterizado como estupro de vulnerável, cuja pena vai de oito a quinze anos de reclusão.


ATUALIZADO 10/06/15

Câmara aprova projeto que proíbe uso de animais em filmes pornográficos

© Fornecido por Notícias ao Minuto
A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira (9) parecer favorável ao projeto de lei que proíbe o uso de animais em filmes pornográficos. Se a proposta passar pelo plenário da Casa, o uso de animais e a comercialização, exibição e circulação de filmes do gênero estará sujeita a punição com multa.
"A nossa Constituição Federal protege a fauna no artigo 225 e essa lei está, pois, de acordo com o ordenamento jurídico. Mais do que a compatibilidade técnica e jurídica, esse projeto é um anseio da sociedade, que não tolera ver animais, que não optam por esse trabalho, serem explorados e violados sexualmente nessas práticas de zoofilia", argumenta o autor, deputado Ricardo Izar (PSD-SP), na justificativa do projeto 6267/2013.
De acordo com o texto, o infrator poderá ser punido com multa fixada pela autoridade local. O valor fixado será calculado levando-se em conta a gravidade do ato lesivo contra o animal e o lucro obtido pelos infratores.

Propostas não vão diminuir criminalidade, dizem especialistas

As propostas do PSDB para a redução da maioridade penal, apesar de alternativas à Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 171/93, ainda não parecem eficientes para diminuir a criminalidade no País, afirmam especialistas. Para Christiano Jorge Santos, professor de Direito Penal da PUC-SP, não há lógica em reduzir a maioridade apenas para crimes hediondos. 

“Quando se fala da redução se fala da imputabilidade, que significa estabelecer que uma pessoa está apta a receber uma pena, ela tem de ter consciência do caráter ilícito do fato”, explica Santos. “Diminuir a maioridade penal para um tipo de crime contraria frontalmente o estudo da imputabilidade. Significa que uma pessoa tem condição mental de avaliar que é errado praticar crime hediondo, mas não tem condição de avaliar que é errado praticar estelionato, que é muito mais complexo mentalmente”, diz.

Cláudio Langroiva Pereira, da mesma universidade, também é contra distinguir os crimes. “Fazer uma diferenciação entre o crime hediondo e o não hediondo para redução (da maioridade) foge da razão, porque nós percebemos que a inclusão de crimes como hediondos virou uma prática rotineira. Então, hoje o que não é hediondo talvez amanhã venha a ser, por causa dessa redução.”

Humberto Fabretti, do Mackenzie, defende que o direito penal não é a melhor solução para a criminalidade. “Aumento de punição e de tempo de internação são propostas baseadas em um ‘ato de fé’, porque se tem fé que a punição funciona. Mas não existe comprovação empírica nenhuma de que isso funcione”, salienta. “O Estado deixa de fazer o que ele precisa fazer, que é a construção de políticas públicas, e atua somente na esfera penal”, pondera.

A professora de Direito da FGV-SP Eloísa Machado considera positiva a apresentação de alternativas à redução da maioridade, porém, ressalta que as medidas pensadas pelo PSDB “não oferecem nada que já não se tenha de certa forma conseguido e avançado” com as leis vigentes. Para ela, outras questões devem ser avaliadas. “Para se pensar em respostas à prática infracional de adultos e adolescentes é preciso pensar no sistema como um todo, como em uma polícia que atue melhor. No sistema atual, essas medidas parecem retrocesso.”

Ranking traz 5 universidades brasileiras entre 10 melhores da América Latina

A Universidade de São Paulo (USP) voltou a liderar o ranking das melhores universidades da América Latina publicado pela Quacquarelli Symonds (QS), renomada empresa britânica especializada em avaliação educacional, após ter perdido a liderança em 2014 para a Pontificia Universidad Católica de Chile (UC).
Na lista deste ano, o segundo lugar ficou com a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e há outras três instituições brasileiras no top 10 do QS: a Universidade Federal do Rio de Janeiro (URFJ), que ficou em 5º lugar, a Unesp ficou em 8º e a Universidade de Brasília (UnB) ficou em 10º.
Como em anos anteriores, o Brasil continua a dominar o ranking, com 17 instituições entre as 50 melhores. Um comunicado da QS ressaltou o desempenho "particularmente impressionante" da Universidade de Brasília, que saltou sete posições no ranking deste ano.
O avanço da Universidade Federal do Paraná (UFPR) e da Universidade Federal de Santa Catarina também foram destacados. Ambas ganharam 17 posições e saltaram das posições 40º e 41º, para 23º e 24º, respectivamente.

Produtividade

O instituto também deu destaque para o fato de nove entre as 10 melhores instituições no quesito produtividade, ou seja, estudos publicados.
No entanto, o Brasil teve um desempenho inexpressivo no que concerne o impacto dessas investigações, que diz respeito ao número de vezes que esses estudos foram citados por outros papers.© Foto: Fornecido por BBC Diretor de pesquisa apontou que alto número de estudantes das faculdades da região são um problema, já que as universidades que lideram a lista geral, como Oxford (na foto), têm…
"As universidade do México, Argentina e Colômbia se destacam em certas áreas, mas seguem atrasadas na tarefa de conseguir uma consistência no desempenho geral, como as instituições do Brasil e do Chile", afirma Ben Sowler, diretor de pesquisas da QS.
"O alto número de estudantes por professor é um problema para várias instituições educacionais públicas da região."
De fato, as universidades que lideram o ranking geral da QS (divulgado no ano passado) têm bem menos alunos do que as brasileiras.
Os primeiros lugares do ranking mundial são ocupados por, respectivamente, MIT (com 11 mil alunos), Cambridge (18 mil), Imperial College (14 mil), Harvard (21 mil), Oxford (22 mil), enquanto a USP tem mais de 90 mil estudantes.
Realizado desde 2011, o ranking leva em consideração indicadores como produtividade, impacto dos estudos, presença online, proporção de professores com PhD e reputação acadêmica e dos funcionários.

Relator da maioridade quer presídio próprio para infrator de 16 a 18

Às vésperas da votação na comissão especial da Câmara dos Deputados, o deputado Laerte Bessa (PR-DF), relator da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que reduz a maioridade penal de 18 para 16 anos, apresentou seu relatório final. A novidade do parecer é a obrigatoriedade de separação de maiores de 16 anos e menores de 18 anos de adultos no sistema carcerário. Propõe-se ainda um referendo para o próximo ano.
Pela proposta, o cumprimento da pena para jovens nesta faixa etária deverá “observar finalidade educacional e ressocializante”. No texto substitutivo da PEC 171/1993, Bessa ainda segue a orientação do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e propõe a consulta popular por referendo, a ser realizada simultaneamente com as eleições que acontecerem após a publicação da nova legislação. © Fornecido por Estadão Cardozo e Alckmin. Gesto de petistas surpreendeu tucanos; partido tem quatro projetos sobre crimes juvenis
Conveniência
No relatório que será lido nesta quarta, Bessa argumenta que a redução da maioridade no Brasil é “meritória, conveniente e oportuna”. Segundo o parlamentar, jovens de 16 anos têm compreensão em relação à ilicitude de seus atos. 
Ele afirma que a mudança não afronta cláusula pétrea da Constituição ou tratados internacionais, aponta índices “endêmicos de criminalidade” envolvendo jovens de 16 e 17 anos e critica a “punição branda” da atual legislação. 
O relator vê também um “legítimo anseio da população brasileira de que os adolescentes paguem uma pena proporcional à lesividade de suas condutas ilícitas” e conclui que as políticas públicas faliram. “Diante do exposto, conclui-se que mais do que uma decisão de política criminal, a redução do marco de desenvolvimento biológico mínimo para a capacidade de culpabilidade para 16 anos é fruto de uma vontade da sociedade, devidamente escutada pela Câmara dos Deputados como caixa de ressonância dos legítimos anseios do povo brasileiro”, defende o relator. 
Votação
Bessa deverá enfrentar a insatisfação de deputados inconformados com a antecipação da votação do parecer. Os parlamentares contrários à redução da maioridade apresentarão requerimento pedindo que sejam cumpridas as 40 sessões para discussão do tema, já que foram aprovadas audiências públicas e visitas em instituições como a Fundação Casa (ex-Febem) de São Paulo. A apreciação do texto tende a ser concluída sem o cumprimento dessa programação. 
Para retardar a aprovação do parecer, deputados devem pedir vista, o que joga a votação para a próxima semana. O presidente da Câmara, favorável à mudança na legislação, avisou que colocará o tema em votação no plenário até o fim do mês. 
Aliados e oposição
A mobilização do Planalto incluiu uma reunião, nesta terça-feira, 9, do presidente em exercício Michel Temer com os ministros da Justiça, José Eduardo Cardozo; de Direitos Humanos, Pepe Vargas; e da Aviação Civil, Eliseu Padilha, além de líderes da base aliada. O governo quer encampar modificações no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) para evitar que a redução da maioridade passe no Congresso.
Nesta terça, o governo ainda voltou a negociar com a oposição um texto que seja capaz de derrotar o relatório que tem o aval de Cunha. Cardozo reuniu-se com o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB-SP), para tratar do assunto.Atualmente, o principal partido de oposição ao governo Dilma tem quatro propostas sobre o tema. Entre elas, está a do governador de São Paulo, que amplia o tempo máximo de internação de 3 para 8 anos, no caso de crime hediondo. 
Há ainda a proposta do senador José Serra (PSDB-SP), que defende a mesma tese de Alckmin, mas muda de 3 para 10 anos o tempo máximo de internação. Nesta terça, Cardozo anunciou que também se encontrará com Serra para ouvi-lo. Não há previsão, entretanto, de o senador Aécio Neves (PSDB-MG) ser chamado para entrar nesta agenda de discussão. 
O senador mineiro, presidente nacional do PSDB, também tem uma proposta apresentada em 2013, que torna crime hediondo e triplica a pena para quem usar criança ou adolescente para a prática de delitos. A proposta, se aprovada, tornará a corrupção de menores um crime hediondo e aumentará em até três vezes as penas hoje estabelecidas na lei. / DAIENE CARDOSO, ERICH DECAT, DANIEL CARVALHO, RICARDO DELLA COLETTA e RAFAEL MORAES MOURA


ATUALIZADO: 09/06/15

Greve geral na Argentina leva a cancelamento de voos em Cumbica

© Foto: Nacho Doce/Reuters Além de voos da TAM, foram foram suspensas partidas das companhias Aerolíneas Argentina e Austral bem como as viagens operadas pela Gol.
Quem iria viajar de avião nesta terça-feira (9) para a Argentina partindo do aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, teve de adiar a ida. Em razão da greve de 24 horas envolvendo várias categorias de trabalhadores argentinos, foram cancelados 21 voos, incluindo embarques e desembarques, segundo informou a GRU Aiport, concessionária que administra o terminal.
A TAM Linhas Aéreas cancelou nove voos programados ao longo do dia, dos quais quatro iriam decolar de Cumbica.
Um deles tinha como destino o terminal de Ezeiza e os demais, o Aeroparque.
Foram também suspensas as partidas das companhias Aerolíneas Argentina e Austral bem como as viagens operadas pela Gol, que tinha programado ao longo dia duas chegadas e três partidas.
Editor Talita Cavalcante

Ministro confirma segundo edição do Fies para este ano

O ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, anunciou na noite de segunda-feira (8) pela página do Facebook que haverá uma segunda edição do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) este ano.
De acordo com o ministro, será priorizada a formação de professores além de cursos da área de saúde e engenharia.
© Arquivo/Elza Fiúza/Agência Brasil O ministro da Educação, Renato Janine, fala durante cerimônia de assinatura de portaria que regulamenta o Canal da Educação (Elza Fiúza/Agência Brasil)
Janine disse que estabelecer prioridades “não significa excluir outros cursos! As prioridades partem do reconhecimento de nossas necessidades mais prementes”. 
O programa deverá seguir critérios adotados na primeira edição deste ano, de acordo com o ministro, vai priorizar os cursos com notas 4 e 5 nas avaliações do Ministério da Educação (MEC).
As notas vão até 5. Além disso, as regiões Norte e Nordeste “por suas necessidades especiais, serão também priorizadas”, diz a publicação.
A pasta vai anunciar em breve "datas e todos os detalhes, de forma transparente, o que é nosso dever e prazer”. A publicação, feita há pouco menos de uma hora tem mais de 1,3 mil curtidas. 
O Fies oferece cobertura da mensalidade de cursos em instituições privadas de ensino superior a juros de 3,4% ao ano. O estudante começa a quitar o financiamento 18 meses após a conclusão do curso. O programa acumula 1,9 milhão de contratos e abrange mais de 1,6 mil instituições. Na primeira edição deste ano, foram firmados 252 mil contratos.
Editor Aécio Amado

Alckmin diz que reza 20 vezes por dia pelo filho morto

© Fornecido por Notícias ao Minuto
O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, que perdeu o filho caçula Thomaz, 31, em um acidente aéreo, disse que sofre com a ausência do filho e que se apegou aos netos para suportar a dor.
Em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo, Alckmin disse que recorre à fé para lidar com a perda. "Tomei como hábito, quando vem aquela dor, rezar um pai-nosso. Estou rezando uns 20 por dia. Toda hora. Daí dá uma acalmada", disse ele.
O jornal ainda revela que, desde que Thomaz morreu, o governador tem no seu gabinete um porta-retratos com ele sorrindo e que também buscado conforto olhando para uma foto da neta Julia, filha caçula de Thomaz, de três meses.
Durante a entrevista, Alckmin revelou que em conversas com pessoas que também perderam seus filhos, ouviu de uma delas que passou a pertencer ao "clube do maior sofrimento do mundo".
Thomaz Alckmin morreu há três meses atrás, após o helicóptero em que estava a bordo cair em Carapicuíba (SP). As outras quatro pessoas que estavam na aeronave também morreram. O jovem era piloto, mas estava lá como tripulante convidado para participar de um voo experimental.

PM faz reintegração de comunidade Nelson Mandela, na Grande SP

A Polícia Militar realiza na manhã desta terça-feira, 9, a reintegração de posse da comunidade Nelson Mandela, próximo ao Rodoanel, na divisa entre Osasco e Barueri, na Grande São Paulo. Em protesto contra a ação, alguns moradores colocaram fogo em barracos. O fogo se alastrou, e o Corpo de Bombeiros precisou intervir. Não há registro de feridos.
A ação provocou também bloqueio no Trecho Oeste do Rodoanel nos dois sentidos, entre os quilômetros 16 e 6. A interdição do anel viário prejudicou o tráfego nas Rodovias Anhanguera, dos Bandeirantes e Castelo Branco. Por volta das 7h, a Anhanguera tinha 6 quilômetros de lentidão no sentido de São Paulo, do km 26 ao km 20. O Rodoanel foi totalmente liberados nos dois sentidos por volta das 8h30.
De acordo com o capitão da PM Márcio Souza, a reintegração ocorre dentro do esperado e não houve confronto entre moradores e polícia. Avisada sobre a reintegração de posse, a maioria dos ocupantes começou a preparar a mudança nos últimos três dias, afirmou.
"Isso está sendo conversado há meses com a população, e temos a ajuda de muitas corporações, como a polícia municipal, os oficiais de Justiça, os bombeiros e o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência)", disse o capitão. "Então, apesar de o problema social ser lamentável, estamos tentando fazer com que tudo transcorra bem."Polícia Militar cumpre reintegração de posse em terreno particular ocupado pela Comunidade Nelson Mandela, localizado em Osasco. O Corpo de Bombeiros combate o fogo provocado por moradores do local antes da saídaTV Estadão | 09.06.2015
Alguns moradores saíram da comunidade para evitar o confronto. É o caso da desemprega Renata Marcela, que deixou o local às 6h30, aos prantos, com o filho de um ano nas mãos. "Muita gente não saiu ainda porque não vai tem para onde ir, eu não sei o que vou fazer", disse.
O capitão Márcio prevê que a retirada dos cerca de 15 mil moradores da comunidade Nelson Mandela leve três dias. "A pressa aumenta a revolta das pessoas, então previmos isso no nosso planejamento", disse o porta-voz da PM.
Fogo
Dezenas de barracos foram queimados como forma de resistência, enquanto moradores observavam a reintegração de posse em um morro próximo ao local. Corpo de Bombeiros e funcionários do Samu acompanham a operação. Os primeiros tiros com bala de borracha puderam ser ouvidos por volta das 7 horas.
Por volta das 9h10, o caminhão do Corpo de Bombeiros ainda não havia controlado alguns focos de incêndio, pois não havia espaço para entrar com o caminhão da corporação.
Às 9h, a cavalaria já tinha se retirado da favela e a polícia coordenava a entrada e saída de vans para a mudança. Alguns moradores não sabiam para onde levar seus móveis.  Foi o caso do carteiro Edvan Souza, de 47 anos.
"O que eu acho errado é deixarem ocupar antes, para depois tirar a gente daqui" reclamou Souza. Quando se mudou para a ocupação, há oito meses, foi informado pela associação de moradores que o dono do terreno, a empresa Dias Martins S/A Mercantil e Industrial, faria um acordo para vender o espaço à comunidade. Há três meses, a Justiça acatou o pedido da empresa para reintegração de posse.
Natural de Ilhéus, na Bahia, ele disse que encontrou pouca oportunidade de emprego em São Paulo e pensa em voltar ao seu Estado. "E a gente ouve dizer que tem direito a moradia, educação e saúde. Está na lei, mas não tem nada disso", comentou o carteiro.
Preciso ver se eu não perdi tudo que tenho. Geladeira, televisão, está tudo lá embaixo", disse Damião Santos, operador que levou seus três filhos e a mulher a um barraco próximo à comunidade.
Na comunidade, com aproximadamente 200 mil metros quadrados e 3 mil barracos, viviam de 12 a 15 mil pessoas, segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP). A reintegração foi determinada pela juíza Ângela Moreno Pacheco de Rezende Lopes, da 2ª Vara Cível do Foro de Osasco, solicitada por Dias Martins S/A Mercantil e Industrial, proprietário da área.
Ainda de acordo com a SSP, a PM participou de reuniões com oficiais de Justiça e representantes de órgãos envolvidos na ação, como Conselho Tutelar, Secretaria Municipal de Obras de Osasco, Secretaria Municipal de Assistência e Promoção Social, Ministério Público, Defensoria Pública do Estado de São Paulo e Secretaria Municipal da Saúde.
A operação de reintegração de posse da comunidade Nelson Mandela começou com cerca de 15 minutos de atraso. A ação conta com pelo menos 170 policiais militares e três helicópteros.

‘Só tem Lula em 2018 se governo der certo’, diz líder

Às vésperas do 5º congresso do PT, caciques do partido passaram a fazer coro com a presidente Dilma Rousseff e saíram em defesa do ajuste fiscal promovido pelo ministro da Fazenda, Joaquim Levy, amplamente criticado por grupos petistas. Em entrevista ao Estado, o vice-presidente nacional do PT e líder do governo na Câmara, José Guimarães (CE), também defendeu o ministro e disse ser impossível dissociá-lo da presidente. "É uma imbecilidade separar o Levy do governo e o governo do Levy ou da Dilma. Não tem Dilma sem Levy", afirmou o petista, que pretende levar ao encontro do partido, no final desta semana, discurso de apoio aos cortes promovidos por Levy. 
Para Guimarães, equilibrar a economia é essencial para garantir as eleições de 2016 e 2018. O líder reconheceu erros do PT, defendeu que o partido adote uma plataforma "mais à esquerda" e protagonize debates polêmicos para o governo como a taxação de grandes fortunas. "O Estado brasileiro financiou todas as políticas sociais dos últimos 12 anos. Agora esgotou, não temos como prosseguir. O cobertor acabou".
© Fornecido por Estadão O deputado e vice-presidente do PT José Guimarães (SP)
Estado - Na pior crise da história dos 35 anos do PT, que partido sairá deste 5º congresso: mais governista ou mais independente do governo Dilma?
Penso que esse congresso tem de dar conta dos grandes desafios que temos de superar. É verdade que o PT vive o pior momento de sua história. A direita e setores conservadores conseguiram consolidar um grande desgaste da imagem do PT perante a sociedade. O PT falhou. Foi ineficiente e incompetente neste enfrentamento. Nos pegaram com calças curtas. Não dá para comparar com o Mensalão, não tem nada a ver. Tem um corolário de questões, são 12 anos de governo e quem governa tem desgaste. Tem algumas contradições entre o programa executado pelo governo e o programa partidário. O partido se afastou em demasia de sua base original, mas não se trata em voltar às origens. Tem de recuperar nossa base social histórica, atualizando o programa. Todos os partidos de esquerda que governaram no mundo, no meio do caminho, eles fracassaram. O PT tem tudo para não fracassar, desde que saiba superar este momento. Nós nos burocratizamos em demasia, adotamos na vida interna do PT, muitas vezes, as velhas práticas dos demais partidos, sem relação democrática com os diretórios municipais e o financiamento privado nas campanhas. O PT nasceu para ser diferente, não nasceu para ser igual aos outros. A sociedade aceita todas as patifarias que os outros fizeram, mas não aceita a do PT. Esse é a verdadeira crise que o PT está vivendo. Minha preocupação no momento não é com o governo, é com o PT. Já já o governo sai desse momento difícil. Governos passam e o PT fica. Temos de desburocratizar o PT, adotar mecanismos de controle interno, adotar auditoria interna para evitar malfeitos. Não vou identificar um ou outro, mas é o conjunto da obra. Ou adotamos mecanismos de incorporar a juventude nas nossas ações ou não tem saída. O PT envelheceu e temos de ter os jovens dentro do PT. Não é que o PT vai acabar, ninguém acaba o PT. Mas nós não podemos ser um partido qualquer. Quero um partido mudado, mas sem mudar de lado. 
Estado - A presidente Dilma disse que as críticas a Levy são injustas e que ele não pode ser tratado como "judas". Como controlar o movimento "Fora Levy"?
Não estou preocupado se vão vaiar o Levy. Coitado do Levy. Não existe Levy sem Dilma e Dilma sem Levy. O Congresso do PT não tem que estar preocupado com isso, tem que estar preocupado com o partido. Mas não temos como controlar o PT, o PT é assim. Em 2002, na aliança com José Alencar, vi muitos gritando fora Alencar. Temos de entender isso como insatisfações momentâneas. Não podemos perder o prumo. É uma imbecilidade separar o Levy do governo e o governo do Levy ou da Dilma. Não tem Dilma sem Levy. O ajuste é necessário não como fim em si mesmo. É o início de um fim. E qual é o fim? O crescimento. Temos de discutir o governo, mas personificar pessoas no governo não é o correto. 
Estado - A presidente se arrisca muito ao sair em defesa de Levy? Corre o risco de perder apoio do PT?
Não tem chance de a Dilma perder o apoio do PT. O PT jamais deixará de ser solidário com a Dilma. Tem uma ou outra crítica, mas qual o problema em ter? O que não pode é achar bode expiatório. Tem problema macroeconômico? Tem, mas não venha atribuir ao Levy, porque quem indicou o Levy foi a Dilma. A mesma coisa da aliança. Sem ela a gente não governa. A gente tem é de requalificar essa aliança, que está meio falida, mas não ter de se acabar. A gente tem de ter a governabilidade. 
Estado - A atuação do ex-presidente Lula para reverter as críticas a Levy não está vindo muito tarde?
O Lula sempre defendeu, agora ele está mais explícito. Ele sempre defendeu a Dilma e, evidentemente, o Levy. Nós temos de defender o ajuste como o único caminho possível para retomada, não para ser um fim em si mesmo. Por quê? Nós erramos, fizemos uma política de desoneração correta para os setores estratégicos, principalmente para a indústria de exportação, mas, depois, erramos na dose, empurramos tudo. Essa política de desoneração desenfreada deu no que deu. Agora tem de corrigir, mas como é que equilibra? O ajuste é duro, não retirou direito, corrigiu distorções e agora teremos uma outra agenda para retomar. Foi assim que o Lula fez. Foi pau no Palocci. Ninguém lembra disso? O Lula patrocinou o maior programa de distribuição de renda. Essas medidas amargas numa economia capitalista precisa delas para poder retomar. É saber dosar e identificar os setores que não podem sofrer cortes. As medidas do ajuste fiscal foram mal anunciadas. As medidas foram de correções. 
Estado - A proposta de taxação das grandes fortunas pode prosperar neste Congresso?
O Estado brasileiro financiou todas as políticas sociais dos últimos 12 anos, o Estado foi pai e mãe de tudo. Agora esgotou. Não temos como prosseguir, nem temos mais recursos para avançar nessas políticas porque o cobertor acabou. Só tem uma saída que as grandes economias do mundo fizeram: colocarmos o dedo na ferida das questões que nunca fizeram com medo. Tipo reforma tributária, taxar as grandes fortunas e heranças, criar uma contribuição social para a saúde, vinculando a saúde aos entes federados. Só tem esse jeito. Por que não discutir isso?
Estado - Se o governo encampar essa proposta da taxação de grandes fortunas ele pode reconquistar essa base da qual o partido se distanciou?
Nos momentos de crise, todos precisam doar-se. Não é só o problema de se recompor com a base social. É necessário porque, senão, o Brasil não tem dinheiro para fazer seus investimentos. Fizemos a revolução social nos governo Lula e primeiro mandato da Dilma. As pessoas agora têm outras aspirações: universidade em todo canto, Fies em todo canto. Como vamos fazer isso? Tem que tirar do andar de cima. O andar de cima que nenhum governo teve coragem de mexer desde os militares.  
Estado - O senhor acredita que agora é o momento de o PT resgatar a proposta de Constituinte exclusiva para a reforma política?
O PT tem que ter uma plataforma independente do governo. Vou chegar no 5º Congresso dizendo isso. Uma plataforma à esquerda, que fique à esquerda do governo para ajudar o governo, para tensionar, sustentar e defender o governo, mas com propostas ousadas que até agora não teve como implementar. A democracia está numa encruzilhada. Este modelo atual de financiamento de campanha compromete a democracia e os partidos. Também não tenho ilusão com este Congresso. Temos que zerar o jogo. Termina isso e já já o PT puxar como plataforma de mobilização social uma Constituinte exclusiva para debater a reforma política. 
Estado - Esta plataforma à esquerda não entra em choque com o governo?
Qual o problema? O governo não tem força para bancar o projeto das grandes fortunas. Qual o problema de o PT assumir a liderança? 
Estado - Isso não isola a presidente?
Não. Qual o papel do PT? É ser protagonista das propostas do governo, sobretudo daquelas mais ousadas.  O PT tem que mudar o comportamento em relação ao governo. Tem que tensionar. O PT precisa ter sua plataforma própria, independente do governo. O PT vota, sustenta o governo. Agora, ele tensiona para o governo avançar.  O PT tem que liderar a coalizão, nas ideias e na sustentação. Não pode ficar sem ter ideias. E o congresso do PT tem que colocar o carro na frente, radicalizar, no bom sentido, mudar sem mudar de lado.
Estado - Como fazer para que a presidente não fique isolada ao tomar medidas de ajuste fiscal, fazer concessões?
Como se resolve? Como fizemos com Lula. Votar 100% com ela aqui dentro (no Congresso), ainda que as medidas sejam amargas e tensionar na relação com a sociedade para tomar outras medidas.
Estado - Então existe um PT para a sociedade e um outro PT no Congresso?
É claro que o governo tem que sustentar o governo aqui dentro e tem que ter o PT dialogando com a sociedade, atuando nas duas vertentes. 
Estado - Mas isso não é contraditório?
Pode ser, mas quando você tem uma estratégia bem definida, não é.
Estado - O senhor acredita que esta recuperação do PT vai se dar com o carro em movimento ou é preciso se recolher?
Em movimento. É na crise, na tensão. Não pode se recolher. Debate conjuntura, reforma suas instâncias, retoma diálogo com a base, incorpora segmentos da juventude.  
Estado - O PT tem quadros para 2018, fora o ex-presidente Lula?
Acho que tem. Essas projeções precipitadas não dão em lugar nenhum. A Dilma está começando. Tem quatro anos de governo ainda. Tem tempo de sobra para se recuperar. Falta muito tempo para 2018. Tem vários nomes: (Aloízio) Mercadante (ministro da Casa Civil), Jaques Wagner (Defesa), (Fernando) Haddad (prefeito de São Paulo), dependendo do desempenho dele em São Paulo. E podemos discutir o candidato dos aliados também. Por que não?
Estado - O PT cogita ceder a cabeça da chapa presidencial?
Nem se cogita e provavelmente alguns vão dizer que estou fazendo loucura. Mas por que não? 
Estado - Existe espaço para diálogo com o PMDB?
Tem que ter. Tem que chamar o Renan (Calheiros, presidente do Senado) e o (Eduardo) Cunha (presidente da Câmara), e dizer o seguinte: qual o rumo? Vocês querem chegar aonde? Tem que sentar e conversar. Tem outra governabilidade que o governo precisa se dar conta, a governabilidade social. O governo tem que agir com os movimentos sociais. Esta foi a base central que sustentou o governo Lula na época da ação penal do mensalão. Tem que dialogar e introduzir uma pauta deles no governo. E o terceiro eixo: o PT, enquanto partido de esquerda, tem que ajudar a formatar uma frente de esquerda, uma frente ampla de mobilização por reformas profundas na sociedade brasileira.
Estado - Diante da crise vivida hoje pelo partido, como o PT pode atuar para não sair ainda menor em 2016?
O caminho é fazer essas mudanças que estou falando agora. Temos que fazer uma coisa para ganhar a eleição: economia voltar a crescer. Se a economia estiver bem, tudo mais se resolve. No centro de qualquer disputa eleitoral, o que pesa mesmo é a economia. Não é corrupção. Até agosto você vai ver o clima. Essa agenda do governo está muito forte. O governo saiu das cordas e está tomando iniciativas positivas para o País.
Estado - Nas últimas semanas algumas correntes divulgaram cartas. Dilma será bem vinda ao congresso do PT?
Se a Dilma for ao congresso, ela será aplaudida de pé. Conheço o PT. Quando Lula fez a reforma da previdência, vi o pessoal quebrando tudo aqui dentro, xingando a bancada. (Mas), quando chegava aos congressos do PT era ovacionado.
Estado - Mas Lula tem um discurso e um carisma que Dilma não tem.
Não vai estar lá a base do PT. Vão estar os principais dirigentes. É do Guimarães para cima. Ela vai ser aplaudida de pé. Vai ter gente que pode até botar uma faixinha lá canto "Fora Levy", é um direito. Mas, quando ela chegar, vai ser aplaudida de pé. Anotem e vocês me cobrem. Só tem Lula em 2018 se tiver Dilma em 2016, 2017, se o governo der certo. E vai dar. O pior já passou.


Atualizado 26/05/15

Jurista do PSDB diz que estratégia mudou, mas fim é o mesmo: tirar Dilma

Um dos mais importantes juristas do país, o advogado e professor de Direito da USP Miguel Reale Jr. exerceu influência num dos momentos mais importantes da história recente do Brasil, ao ajudar a redigir a petição de impeachment do ex-presidente Fernando Collor de Mello, em 1992.
Nesta terça-feira, ele volta aos holofotes como redator de outra petição - a ser entregue ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot -, que acusa a presidente da República, Dilma Rousseff, de crimes contra as finanças públicas e de falsidade ideológica.
Ex-ministro da Justiça do governo Fernando Henrique Cardoso, Reale Jr. acompanha a cúpula do PSDB há décadas e tem manifestado fortes críticas ao governo, dizendo que Dilma deveria renunciar ao cargo, embora tenha aconselhado os tucanos a não darem prosseguimento ao pedido de impeachment.
"Não foi um recuo. Foi uma questão de estratégia, de saber qual era o melhor caminho neste instante. Muito pelo contrário, o processo criminal é mais grave do que o impeachment", disse em entrevista à BBC Brasil.
A base da acusação são as "pedaladas fiscais". Em auditoria realizada pelo Tribunal de Contas da União (TCU), apontou-se que, no ano passado, o governo atrasou repasses para bancos públicos, como a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil para o pagamento de benefícios sociais como Bolsa Escola e Bolsa Família. Os bancos pagam em dia, e cobraram juros, o que configuraria empréstimo de banco público ao Tesouro, prática proibida pela Lei de Responsabilidade Fiscal.
Veja os principais trechos da entrevista:
BBC Brasil - A pedido do PSDB, em seu parecer o senhor não identificou subsídios jurídicos para um pedido de impeachment, mas, nesta terça-feira, os partidos de oposição entram com pedido de ação penal por crime comum, redigido pelo senhor, contra a presidente Dilma Rousseff. Caberá ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, arquivar ou enviar o pedido ao STF. Como se deu essa guinada de estratégia?
Miguel Reale Jr. - Diante da complexidade e a chance de arquivamento de um pedido de impeachment, nos atentamos para a possibilidade da ação por crime comum, presente no Código Penal. Por isso todos os partidos de oposição estão entrando nesta terça-feira com um pedido para apuração da responsabilidade da presidente da República por crime comum, que não tem o obstáculo de só poder ter ocorrido no mandato atual da presidente. Estamos falando das "pedaladas fiscais" como base da acusação nesta petição.
A população talvez não se dê conta da importância desses fatos, mas as "pedaladas" impactaram as finanças públicas e é o controle das finanças públicas que impede a inflação e a estagnação econômica. E houve a mais absoluta irresponsabilidade, porque ao não ter dinheiro para cumprir com seus compromissos mais importantes, como Bolsa Família, Seguro Desemprego e Minha Casa, Minha Vida, o governo se valeu de empréstimos que contraiu com as entidades financeiras que o próprio governo dirige, o que já é crime por si só, pois a lei proíbe isso.
Tudo isso prejudicou as contas públicas, e foi maquiado, caracterizando também um crime de falsidade ideológica ao deixar-se registrar esses empréstimos como despesas, criando assim um superavit primário. Foi um superavit fictício.
Isso permitiu dizer, na campanha eleitoral do PT, que tudo corria bem, e que o país seria alvo de investimentos e de crescimento do PIB, sem inflação. E o que aconteceu foi exatamente o contrário. A petição se baseia no artigo 359, de crimes contra as finanças públicas, e no artigo 299, de falsidade ideológica, ambos do Código Penal. A população tem que se conscientizar de que essas "pedaladas fiscais" não são um mero problema contábil, e sim um problema muito próximo.
BBC Brasil - Entre os movimentos sociais pró-impeachment há críticas ao PSDB, por ter "voltado atrás" ao decidir entrar com uma ação penal comum, e não um pedido de afastamento da presidente. Como o senhor se posiciona? E por quê o pedido de ação penal é apresentado ao procurador-geral da República?
Reale Jr. - Esta ação de crimes comuns tem na verdade o mesmo efeito do impeachment, que é o afastamento da presidente de suas funções enquanto o processo é julgado, caso seja aceito. A acusação será entregue nesta terça-feira ao procurador, e ele tem a possibilidade de arquivá-la ou encaminhá-la ao STF. Ao encaminhá-la ao STF, os ministros da Suprema Corte têm que requerer autorização da Câmara para processar a presidente. Dada a autorização por votação com dois terços dos parlamentares, a presidente fica 180 dias afastada do cargo.
Então o efeito é o mesmo, e portanto estão enganados aqueles que dizem que o PSDB voltou atrás. Nós fizemos aquilo que é o mais aconselhável neste momento, até porque o impeachment não fica proibido de ser interposto, mesmo porque novos fatos estão ocorrendo a todo instante, com os novos desdobramentos dos depoimentos da Operação Lava Jato.
BBC Brasil - O senhor diria então que o PSDB não recuou após o parecer em que o senhor desaconselhou o partido a entrar com pedido de impeachment?
Reale Jr. - Não. Não houve recuo. Foi uma questão de estratégia, de saber qual era o melhor caminho neste instante. Não é um recuo. Muito pelo contrário, o processo criminal é mais grave do que o impeachment. Mas como isso ficou na cabeça das pessoas, vulgarizado, passou-se a achar que era uma coisa muito simples. Não é bem assim. Para começo de conversa, para o impeachment, é necessário ter-se o apoio de dois terços da Câmara e do Senado.
E depois há muita diferença entre chegar ao Congresso um pedido de impeachment de um partido, ou de um grupo de juristas, e chegar um pedido do Supremo Tribunal Federal, movimentado pelo procurador-geral da República. O presidente da Câmara pode arquivar esses pedidos facilmente. Agora com um requerimento do Supremo, o peso é muito maior para que ele coloque em votação. Ele pode rejeitar, mas não pode arquivar. Um pedido do STF para que a presidente seja processada é algo muito forte.
BBC Brasil - Quais devem ser as chances reais deste pedido de investigação da presidente da República ser aceito e começar a tramitar em Brasília?
Reale Jr. - Veja bem, procurando ter um distanciamento do trabalho que eu mesmo revisei, eu acho que a petição de representação por crime contra a presidente está muito bem fundamentada. Não se trata de algo político. Não é uma peça política. Trata-se de uma peça técnica, jurídica, fundamentada em laudos e pareceres do Tribunal de Contas da União (TCU). É uma petição muito consistente, e acho difícil que venha a ser arquivada pelo procurador.
BBC Brasil - Caso seja processada, como a presidente se defende das acusações?
Reale Jr. - Neste caso a presidente apresenta sua defesa, com um advogado, perante a Câmara dos Deputados, no sentido de evitar que a acusação seja acolhida. Ela se apresenta e se defende no Congresso, mas quem julga a ação é o STF. Havendo condenação, não é necessário impeachment, ela é afastada do cargo de forma permanente tão logo seja proferido tal veredicto pela Suprema Corte.

Sargento é preso por avisar traficante de operações por SMS

© Fornecido por Notícias ao Minuto
Um sargento da Polícia Militar do Rio de Janeiro foi preso na segunda (25), suspeito de avisar, através de mensagem de texto, traficantes de uma comunidade de Cabo Frio sobre operações policiais na região.
De acordo com o jornal Extra, a informação foi confirmada pela assessoria de imprensa da corporação. Robson Zamezi de Luna foi encaminhado para a 126ª DP (Cabo Frio). Os agentes descobriram a comunicação após a prisão de Josimar Freire Ferreira, conhecido como Tutu e apontado como o segundo homem na hierarquia do tráfico em Rainha da Sucata.
O suspeito recebeu uma mensagem de texto de um número que foi reconhecido como sendo do sargento. Tutu, então, relatou aos PMs que costumava pagar um policial em troca de informações sobre operações. Para confirmar as suspeitas, os agentes responderam a mensagem como se fossem Tutu. Ao chegar ao local, Robson foi preso. No celular dele foram encontradas várias conversas do sargento com Tutu, muitas com informações sobre operações policiais e encontros. Em uma delas, estava escrito: “Aí, primo, coronel na pista com a P-2 (Serviço Reservado da Polícia Militar). Fica ligado”.

Mesmo com burca, mulher é expulsa de shopping por "indecência"

Uma mulher foi expulsa de um shopping na Arábia Saudita pela polícia por mostrar uma parte do corpo que foi considerada “indecente”: as mãos.
Um vídeo captado pelas câmaras de vigilância mostra o momento em que um homem grita com a mulher, que estava completamente coberta por um Niqab, a tradicional burca.
Segundo o Daily Mail, este homem faria parte de uma força policial religiosa conhecida como ‘Comissão de Promoção da Virtude e da Prevenção do Vício’, famosa no país por impor uma interpretação rígida da lei islâmica.
“Vá embora. Não diga nada. Ponha umas luvas”, ordenou o homem, impedindo a mulher de entrar numa loja. Alguns veículos de comunicação locais sugerem ainda que a mulher foi barrada por ter sido vista sentada muito perto de um lojista.

Polícia Federal prende no Recife líder da máfia italiana Camorra

BRASÍLIA - A Polícia Federal prendeu na manhã desta terça-feira, 26, no Recife Scotti Pasquale, o mafioso italiano mais procurado no País. Líder da máfia italiana Camorra Napolitana, ele foi condenado à prisão perpétua pela Justiça italiana e estava foragido há 29 anos.
Pasquale teve sua prisão decretada em 1991, após condenação pela prática dos crimes de porte ilegal de arma de fogo, resistência, extorsão e mais de vinte homicídios. Os crimes foram cometidos entre 1980 e 1983. Os integrantes da máfia liderada pelo italiano usavam armas de fogo, intimidação e ameaças.Scotti Pasquale teve sua prisão decretada em 1991, após condenação pela prática de diversos crimes entre 1980 e 1983Divulgação© Fornecido por Estadão Scotti Pasquale teve sua prisão decretada em 1991, após condenação pela prática de diversos crimes entre 1980 e 1983
A Organização Internacional de Polícia Criminal (Interpol) conseguiu chegar ao mafioso por meio de comparação de digitais que comprovou que ele usava falsa identidade no Brasil, com o nome Francisco de Castro Visconde. O mafioso tinha até cadastro de pessoa física (CPF) e título de eleitor obtidos ilegalmente e se apresentava como empresário na capital pernambucana.
O Supremo Tribunal Federal (STF) determinou a prisão de Pasquale menos de 24 horas após a Interpol formular o pedido. A partir de agora, as autoridades italianas darão início ao processo de extradição do mafioso.O mafioso tinha até CPF e título de eleitor obtidos ilegalmente e se apresentava como empresário na capital pernambucanaPolícia Federal/Divulgação



Atualizado: 19/05/15

Loterias sorteiam hoje mais de R$ 8 milhões

Nesta terça-feira (19) ocorre os sorteios da Dupla-Sena com prêmio de R$ 4,1 milhões, Quina, com R$ 2,8 milhões e Timemania, com R$ 1,3 milhão. Juntas elas sorteiam um valor total de R$ 8,2 milhões.

Os sorteios ocorrem na cidade de IPORÁ/GO, na Av. XV de Novembro Q 100-B Lt05-A no Centro às 20h00. As apostas podem ser feitas de todas as casas lotéricas e também de alguns sites de serviços lotéricos.
A loteria com o prêmio mais alto de hoje é a Dupla-Sena, concurso 1386, que sorteia o prêmio de R$ 4,1 milhões. No concurso passado ninguém levou a Sena (1º sorteio) com os números: 02 - 27 - 28 - 36 - 46 - 47. Mas 118 apostas fizeram a Quina (1º sorteio) levando R$ 1.640,29, enquanto 3389 fizeram a Quadra (1º sorteio) e levaram R$ 54,39 cada.
Já no 2º sorteio da Dupla-Sena, uma aposta acertou a faixa principal com os números 02 - 07 - 13 - 14 - 16 - 21 e levou R$ 258.072,36. Neste mesmo concurso 88 apostas fizeram a Quina (2º sorteio) e levaram R$ 2.199,48, enquanto 4286 fizeram a Quadra (2º sorteio) e levaram R$ 43,00.
A Quina, concurso 3791, também está acumulada e sorteia R$ 2,8 milhões. No concurso passado os números sorteados foram: 02 - 08 - 23 - 69 - 75. Ninguém levou o prêmio principal, mas 87 apostas fizeram a Quadra e levaram R$ 6.173,94, enquanto 6413 acertaram o Terno e receberam R$ 119,65.
Com o prêmio mais baixo de hoje, mas também na casa do milhão, a Timemania em seu concurso 727 sorteia R$1,3 milhão.
No concurso passado ninguém levou o prêmio principal com os números 03 - 09 - 10 - 66 - 68 - 70 - 77. Com as 6 dezenas corretas, 7 apostas levaram R$ 11.895,07. Já com 5 acertos, 141 apostas levaram R$ 843,62. 
Nos prêmios mais baixos, 2817 apostas fizeram 4 pontos levando R$ 6,00, enquanto 28763 acertaram 6 pontos e receberam R$ 2,00. Os 10948 apostas que acertaram o Time do coração (Santa Cruz/PE) levaram para casa R$ 5,00.

Eike Batista recupera carros de luxo 

após apreensão de bens

ONFIRA POLÊMICAS DA FAMÍLIA BATISTA!

Ao que parece, Eike Batista está conseguindo recuperar aos poucos seus bens apreendidos pela Justiça no mês de fevereiro.
Isso porque, na última segunda-feira (18), um carro modelo Lamborghini, avaliado em cerca de R$ 2 milhões, voltou para a garagem do empresário, no Jardim Botânico, no Rio de Janeiro.

Cunha veta divulgação de evento LGBT na Câmara, acusa Wyllys

O deputado federal Jean Wyllys (PSOL-SP) está acusando o presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ) de vetar a divulgação de um seminário LBGT que acontece na quarta e quinta-feira desta semana na Casa. Cunha nega.

“Pela primeira vez em doze anos, o Seminário LGBT do Congresso Nacional não terá os convites oficiais enviados pela presidência e não será publicizado pelo site oficial da Câmara dos Deputados”, afirmou Wyllys em sua página no Facebook.

No entanto, ao contrário do que diz o deputado, a seção de notícias do site da Câmara traz um texto divulgando o evento. A nota foi publicada às 9h da manhã, portanto, cerca de onze horas antes do post de Wyllys na rede social. 

Segundo a assessoria de imprensa de Eduardo Cunha, os veículos de mídia daCâmara dos Deputados irão transmitir ao vivo o seminário e que os convites oficiais não são enviados pela presidência já que “não é uma posição da Câmara”. 

Wyllys afirma que Cunha teria até proibido cartazes do evento nas dependências da Câmara – os panfletos, contudo, teriam sido afixados antes da medida, segundo o deputado. De acordo com a assessoria de imprensa de Cunha, uma decisão de 2013 da presidência proíbe a entrada de pessoas na Casa portando cartazes ou banners. 

O deputado do PSOL sugere que o presidente da Casa estaria incomodado com a imagem do evento que mostra a cantora Daniela Mercury e a esposa, Malu Verçosa. 

“Ele fez de tudo para censurar o beijo. Primeiro, falou que era necessária uma autorização de uso da imagem assinada por Daniela, mesmo ela tendo divulgado a arte no seu site oficial. Daniela enviou a autorização por escrito, mas mesmo assim, ele disse não”, afirma o parlamentar. Eduardo Cunha nega.

Segunda quinzena de maio será seca sobre o Cantareira

O nível de armazenamento de água do sistema Cantareira está estável em 19,8% há 48 horas. Segundo a Sabesp choveu muito fraco nas últimas 24 horas em todos os mananciais que a abastecem a Grande São Paulo. A maior quantidade de chuva, 3,6 mm, caiu sobre o sistema Rio Claro. O Cantareira recebeu apenas 0,4 mm de chuva. A última chuva forte recente ocorreu entre os dias 10 e 11 de maio quando choveu 23,5 mm.

Desde meados de março, a frequência de eventos de chuva forte sobre os mananciais que abastecem a Grande São Paulo diminuiu bastante. Tem chovido menos também sobre o Cantareira. Durante o mês de abril choveu 45,3 mm, sendo que a média histórica é de aproximadamente 88 mm. Em 14 dias de maio, pela medição da Sabesp, o Cantareira recebeu 35,5 mm. A média de chuva para maio fica em torno de 78 mm.
Previsão de pouca chuva
O tempo seco vai predominar sobre o Cantareira e os outros mananciais da Grande São Paulo nos próximos 15 dias. A chance de chover forte até o fim do mês é muito baixa. Sem chuva,  o nível do reservatório deve ter várias quedas durante a segunda quinzena de maio.
Dívida hídrica
O nível de 19,8% ainda está abaixo do limite mínimo do volume normal de capitação de água (volume útil). O volume de água atual ainda é da reserva técnica. O maior nível de armazenamento alcançado até agora com a chuva do verão de 2015 foi de 20,1%. Este nível foi atingido em 21 de abril e se manteve até 27 de abril. No dia 28 de abril, o nível de Cantareira baixou para 20,0%, a primeira queda depois de 85 dias consecutivos de estabilidade e elevação.


Taxa de mortalidade por armas de fogo é maior em quase 10 anos no Brasil

A taxa de mortalidade por disparo de armas de fogo atingiu em 2012 o maior nível em quase 10 anos no Brasil devido a um salto no número de homicídios, apontou uma pesquisa divulgada nesta quarta-feira, e o principal grupo de vítimas é formado por homens jovens, negros e pobres.
O Mapa da Violência revelou que a taxa, que leva em conta o crescimento da população, ficou em 21,9 óbitos para cada 100 mil habitantes em 2012, ano mais recente da série histórica da pesquisa, que começou em 1980. É a segunda taxa mais alta já registrada, abaixo apenas de 2003, quando chegou a 22,2 mortes.
Em números absolutos, 42.416 pessoas morreram atingidas por armas de fogo em 2012, ou 116 óbitos por dia, bem acima da quantidade de vítimas de 40 conflitos armados atuais no mundo ou das mortes por Aids registradas no país no mesmo período.
"Vivemos em situação de guerra", afirmou à Reuters o sociólogo Julio Jacobo Waiselfisz, autor da pesquisa, feita em parceria com a Unesco no Brasil, a Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (FLACSO) e órgãos do governo brasileiro.
Os homicídios, ocorridos principalmente nas periferias onde há "baixa capacidade de acesso a bens e serviços da sociedade", alavancaram o número de mortes, representando 94,5 por cento do total. O estudo também considerou outras ocorrências envolvendo armas de fogo, como acidentes, suicídios e causalidades indeterminadas.
"Tanto o total de vítimas de armas de fogo quanto o número de assassinatos praticados com armas de fogo são os mais altos já registrados no país pelo Mapa da Violência", diz o relatório da pesquisa.
Entre 1980 e 2012, houve um crescimento de 387 por cento de mortes por armas de fogo, considerando que a população brasileira cresceu, no mesmo período, 61 por cento. Os homicídios aumentaram 556,6 por cento, enquanto que os suicídios subiram 49,8 por cento. As mortes acidentais caíram, no entanto, 26,4 por cento.
Em 2012, a região Nordeste foi a mais violenta, com 31,5 óbitos para cada 100 mil habitantes, seguida por Norte (23,9), Centro-Oeste (26,5), Sul (18,4) e Sudeste (15,4).
Alagoas foi o Estado com a maior taxa de mortos por armas de fogo em 2012, com 55 óbitos para cada 100 mil habitantes, seguido por Espírito Santo, Ceará, Bahia e Paraíba. Na outra ponta, Roraima registrou a menor taxa, seguido de Santa Catarina, São Paulo, Piauí e Acre.
Entre as capitais, Maceió liderou o ranking das mais violentas, com 79,9 óbitos para cada 100 mil habitantes, seguida de Fortaleza, João Pessoa, Salvador e Natal. Já Boa Vista, Palmas, Florianópolis, São Paulo e Campo Grande aparecem com as menores taxas. O Rio de Janeiro foi a cidade que obteve a maior queda no índice, de 68,3 por cento.
O estudo apontou que as armas de fogo vitimaram em 2012 proporcionalmente 142 por cento mais negros do que brancos e que 94 por cento do total de vítimas foram homens.
Juventude ameaçada
Apesar de muitas vidas terem sido poupadas nos últimos anos devido a políticas de controle de armas decorrente da aprovação do Estatuto do Desarmamento, os jovens ainda continuam sendo as principais vítimas.
Do total de mortos por disparos em 2012, 24.882 eram jovens na faixa de 15 a 29 anos, ou 59 por cento. Enquanto a taxa de mortalidade por armas de fogo da população geral ficou em 21,9, entre os jovens essa proporção saltou para 47,6 mortes, os mais altos já registrados pelo Mapa da Violência desde 1980.
"Arma de fogo mata, não é feita para convencer o próximo, é feita para matar... Não é uma arma para defender, é uma arma para matar. Um dos dois vai morrer, ou os dois", afirmou o sociólogo.
Waiselfisz defendeu reformas do código processual penal "arcaico que favorece a impunidade", no sistema penitenciário e na educação, sem as quais é impossível o Brasil combater esses índices crescentes.
"Estamos negligenciando muitos dos fatores que podem levar à diminuição dos níveis de violência e de homicídio no Brasil... A nossa educação não está conseguindo colocar as crianças na escola", afirmou o sociólogo.
Quando questionado sobre o recente debate sobre a redução da maioridade penal e a suspensão do Estatuto do Desarmamento, ele afirmou que a falta de políticas públicas efetivas pode levar a população a "querer fazer justiça com as próprias mãos".
"Sabíamos que o desarmamento era condição necessária, mas não o suficiente para fazer a taxa de homicídio cair...", afirmou Waiselfisz.
"Isso vai ser um retrocesso civilizatório."

Jovem escreve brincadeira no ENEM e tira 600 pontos na redação

O jovem paraibano Francinaldo Guedes Pereira ficou surpreso ao acessar o espelho da redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2014. O estudante descobriu que tirou 600 pontos na redação mesmo após ter escrito uma brincadeira sobre a data do aniversário dele. Para Francinaldo, a nota que lhe foi atribuída não foi justa com outros candidatos que se dedicaram mais que ele.
Na redação, o adolescente escreveu: "Esse tipo de propaganda no Brasil é permitido, são proibidos em alguns países porque a propaganda infantil é vista como atração de crianças a despertarem um querer pelo produto proposto. Que tem essa finalidade porque é meu niver". O aniversário dele foi no mesmo dia da prova, 9 de novembro.
O G1 entrou em contato com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anisio Teixeira (Inep), órgão do MEC responsável pelo Enem, mas foi informado de que qualquer questão sobre o Enem só será respondida em uma coletiva de imprensa na tarde desta quinta-feira (14).
Francinaldo teve cada uma das cinco competências que são avaliadas no Enem pontuadas com a mesma nota: 120 pontos. A nota máxima em cada competência é 200 pontos. O adolescente afirmou que a frase que ele incluiu na redação deveria ser motivo suficiente para que ela fosse anulada, uma vez que no edital do exame consta que a redação “que apresente parte do texto deliberadamente desconectada com o tema proposto” será considerada nula.
O jovem  disse que fez o Enem no ano passado apenas para testar os conhecimentos, porque está cursando o 3º ano do ensino médio apenas neste ano. O estudante acredita que vários outros erros em redações possam ter passado despercebidos pelos corretores. "Dentre milhões de redações há poucos corretores. Sendo passado despercebido esse meu erro, é quase certeza ter erros em todas as edições do exame", disse Francinaldo ao G1.
O adolescente paraibano mora no município de Aguiar, no Sertão da Paraíba, e explicou que vai levar o Enem a sério em 2015 e não vai repetir a brincadeira. Ele ainda não tem certeza sobre qual curso escolher, mas está pensando em tentar uma vaga para o curso de sistemas de informação ou para jornalismo.

Ministério confirma 16 casos de zika vírus no país

© Foto: Rex Features Ministério confirma 16 casos de zika vírus no paísO Ministério da Saúde confirmou hoje (14) um total de 16 casos de zika vírus no país – oito na Bahia e oito no Rio Grande do Norte. A doença é transmitida por meio da picada do Aedes aegypti, mesmo mosquito transmissor da dengue.
As amostras foram encaminhadas aos laboratórios de referência do Instituto Evandro Chagas e ao Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos para avaliação. Análises feitas pelo Instituto de Ciências da Saúde da Universidade Federal da Bahia já haviam indicado resultado preliminar para a presença do vírus.
O zika vírus foi isolado pela primeira vez em 1947, a partir de amostras de macacos usados como sentinelas para a detecção da febre amarela, na Floresta Zika, em Uganda. Ele é considerado endêmico no leste e oeste do continente africano e há registro de circulação esporádica também na Ásia e na Oceania.
Nas Américas, ele já havia sido identificado na Ilha de Páscoa, território do Chile no Oceano Pacífico, em 2014. Casos importados foram descritos no Canadá, na Alemanha, na Itália, no Japão, nos Estados Unidos e na Austrália.
O ministro da Saúde, Arthur Chioro, disse que o governo brasileiro já trabalhava com a possibilidade de entrada do vírus no país em razão do alto fluxo de turistas estrangeiros durante a Copa do Mundo, no ano passado.
Segundo o ministério, o zika vírus tem evolução benigna, caracterizada por febre baixa, olhos vermelhos sem secreção e sem coceira, dores nas articulações e erupção cutânea com pontos brancos e vermelhos, além de dores musculares, dor de cabeça e dor nas costas.
Ainda de acordo com a pasta, a doença tem um período de incubação de cerca de quatro dias e os sinais e sintomas podem durar até sete dias. A maior parte dos casos não apresenta sintomas e não há registro de morte associada.
O tratamento é sintomático com uso de paracetamol para febre e dor, conforme orientação médica. Não está indicado o uso de ácido acetilsalicílico e de drogas anti-inflamatórias por conta do risco aumentado de complicações hemorrágicas, como também ocorre com a dengue.





Atualizado: 12/05/15

Mãe posta foto da filha de 1 ano com cigarro aceso na boca

© Fornecido por Notícias ao Minuto
Uma mãe de Valência, na Espanha, causou revolta e polêmica ao publicar no Instagram uma foto da filha de um ano com um cigarro na boca, de acordo com o La Vanguardia.
A mulher, que descreve a menina como sua filha, escreve na legenda: “Amo que ela até já está disposta a fumar, com apenas um ano. Te amo, minha pequena”.
Esta fotografia tem quase 36 mil comentários, a maioria dos quais reprovando a atitude da espanhola.

STJ nega pedido de liberdade a ex-tesoureiro do PT

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) negou pedido de liberdade apresentado pela defesa de João Vaccari Neto, ex-tesoureiro do PT, preso na Operação Lava Jato. Vaccari está preso em Curitiba desde o dia 15 de abril, quando teve sua prisão preventiva decretada pelo juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal Criminal no Paraná. O pedido foi negado pelo desembargador convocado, Newton Trisotto, na última sexta-feira, 8.
De acordo com Trisotto, a prisão preventiva é cabível no caso "como garantia da ordem pública, da ordem econômica, por conveniência da instrução criminal ou para assegurar a aplicação da lei penal, quando houver prova da existência do crime e indício suficiente de autoria, como decidiu o juízo de Curitiba".
O ex-tesoureiro do PT é réu no caso da Operação Lava Jato diante da denúncia de ter praticado os crimes de corrupção passiva, associação criminosa e lavagem de dinheiro. Na denúncia contra Vaccari, o Ministério Público Federal apontou que foram repassados R$ 4,26 milhões por empreiteiras ao PT entre outubro de 2008 e março de 2012. Os valores foram pagos a pedido do ex-diretor da Petrobras Renato Duque, também preso na Lava Jato, e contou com o intermédio de Vaccari.
O ex-tesoureiro já teve outro pedido de liberdade negado, no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4).
A defesa, contudo, argumenta que a prisão de Vaccari "se apoiou em declarações falsas prestadas por Alberto Youssef, Pedro Barusco e Augusto Ribeiro", que também são alvo das investigações da Operação Lava Jato. O advogado do tesoureiro disse ainda que, como as delações de Youssef e de Barusco foram prestadas no final do ano passado, "não haveria fatos novos capazes de justificar a decretação da prisão preventiva neste momento". Com informações do Estadão Conteúdo.

Jovem morre eletrocutada ao tirar selfie no topo de estação de trem

Anna Ursu, de 18 anos, morreu após ser eletrocutada ao tentar tirar uma selfie no alto de estação de trem na Romênia, segundo informações do jornal “Mirror” desta terça-feira (12). A intenção da jovem era postar o autorretrato no Facebook.
Assim que deitou no topo da estação, a jovem levantou uma perna e a deixou livre no ar. Porém, encostou em um fio de energia elétrica e, de acordo com o jornal, recebeu uma descarga de 27 mil volts. Anna teve metade do corpo queimado e sua amiga, que estava com ela no local, foi arremessada com a força da explosão.
Anna foi socorrida por um homem que passava pelo local no momento do acidente e chamou o serviço de emergência. O sujeito já havia alertado as jovens para que abaixassem as cabeças e pernas.
As duas garotas foram transportadas imediatamente para o hospital. Anna, muito ferida, não resistiu e morreu. Ainda de acordo com o jornal, um porta-voz do hospital explicou que as jovens se colocaram em grande risco, já que, ainda que Anna não tivesse tocado o fio, ela teria entrado em contato com o campo elétrico, o que seria igualmente mortal.
A adolescente sobrevivente afirmou que elas desconsideraram o risco. A intenção era registrar uma “selfie definitiva”.

Novo terremoto no Nepal mata dezenas e provoca pânico

Um terremoto de magnitude 7,3 matou pelo menos 37 pessoas e provocou pânico no Nepal nesta terça-feira, derrubando edifícios já fragilizados pelo tremor devastador ocorrido menos de três semanas atrás e desencadeando deslizamentos de terra em vales do Himalaia perto do Monte Everest.
A maioria das mortes relatadas aconteceu em vilarejos ao leste de Katmandu, que mal começavam a se recuperar do sismo de 25 de abril que deixou mais de 8 mil mortos.
O epicentro do novo terremoto ocorreu 76 quilômetros a leste da capital, em uma área de colinas próxima da fronteira com o Tibet, segundo coordenadas fornecidas pelo Serviço Geológico dos Estados Unidos.
Trabalhadores humanitários relataram danos graves em alguns vilarejos vistos do ar, e testemunhas disseram ter visto rochas e lama atingindo encostas remotas repletas de estradas e pequenas vilas.
Políticos correram para o lado de fora do Parlamento do Nepal e prédios de escritórios balançaram até mesmo no centro de Nova Déli, na Índia. Os tremores foram sentidos também em Bangladesh e foram seguidos por uma série de tremores secundários intensos.
Moradores aterrorizados de Katmandu buscaram espaços públicos, temorosos de locais fechados.
“Estou muito assustado e meus dois filhos estão comigo. O prédio da escola está rachado e vi que partes desabaram”, disse Rhita Doma Sherpa, enfermeira do Centro Médico Mountain, em Namche Bazaar, ponto de partida de alpinistas que seguem rumo ao Everest. “Estava na hora do almoço e todas as crianças estavam do lado de fora, graças a Deus”.
MAIS DANOS
Moradores da cidade indiana de Siliguri, perto da fronteira com o Nepal, disseram que pedaços de concreto caíram de um ou dois edifícios.
O saldo de mortes no Nepal chegou a 37 e 1.066 pessoas ficaram feridas, informou o porta-voz da polícia, Kamal Singh Bam. Nas cidades indianas fronteiriças com o Nepal morreram cinco pessoas -uma em Uttar Pradesh e quatro em Bihar, de acordo com autoridades-, e a mídia chinesa relatou uma pessoa morta no Tibet após deslizamento de rochas sobre um carro.
O Nepal começava a reagir à devastação do terremoto de magnitude 7,8 do mês passado, o pior no país em mais de 80 anos, que matou pelo menos 8.046 pessoas e deixou mais de 17.800 feridos.

Centenas de milhares de edifícios, incluindo antigos templos hindus e budistas, foram destruídos, e um número ainda maior foi danificado. Os alpinistas cancelaram a temporada de escalada do Everest, o maior pico do ano, depois que 18 pessoas morreram em abril em decorrência das avalanches ocasionadas pelo terremoto na montanha.
(Reportagem adicional de Krista Mahr, em Katmandu; Rupam Jain Nair, Doug Busvine, Tommy Wilkes, Sanjeev Miglani, Andrew MacAskill e Frank Jack Daniel, en Nova Délhi)

Motoristas de ônibus paralisam todos os terminais paulistanos

SÃO PAULO - Motoristas e cobradores de ônibus cruzaram os braços e fecharam todos os 29 terminais de ônibus da capital paulista administrados pela São Paulo Transporte (SPTrans) na manhã desta terça-feira, 12. Os trabalhadores reivindicam aumento salarial de 9,9%, vale-refeição com valor unitário de R$ 22 e participação no lucro de R$ 2 mil.
Segundo o presidente do Sindicato dos Motoristas e Funcionários do Transporte Rodoviário Urbano de São Paulo (Sindmotoristas), Valdevan Noventa, a paralisação é um alerta para o setor patronal e a administração municipal. "A manifestação é um repúdio à proposta apresentada pelos patrões, que já foi reprovada pela categoria", afirmou.
Segundo Noventa, o sindicato patronal ofereceu aumento de 7,21%, que corresponderia apenas à inflação, além de vale-refeição de R$ 17,69 e participação no lucro de R$ 600.
Em nota, a Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros de São Paulo (SPUrbanuss) considerou a manifestação "intempestiva" e declarou que pode "ocasionar sérios transtornos à mobilidade do paulistano".
A paralisação estava marcada para as 10 horas e deve durar até o meio-dia.  No Terminal Parque Dom Pedro II, na região central, meia hora antes do horário previsto já havia ônibus encostados. Às 9h45, os motoristas já eram impedidos por manifestantes de darem partida nos coletivos. No entanto, não houve tumulto.
Por volta das 9h40, vários ônibus já cruzavam a Avenida Rudge, na região do Bom Retiro, sentido Ponte da Casa Verde com a sinalização desligada, indicando apenas o nome da viação, e sem transportar passageiros.
Já no Terminal Pinheiros, na zona oeste, onde circulam 20 linhas, cerca de 60 motoristas e cobradores cruzaram os braços na manhã desta terça-feira. O movimento de usuários era tranquilo por volta das 11 horas. Alguns passageiros aguardavam a volta da circulação dos ônibus. Outros tinham de encontrar alternativas para se locomover.
O serviço de som do terminal informa que por causa da "paralisação dos operadores", as linhas "não operarão das 10h ao meio-dia".
A camareira Diana Lopes, de 23 anos, saiu do serviço e chegou às 10h ao local, onde pegaria um ônibus para o Terminal Jardim Ângela, na zona sul. De lá, iria para casa, no Parque Jardim Figueira, também na zona sul. Ela disse que tinha ouvido "um boato" de que os coletivos iriam parar, mas como viu os ônibus circulando normalmente antes das 10h, não imaginou que a paralisação se concretizasse.
"Mesmo indo de metrô ou trem, vou ter que pegar um ônibus de qualquer jeito. Sorte a minha que meu marido trabalha perto. Ele vai sair do serviço para vir me buscar", disse Diana.
A camareira afirmou que entende a paralisação como uma forma justa de reivindicar direitos dos trabalhadores, mas lamentou o prejuízo aos passageiros.  "Não deviam parar tudo de uma vez. Quero é ver se desse jeito vai só até o meio-dia", declarou.
Vinte linhas operam no Terminal Pinheiros e a orientação da SPTrans é de que os usuários acessem a Estação Pinheiros da Linha 4-Amarela do Metrô ou da Linha 9-Esmeralda da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM).
"Como a paralisação é só de duas horas, não foi necessário ativar o plano de contingência" afirmou José Paulino de Goz, funcionário da SPTrans. Segundo ele, a paralisação não vai se estender além do meio-dia e está descartada ainda a possibilidade de que motoristas e cobradores furem os pneus dos ônibus.
Segundo um representante do Sindmotoristas presente no Terminal Pinheiros, a paralisação afeta 80% de toda a frota da capital paulista. "A paralisação foi escolhida entre 10h e meio-dia para não prejudicar a população. O nosso foco é a campanha salarial e um protesto contra a redução de frota prevista na nova licitação", afirmou.
As cooperativas de motoristas e cobradores, que operaram micro-ônibus na capital, não foram afetadas pela paralisação e operam normalmente na manhã desta terça-feira.
Uma assembleia está marcada para a manhã da próxima quinta-feira, 14. Caso não haja uma nova proposta,  o Sindmotoristas não descarta novas paralisações.



Atualizado: 28/04/15

Semana promete vários recordes de frio

O centro-sul do Brasil está e vai continuar sob a influência do ar polar durante toda a semana. Mas o ar polar que já atua sobre o Sul e sobre o Sudeste será reforçado com mais ar frio de outra massa polar forte e de grande extensão. O centro do ar polar, que é a região de mais fria, vai ficar sobre o mar, mas por ser de forte intensidade, esta massa polar vai gerar ventos moderados a fortes que vão chegar ao centro-sul do Brasil a partir de quarta-feira.
Possíveis recordes de frio até o dia 2 de maio de 2015
Até o fim da semana, a temperatura vai baixar em todas as capitais do Sul, em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Vitória.  As tardes podem ser as mais frias do ano.
Em Belo Horizonte, em Florianópolis e também em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Vitória há possibilidade de novos recordes de menor temperatura do ano.

Terremoto afetou 8 milhões, mais de um quarto da populaçao do Nepal, diz ONU

Oito milhões de pessoas foram afetadas pelo terremoto que devastou o Nepal no sábado - mais de um quarto da população do país, segundo a ONU.
Suprimentos e ajuda internacional começaram a chegar ao país, mas 1,4 milhão ainda requerem ajuda alimentar, afirmaram as Nações Unidas. A agência internacional de ajuda humanitária Oxfam espera chegar à região do epicentro nesta terça-feira usando vias terrestres.
O tremor de magnitude 7,8 destruiu edifícios na capital, Katmandu, e afetou gravemente as áreas rurais. O número de mortos já passou de 4,3 mil, com outros 8 mil feridos. Foi o pior evento do tipo em 81 anos no país.
"De acordo com as estimativas iniciais e com base no último mapeamento de intensidade do terremoto, 8 milhões de pessoas em 39 distritos foram afetadas, das quais mais de 2 milhões estão em 11 distritos gravemente afetados", detalhou o último relatório do coordenador local das Nações Unidas.
Surya Mohan Adhikari, uma autoridade local no distrito de Gorkha, perto do epicentro do terremoto, disse à agência AP que, nas áreas rurais, "90% das pessoas foram afetadas por essa calamidade".
"Essas pessoas perderam suas casas e seus animais, perderam os meios de obter comida", disse Adhikari. "É muito difícil chegar até eles: estão isolados por causa dos deslizamentos de terra nas estradas que passam pela montanha e o vento e a chuva dificultam o pouso dos helicópteros."
A consultoria internacional IHS estimou que o custo de reconstrução após o terremoto pode chegar a US$ 5 bilhões - o equivalente a 20% do Produto Interno Bruto nepalês.
Os analistas da firma observaram o atraso, em termos de desenvolvimento, para um país cuja economia começava a se recuperar após uma década de conflito civil, que terminou em 2006.
"O terremoto teve um efeito devastador na economia do Nepal, que é uma nação pobre e com capacidade extremamente limitada de financiar com recursos próprios os esforços de recuperação e recuperação", disse à agência AFP o economista-chefe da IHS, Rajiv Biswas.
"São necessários esforços internacionais de resgate em massa urgentemente, assim como assistência técnica e financeira internacional em larga escala para a reconstrução da economia no longo prazo."
Diversos países enviaram ajuda, incluindo Índia, China, Estados Unidos e Reino Unido.
Brasileiros
O Ministério das Relações Exteriores brasileiro disse que, até o momento, recebeu informações sobre 96 brasileiros já localizados que estavam no Nepal durante o terremoto. Eles não sofreram ferimentos, segundo o Itamaraty.
Funcionários da Embaixada brasileira em Nova Déli, na Índia, foram deslocados para reforçar o esquema de atendimento aos brasileiros no Nepal, que incluem um ponto de apoio no aeroporto de Katmandu.



Dilma não fará discurso em rede nacional no Dia do Trabalho, diz ministro

Pela primeira vez desde que assumiu o comando do país, a presidente Dilma Rousseff não discursará em rede nacional de rádio e televisão no 1º de Maio, quando se comemora o Dia do Trabalho, disse nesta segunda-feira o ministro da Comunicação Social, Edinho Silva.
O ministro afirmou que o objetivo é usar outros "modais de comunicação" e que no 1º de Maio Dilma dialogará com a sociedade pelas redes sociais.
"Pela primeira vez ela vai utilizar as redes sociais para fazer a sua manifestação em relação ao Dia do Trabalhador", disse o ministro a jornalistas, após uma reunião de coordenação política.
"A presidenta não precisa se manifestar apenas pela cadeia de televisão", afirmou ele, acrescentando que Dilma utilizará transmissões de pronunciamentos em cadeia nacional "quando for necessário".
O ministro negou que a decisão, tomada por unanimidade na reunião realizada nesta segunda-feira, em Brasília, tenha sido resultado do panelaço promovido em várias cidades do país contra a presidente durante a transmissão do seu pronunciamento no Dia Internacional da Mulher, em março.
"A presidenta não teme nenhuma forma de manifestação oriunda da democracia", disse Edinho.
O ministro aproveitou para reafirmar que o governo tem "toda a preocupação" em manter os direitos e benefícios trabalhistas e que as áreas sociais não serão atingidas por cortes, mesmo diante do esforço fiscal que o Executivo vem empreendendo.
INVESTIMENTOS
A reunião de coordenação desta segunda-feira serviu ainda para que os participantes fizessem um balanço de outro encontro com a presidente, no sábado, em que ficou definido que cada pasta iria detalhar projetos de infraestrutura prioritários para o lançamento de um plano de investimentos.
"Nós começamos a definição dos projetos área por área, o que criou uma agenda de trabalho para cada ministério para que num curto prazo possam apresentar de forma detalhada os projetos e para que a presidenta Dilma possa anunciar um plano de investimentos do nosso país já num período, aí, talvez, de semanas", afirmou.
Segundo o ministro, os modelos de investimento serão definidos de acordo com a particularidade de cada área e projeto.
Para Edinho, é "prematuro" falar em valores para o programa de investimentos. Ele não confirmou a cifra que vem sendo declarada pelo líder do governo na Câmara dos Deputados, José Guimarães (PT-CE), de 150 bilhões de reais.
"Eu não confirmo. Talvez o líder esteja trabalhando com alguma informação de algum estudo a que ele teve acesso, mas eu acompanhei por todo tempo a reunião de sábado, e a reunião teve por objetivo cada área apresentar as suas prioridades", disse Edinho.
O ministro afirmou que não foi possível tratar dos projetos de todas áreas na reunião de sábado. A expectativa é de que as demais áreas que não puderam se manifestar naquela ocasião sejam ouvidas nesta semana.
POLÍTICA
Ao ser questionado sobre as divergências que os presidentes da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), têm demonstrado, Edinho afirmou que não há necessidade de encarar a situação como "um problema".
"É natural que haja diálogo entre as duas Casas, é natural que muitas vezes haja posicionamentos diferentes entre os dois presidentes", disse.
Os dois presidentes vêm apresentando posições diferentes em declarações públicas. A mais recente diz respeito a um projeto que regulamenta a terceirização de trabalhadores.
Cunha deu impulso à proposta que tramitava há 11 anos na Câmara e conseguiu concluir a votação em plenário, enquanto Renan se posicionou contra uma regulamentação "ampla, geral e irrestrita" e já comentou com interlocutores que não concorda com a "pressa" conferida à proposta.




Atualizado: 23/04/15

Governo reconhece estado de calamidade pública em Xanxerê

O Ministério da Integração Nacional publicou nesta quinta-feira (23) no Diário Oficial da União portarias que reconhecem estado de calamidade pública em Xanxerê (SC) e situação de emergência em Ponte Serrada (SC). Os municípios foram atingidos por um tornado na última segunda-feira (20).
De acordo com a pasta, a situação de emergência consiste numa situação anormal, provocada por desastres, causando danos e prejuízos que impliquem o comprometimento parcial da capacidade de resposta do poder público.
No caso do estado de calamidade pública, o comprometimento da capacidade de resposta é considerado substancial.
O reconhecimento da situação de emergência ou do estado de calamidade pública, por meio de decreto, permite ao ente atingido (estado ou município) solicitar recursos da União para ações de socorro, assistência às vítimas, restabelecimento de serviços essenciais e reconstrução.
Até o momento, 200 homens e mulheres do Exército foram mobilizados para auxiliar a desobstrução de estradas e de vias próximas aos escombros deixados pelo tornado. A tropa também distribui kits dormitório, de limpeza e de higiene às famílias atingidas.
De acordo com a Defesa Civil de Santa Catarina, dois homens morreram, 120 pessoas foram hospitalizadas, mais de 300 receberam atendimento médico e mais de mil estão desabrigadas, totalizando 10 mil afetados. Além disso, 2,6 mil imóveis foram danificados.
O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) informou que a velocidade dos ventos na região catarinense atingida pelo tornado pode ter alcançado 250 quilômetros por hora.
Editor José Romildo

Quadrilha faz assalto milionário a transportadora

Dezessete cidades em situação de emergência no Amazonas

Mais de 107 mil pessoas foram afetadas pelas cheias nos rios do Amazonas. O município de Boca do Acre está em estado de calamidade pública e 17 municípios estão em situação de emergência. Segundo a Defesa Civil do estado, a cidade de Tonantins passou a compor a listagem emergencial do órgão, além de todos os municípios do Médio Solimões que entraram em alerta (Fonte Boa, Uarini, Alvarães e Tefé).
Os municípios em situação de emergência são: Itamarati, Guajará, Ipixuna, Eirunepé, Envira, Canutama, Tapauá, Carauari, Pauiní, Lábrea, Atalaia do Norte, Benjamin Constant, Tabatinga, Amaturá, Santo Antônio do Iça, São Paulo de Olivença e Tonantins. O município de Humaitá, banhado pelo Rio Madeira, também está em situação de alerta.
Tonantins, no Alto Solimões, tem 3.164 pessoas afetadas pela enchente. O governo do estado disponibilizou 52 toneladas de alimentos para o município. A Defesa Civil do Amazonas já totaliza 363 toneladas de alimentos não perecíveis enviadas às cidades afetadas pelas cheias. O governo estadual também já fez repasses financeiros às prefeituras de Boca do Acre, Envira, Itamarati e Eirunepé, no valor total de R$ 1,2 milhão, para ser usado no socorro às vítimas.
Hoje (23), o Ministério da Integração Nacional reconheceu a situação de emergência em Amaturá. O reconhecimento facilita a obtenção e liberação de recursos da União para a reconstrução das áreas atingidas e auxílio às vítimas. O ministério também autorizou o empenho e repasse de R$ 237,5 mil ao município de Carauari, com prazo de 180 dias para aplicação em obras e serviços essenciais. As portarias foram publicadas no Diário Oficial da União.
Com informações da Agência Brasil.



Atualizado: 22/04/15

Câmara retoma hoje votação da lei da terceirização

Depois de um impasse na semana passada que levou ao adiamento, os deputados devem retomar nesta quarta-feira, 22, a votação do texto que regulamenta e amplia a terceirização no mercado de trabalho do Brasil. O líder do governo na Câmara, deputado José Guimarães (PT-CE), afirmou na terça-feira, 21, ao Broadcast, serviço em tempo real da Agência Estado, que há acordo entre partidos da base e parte da oposição para concluir a votação do projeto.
De acordo com ele, os partidos estão fechando consenso sobre emendas para mudar trechos do texto-base já aprovado em plenário. "Acho que tende a ser uma votação rápida porque já tem acordo", disse ao Broadcast Político. O acerto envolve três pontos: a responsabilidade solidária que obriga empresas contratantes a responderem pelo pagamento de direitos trabalhistas a funcionários da terceirizada; a redução de 24 para 12 meses no tempo mínimo para ex-funcionário de empresa contratante prestar serviço como terceirizado; e cobrança de 5,5% da receita de terceirizada não especializada em fornecer mão de obra como INSS - hoje, a categoria recolhe 20% sobre a folha de pagamento.
As conversas também avançaram, segundo o líder governista, com o PSDB. Na semana passada, tucanos e petistas se uniram para adiar a votação das emendas, o que irritou o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). "Está tendo conversa (com o PSDB), porque metade da bancada (tucana) está dividida", disse.
Cunha - que é favorável ao texto - teve de postergar a votação em uma semana após sentir que o clima político tinha mudado e que havia uma ameaça do projeto ser retirado de pauta com a aprovação de um requerimento apresentado pelo PSD. "O clima para a votação será certamente melhor do que na semana passada. Espero que o final seja positivo", disse ao jornal O Estado de S. Paulo o presidente da Câmara, Eduardo Cunha.
Desde o princípio, PT, PC do B e P-Sol foram contrários ao projeto. Diante das manifestações conduzidas pela Central Única dos Trabalhadores (CUT) e também da forte oposição ao projeto nas redes sociais, até a bancada do PSDB rachou, com metade dos deputados tucanos indicando ter mudado de opinião quanto ao texto. Foi necessária a atuação do presidente nacional do PSDB, o senador Aécio Neves (MG), para que os tucanos voltassem a defender o texto base já aprovado.
"O projeto regulamenta direitos dos trabalhadores e dá segurança jurídica para as empresas. Há a responsabilidade solidária das empresas contratantes, que também vão recolher os direitos trabalhistas. Então há um discurso falso de que o projeto é contrário aos trabalhadores", afirmou Cunha, que trabalhou ativamente ao lado do relator do projeto, o deputado Arthur Maia (SD-BA), desde o início, pela aprovação.
GovernoO governo Dilma Rousseff atuou basicamente pelo lado fiscal do projeto. O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, e o secretário da Receita Federal, Jorge Rachid, tiveram encontros com Cunha e Maia para tratar exclusivamente da tributação de impostos federais, que deveriam incidir sobre as empresas contratantes.Segundo apurou o jornal O Estado de S. Paulo o governo Dilma é favorável a regulamentação da terceirização, mas contrário ao chamado "risco de pejotização". Isto é, o risco de trabalhadores hoje com carteira assinada serem demitidos para em seguida serem contratados como pessoa jurídica (PJ). As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Cantareira chega a 80 dias sem perder volume

Após chuva, o Sistema Cantareira chegou ao 80º dia sem registrar queda no volume. O volume negativo do sistema, que leva em conta o conteúdo do volume armazenado subtraído do volume morto, ficou em - 9,2%, de acordo com dados da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), divulgados nesta quarta-feira, 22. O valor é o mesmo da terça, 21.
Desde a semana passada, a Sabesp passou a publicar o nível do volume negativo após determinação da Justiça. A liminar obrigando a companhia foi concedida em 16 de abril pelo juiz Evandro Carlos de Oliveira, da 7ª Vara de Fazenda Pública, a partir de ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público Estadual (MPE) no dia 10 de abril.
O nível também é estável se for considerado o conceito antigo de divulgação da Sabesp -  20,1%. Em um terceiro conceito, que leva em conta o volume útil acrescido do volume de reserva técnica, o nível tamb[em ficou estável, em 15,5%.Na prática, tanto a metodologia que deixa o manancial com 20,1% quanto o que mostra 15,5% consideram o mesmo volume de água armazenada. O que muda é a base de comparação. Na primeira, o porcentual é resultado da divisão do volume armazenado pelo volume útil, que desconsidera o volume morto. Na segunda, é comparado ao volume total, que traz a capacidade do Cantareira incluindo os dois volumes mortos.
Houve chuva de 2,4mm na região do Cantareira nas últimas 24 horas. A precipitação acumulada no manancial nos primeiros 22 dias do mês é de 39,8 milímetros, ainda abaixo da média histórica de 89,8 milímetros, em abril.
Outros mananciais. O maior aumento porcentual de volume ocorreu no sistema Rio Claro - foi de 45% para 46,3%. Alto Cotia também registrou elevação no reservatório, que foi 65,2% para 65,3%. GUarapiranga e Rio Grande caíram para 82,4% (- 0,2%) e  95,8 (- 0,2%), respectivamente. O sistema Alto Tietê ficou estável em 22,3% de sua capacidade. 

Ex-BBB Juliana é apontada como pivô de escândalo envolvendo senador americano

Juliana Lopes Leite, ex-participante da quarta edição do “Big Brother Brasil”, estaria envolvida em um escândalo de corrupção nos Estados Unidos.
Robert Menendez, do partido Democrata, estaria sendo acusado de usar tráfico de influência para conseguir "green cards" para as três moças, e a ex-sister é seria uma delas.
Isso porque Juliana, a ucraniana Svitlana Buchyk e uma dominicana seriam amantes do Dr. Salomon Melgen, oftalmologista famoso entre os americanos e um dos maiores doadores de campanha do senador.
De acordo com o jornal "New York Post", Melgen - que é casado -, teria pedido ao político para ajudar a brasileira a conseguir um visto de permanência nos Estados Unidos.
Para a ucraniana, o senador teria garantido uma consulta em um cirurgião plástico. Já para a dominicana, ele teria pedido que a embaixada revertesse a decisão de cancelar seu visto e o de sua irmã de 18 anos.
E ainda tem mais! Menendez teria feito os favores para as supostas amantes do oftalmologista em troca de quase US$ 1 milhão (cerca de R$ 3 milhões) em doações de campanha.Se as acusações forem comprovadas, o político poderá pegar mais de 15 anos de prisão.
Em tempo: Atualmente, Juliana trabalha como advogada e corretora de móveis em Miami, nos Estados Unidos. A moça confirmou à publicação que conhece Melgen, mas não comentou sobre a polêmica.
Formada em Direito em 2010, Juliana afirmou que usou o dinheiro que ganhou com suas duas capas da revista "Sexy" para qual posou para pagar os estudos no exterior. A outra parte foi paga pela fundação sem fins lucrativos de Melgen.

Radar que detectaria tornado em SC estava quebrado há meses


São Paulo – Um radar meteorológico da Defesa Civil que poderia ter detectado o tornado que atingiu Santa Catarina, na ultima segunda-feira, está quebrado há pelo menos três meses.
Segundo o site da revista Veja, o equipamento, instalado no município de Lontras, operava em fase de teste e parou de funcionar em janeiro deste ano. O conserto, ainda de acordo com a reportagem, está atrasado.
Por meio de nota, a Secretaria da Defesa Civil de Santa Catarina afirmou ao site da Veja, que o radar "sofreu uma avaria na fonte de alimentação de alta tensão". Segundo estimativas, o equipamento deveria ter voltado a funcionar no final de março.
O tornado atingiu o oeste de Santa Catarina e devastou a cidade de Xanxerê, causando duas mortes e deixando mais de 1.000 desabrigados por lá.
De acordo com o governador do estado, Raimundo Colombo, uma força tarefa com Exército, Polícia Militar, Bombeiros e Defesa Civil foi montada para ajudar na desobstrução das vias e recolhimento dos entulhos. 










Atualizado 16/04/15


As melhores e piores cidades para encontrar emprego online

AS CIDADES BRASILEIRAS COM AS OPORTUNIDADES PROFISSIONAIS MENOS E MAIS CONCORRIDAS

São Paulo – Rio de Janeiro é a cidade em que profissionais têm mais chance de conseguir encontrar emprego fazendo busca pela internet.A informação parte de pesquisa realizada pelo buscador de empregos Adzuna, que compara o número de vagas abertas anunciadas online (são mais de 450.000 vagas indexadas no Adzuna), com dados do IBGE e DIEESE sobre desemprego nas grandes cidades - publicados em março deste ano.A equipe do Adzuna também analisou a distribuição de vagas em diferentes setores, para determinar quais áreas estão contratando mão de obra nas diferentes localidades.O setor de serviços oferece a maior parte das vagas abertas online, são mais de 64 mil vagas abertas, o que corresponde 12% do total de vagas divulgadas online no Brasil neste ano.A equipe do Adzuna destaca ainda que o número de vagas abertas no setor industrial caiu em relação ao ano anterior, perdendo a segunda posição no ranking para o setor administrativo.Enquanto são mais de 29 mil oportunidades na área administrativa anunciadas, o setor industrial teve 20,1 mil vagas anunciadas online, segundo o levantamento.Confira, nas fotos, as melhores cidades para encontrar emprego online e, em seguida, veja quais são as piores:
Rio de Janeiro é a cidade em que candidatos têm mais chance de encontrar emprego online






Confira truques infalíveis para poupar combustível



OS PNEUS CALIBRADOS GARANTEM ECONOMIA DE ATÉ 4% NO USO DO COMBUSTÍVEL

Etanol, gasolina, diesel, gás, não importa: seja lá como seu carro é abastecido, é sempre importante reduzir o consumo - para proteger o bolso e o meio ambiente. Atitudes simples como calibrar os pneus já é garantia de economia. Andar com pneus baixos aumenta a área de contato do mesmo com o solo. Se por um lado isso significa aumento de tração, por outro significa gasto maior da borracha e maior resistência do solo. E se há maior resistência do solo, é preciso aplicar mais potência no motor, o que resulta em maior gasto de combustível. Pesquisas indicam que mantendo os pneus na calibragem indicada pelo fabricante do seu carro, é possível economizar até 4% de combustível.
Reduzir o ar condicionado, frear suavemente e carregar pouco peso são algumas dicas

Ex-treinador da Inglaterra critica David Luiz: 'jogou igual a uma criança'

A atuação de David Luiz na derrota do PSG por 3 a 1 para o Barcelona, nesta quarta-feira, pelas quartas de final da Liga dos Campeões, foi considerada desastrosa pelo jornais europeus. O zagueiro levou dois dribles desconcertantes do uruguaio Luis Suárez, nos lances dos gols do atacante. De acordo com o ex-jogador Glenn Hoddle, que atuou em times como Monaco e Chelsea, além de ser ex-técnico do Tottenham e da seleção inglesa, o defensor foi infantil na partida.
- Mesmo quando não está 100%, um jogador não pode mostrar esta falta de determinação. Ele era o último homem quando Suárez pegou na bola e começou a correr na sua direção. Percebeu que era o último homem e, nessa situação, a última coisa que se deve fazer é entrar para matar o lance. A solução é ganhar tempo para que a sua equipe se recupere defensivamente - afirmou Hoddle, à "Sky Sports".
Hoddle comparou o brasileiro a uma criança de oito anos, que nunca jogou futebol.
- Ele fez o que uma criança de oito anos, que nunca foi treinada, faz: tentou ganhar o lance entrando de primeira, com os dois pés. Resultado, perdeu poder de reação, o poder de se movimentar para outro lado. Ele joga como se estivesse brincando. É talentoso, mas o futebol de alto nível não é isso - disparou.

Avesso a entrevistas, Lula foi capa de revista publicada por editora alvo da Lava Jato

Avesso a entrevistas, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi capa da edição número 100 da "Revista do Brasil", produzida pela Editora Gráfica Atitude que passou a ser investigada na 12ª fase da Operação Lava Jato. O tesoureiro licenciado do PT João Vaccari Neto é acusado de usar a firma para lavar dinheiro de propina repassada para o PT de empresas com contratos na Petrobrás. Uma fornecedora da Petrobrás repassou ao menos R$ 1,5 milhão para a gráfica a pedido de Vaccari.
A revista editada pela Gráfica Atitude também já colocou a presidente Dilma Rousseff na capa na véspera da campanha de 2010. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) puniu a gráfica e a CUT por propaganda ilegal da petista na época quando a disputa era contra o tucano José Serra.
A entrevista exclusiva com o ex-presidente Lula foi publicada a cinco dias do segundo turno da eleição presidencial de 2014. Com a disputa acirrada, o ex-presidente fez críticas ao adversário da então candidata Dilma Rousseff, o senador Aécio Neves (PSDB). Lula não foi questionado pela publicação sobre temas incômodos ao PT ou à campanha de Dilma.
Um dos alvos de Lula foi o ex-presidente do Banco Central Armínio Fraga, eventual ministro da Fazenda de Aécio. "Ele não é nenhuma arrumadeira, porque quando estava no Banco Central ajudou a desarrumar a economia deste país. Ele, na verdade, é um desarrumador de casa. Quem arrumou a casa fomos nós." O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso também foi alvo de críticas do petista. "Tem muita gente que tem 30 anos hoje e nem lembra que o Fernando Henrique Cardoso foi presidente da República. Há uma tentativa de ressuscitá-lo como porta-voz de um partido que não se comporta como partido de oposição, porque não tem um programa alternativo para a sociedade."
Delações. Na entrevista, Lula questionou as delações premiadas ao comentar a Operação Lava Jato na entrevista exclusiva à revista. "O que foi prometido para esses senhores na delação premiada? Será que foi só diminuir a pena ou será que foi prometido "se o PT for derrotado, poderá ter mais coisas?" A gente não sabe." Quatro delatores acusaram Vaccari de ser operador do PT no esquema de corrupção da Petrobrás.
O ex-presidente disse que estava "muito preocupado" porque "tenho a impressão de que neste país tem sempre uma tentativa de golpe. Tem sempre um Carlos Lacerda querendo derrubar alguém." E condenou a decisão do juiz Sérgio Mouro de excluir o sigilo do processo. "Estranhamente, como a Suprema Corte reivindicou o processo para lá, o juiz convoca as pessoas para depor e colocar na internet o depoimento, quase como se fosse uma ação política, quase como se fosse "vamos fazer um depoimento agora para dar material de campanha para os adversários do PT". Se daqui a três ou quatro meses for provado que não é verdade aquilo que ele falou, o prejuízo está feito. É gravíssimo o que está acontecendo, às vezes me cheira a tentativa de golpe mesmo, de colocar em risco o processo democrático."
COM A PALAVRA, A EDITORA GRÁFICA ATITUDE. O coordenador de planejamento editorial da Gráfica, Paulo Salvador, afirmou que nunca tratou de patrocínios para a empresa com o tesoureiro do PT João Vaccari Neto. Salvador, contudo, evitou responder ao ser questionado sobre a delação do executivo Augusto Mendonça, que afirmou ter depositado valores na conta da gráfica a pedido de Vaccari.
"Não recebemos nenhuma demanda da Justiça ainda."Ele afirmou que a empresa não pertence ao PT ou à CUT, mas possui uma "afinidade política" com a sigla nos temas que aborda em suas publicações.

Caixa Econômica Federal volta a elevar juro do financiamento imobiliário

A Caixa Econômica Federal informou nesta quinta-feira que elevou pela segunda vez no ano a taxa de juros no financiamento de imóveis residenciais contratados com recursos da poupança (SBPE).
A mudança entrou em vigor na última segunda-feira, disse o banco estatal à Reuters.
A taxa balcão, para clientes sem relacionamento com a Caixa, subiu de 9,15% para 9,45% ao ano, refletindo o aumento da taxa Selic em 0,5 ponto percentual em março.
Além da taxa de juros, outra mudança significativa é a redução da cota máxima de financiamento, de 90% para 80% do valor do imóvel nos financiamentos no sistema de amortização constante (SAC) e 50% pela tabela Price.
Os financiamentos contratados no âmbito do Programa Minha Casa Minha Vida não sofrem reajuste na taxa de juros.
A taxa Selic está atualmente em 12,75% ao ano.
(Por Aluisio Alves)






ATUALIZADO: 06/04/15

Incêndio próximo de porto de Santos entra no 5o dia e caminhões têm acesso bloqueado na Anchieta

Dois tanques ainda estavam em chamas na manhã desta segunda-feira em parte do terminal da Ultracargo, do grupo Ultra, perto do porto de Santos, segundo informações da empresa, após um tanque que continha etanol ter as chamas extintas.
Um total de seis tanques da empresa foram atingidos pelo incêndio próximo do maior porto do país, que entra em seu quinto dia nesta segunda-feira.
A agência reguladora de transporte do Estado de São Paulo, a Artesp, e a concessionária do Sistema Anchieta Imigrantes, Ecovias, anunciaram na véspera medidas de controle de tráfego de caminhões na chegada ao porto para evitar congestionamento e bloqueios das pistas por veículos pesados.
A operação, que entrou em vigor à meia noite desta segunda-feira e continuará até que o incêndio seja totalmente controlado, bloqueia o avanço de caminhões com destino à margem direita do porto no quilômetro 40 da Anchieta, no início do trecho de serra.
Os caminhões serão encaminhados para bolsão de estacionamento e deverão aguardar liberação do acesso ao Porto através do Viaduto Alemoa.
Caminhões com destino à margem esquerda poderão seguir viagem, segundo a Artesp, acrescentando que o acesso a essa margem continua ocorrendo sem problemas.
"A expectativa é que na terça-feira o viaduto do Alemoa possa ser liberado e o trânsito restabelecido", disse o diretor geral da Artesp, Giovanni Pengue Filho, em nota.
Segundo a última informação do Corpo de Bombeiros, os bombeiros trabalhavam para resfriar os tanques próximos para impedir o alastramento do fogo, já que afirmam não haver muito a fazer antes que todo o combustível seja consumido pelas chamas.

Brasileiros compraram 104 smartphones por minuto em 2014

No Brasil foram vendidos 104 smartphones por minuto em 2014. De acordo com levantamento da IDC Brasil, no ano passado foram comercializados 54,5 milhões de aparelhos, 55% a mais que em 2013. A projeção para 2015 é de alta de 16% nas vendas, apesar do dólar alto e da conjuntura econômica.
A pesquisa mostra ainda que 15% dos aparelhos vendidos em 2014 têm acesso a 4G, número que em 2015 deve subir para 30% a 35%. Os aparelhos intermediários e os com dois chips deverão ser os destaques dentre os dispositivos 4G, prevê o instituto de pesquisas e consultoria.Por outro lado, as vendas de tablets, PCs e impressoras recuaram. O analista da IDC Leonardo Munin pondera que o brasileiro é muito sensível a preço, "mas em smartphones tem avaliado melhor a questão do custo-benefício. 
E com a facilidade de crédito e parcelamento oferecida pelo varejo, em vez de comprar um celular de entrada tem optado cada vez mais por um intermediário, contribuindo não só para o aumento das vendas mas também para o aumento do tíquete médio", diz, por meio de nota.
As vendas no último trimestre foram recorde, conforme o estudo IDC Mobile Phone Tracker Q4, com 16,2 milhões de celulares inteligentes vendidos, 43% acima do 4º trimestre de 2013 e 14% na comparação com o 3º trimestre de 2014, puxado pelo evento Black Friday. Na comparação com 2013, as vendas na data aumentaram em mais de 600%, calcula o IDC.
O mercado de smartphones é concentrado, destaca o analista, com 95% das vendas em torno de seis grandes marcas, algo que, segundo ele, não acontece em outros países emergentes.




Lula reforça apelo por nova articulação

Preocupado com os novos protestos previstos para o dia 12, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva intensificou as cobranças sobre o governo e quer que Dilma Rousseff mude com urgência a articulação política do Palácio do Planalto, sob pena de trilhar um caminho sem volta. Para ele, a presidente não pode mais esperar e precisa mexer nos interlocutores com o Congresso, que se transformou em uma trincheira contra o governo após a Operação Lava Jato.
"Mercadante vive falando de rating para cá, rating para lá. Que rating que nada! A crise é política e o governo tem que resgatar a confiança. O resto acontece naturalmente", disse Lula, em recente conversa com um senador do PT, numa referência ao ministro-chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante.
Nos últimos dias, tanto Mercadante como o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, afirmaram que o ajuste fiscal é necessário para manter o grau de investimento no País, com uma nota de crédito (rating) elevada. Lula, porém, escolheu Mercadante como alvo das críticas.
O ex-presidente não esconde a contrariedade com o fato de Dilma manter o chefe da Casa Civil no comando da articulação com o Congresso. No varejo das negociações com os parlamentares está Pepe Vargas, titular da Secretaria de Relações Institucionais, mas é Mercadante quem dá a linha política.
Rearranjo
Em mais de uma ocasião, Lula aconselhou Dilma a transferir essa função para Jaques Wagner, hoje ministro da Defesa, e pôr no lugar de Pepe um nome do PMDB, como o ministro da Aviação Civil, Eliseu Padilha, ligado ao vice-presidente Michel Temer. Dilma, no entanto, resiste à troca. Diante desse quadro, o PMDB entende que o atual modelo da articulação deixa o ocupante da Secretaria de Relações Institucionais como uma "rainha da Inglaterra" e não quer assumir a tarefa.
Na avaliação de Lula, a raiz da crise é política, mas, como o governo não consegue dissipar as turbulências com os aliados, o problema contamina a economia. A instabilidade se agravou com a inclusão dos presidentes do Senado, Renan Calheiros (AL), e da Câmara, Eduardo Cunha (RJ), ambos do PMDB, na lista de investigados por denúncias de corrupção na Petrobrás, no rastro da Lava Jato.
Ao saber na quarta-feira da acentuada queda na taxa de aprovação de Dilma, apontada pela pesquisa CNI/Ibope, a reação de Lula foi de quem já esperava o resultado. O levantamento mostra que 64% dos brasileiros consideram a gestão de Dilma "ruim ou péssima". Para piorar, outras pesquisas em poder do PT indicam que o desgaste de Dilma e a Lava Jato também atingem a imagem do ex-presidente, hoje o principal nome do partido para a eleição de 2018.
No diagnóstico de Lula, somente uma forte reação do Planalto, com ações que dialoguem com a sociedade, é capaz de reverter o mau humor da população e evitar um quadro irreversível para a presidente.
Sem dinheiro para novos programas, Dilma anunciou que enxugará os gastos, apostando na atração de investimentos privados com a concessão de rodovias, ferrovias, portos e aeroportos. O corte no Orçamento pode atingir R$ 80 bilhões.
O temor de Lula e do PT é de que um ajuste nessas proporções paralise a economia e afaste ainda mais o partido de sua base social. Com esse argumento, parlamentares pressionam a equipe econômica a suavizar as medidas que endurecem as regras para o seguro desemprego.
"É problema que a sociedade não tenha sido consultada sobre as medidas e que o peso do 'ajuste' proposto tenha recaído mais sobre os trabalhadores do que sobre outros setores das classes dominantes", diz manifesto da corrente Construindo um Novo Brasil (CNB), majoritária no PT e integrada por Lula.
Escrito para nortear os debates do 5.º Congresso do PT, em junho, o documento endossa críticas de alas radicais às ações do governo para pôr a economia nos trilhos. "Essas práticas foram em grande parte responsáveis pelo mal-estar de muitos movimentos sociais que lutaram pela eleição de Dilma e que, hoje, se encontram perplexos e frustrados com as primeiras medidas do governo", diz o texto.
Para a tendência Mensagem ao Partido - grupo do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo -, o Planalto precisa superar o impasse provocado por promessas não cumpridas. "O segundo governo Dilma se iniciou com clara inflexão conservadora na gestão macroeconômica, contraditória com o programa eleito", destaca o documento, escrito pelo ex-governador do Rio Grande do Sul Tarso Genro.








Atualizado: 30/03/15

Decoração para a Páscoa

Que tal decorar a casa e a mesa para a Páscoa? O Hoje em Casa dessa semana dá dicas para deixar a casa nesse clima. No vídeo abaixo, você aprende como embrulhar um ovo de chocolate com juta para colocar em uma mesa mais rústica.

Mãe perde controle ao saber que filho sumiu da escola em Ponta Grossa

Uma mãe perdeu o controle ao saber que o filho de oito anos tinha fugido da escola e estava desaparecido. O caso aconteceu em Ponta Grossa, no Paraná. No vídeo gravado por uma pedagoga, a mulher agride a diretora do colégio, derruba o que vê pela frente e tira uma faca de dentro da bolsa.
“Se meu filho não aparecer hoje, eu juro que eu te mato! Eu juro que eu te mato! Se ele não aparecer hoje! Chama a polícia!”, disse a mãe. Outra mulher conseguiu afastá-la da diretora, mas as ameaças continuaram e ela ainda derrubou um armário da sala.
Cintia Ferreira foi presa em flagrante e liberada nesta sexta-feira (27). Ela não tem antecedentes criminais e vai responder em liberdade por ameaça, desacato e danos ao patrimônio público. Ela diz que naquele dia tinha levado a faca para amolar, e por isso estava com a arma na bolsa.
“Entrei e já fui em cima dela. Cadê a responsabilidade da escola? E ela tava bem sentada, sossegada. Ela disse: é, teu filho não é bom aluno, é bom que desapareça e não apareça nunca mais. Foi a hora que eu comecei. Igual eu falei para ela: é porque não é teu filho, né?”, diz a mãe.
O filho de Cintia foi encontrado oito horas depois de fugir do colégio, às 23h. A secretaria de Educação de Ponta Grossa afirma ter informado Conselho Tutelar, Guarda Municipal e Polícia Civil assim que as crianças desapareceram. Diz também que afastou a diretora do cargo até que os fatos sejam esclarecidos








ATUALIZADO 27/03/15

Cem municípios do estado de SP estão com epidemia de dengue

Cem municípios do estado de São Paulo já enfrentam uma epidemia de dengue. Só na capital paulista, o número de casos confirmados este ano é três vezes maior do que o registrado no mesmo período de 2014.
Com o aumento do número de casos da doença, o Hospital Municipal de Cajamar ficou sobrecarregado. Para acelerar o atendimento, uma tenda foi montada. Nela, são feitas as notificações e os pacientes são encaminhados para colher sangue, em uma parte também improvisada.
É com o exame que os médicos podem dizer se é realmente dengue. A cidade de Cajamar tem 70 mil habitantes e o número de casos confirmados é grande. “Trezentos e setenta e quatro casos desses dois mil notificados, isso significa que realmente uma porcentagem muito grande, 20% dos notificados foram acometidos. Estamos em epidemia”, afirma Giuseppe Conte, secretário de Saúde de Cajamar.
Até o dia 7 de março, já foram confirmados 224 mil casos de dengue em todo o país, segundo o Ministério da Saúde. Em São Paulo, o último balanço aponta que o estado tem 80.283 diagnósticos confirmados. Já são 100 municípios com a epidemia da doença.
Sorocaba é a cidade com maior número de casos confirmados (7.489). Um centro de monitoramento foi instalado na cidade para atender quem está com a doença. A Prefeitura deCatanduva também montou uma unidade para receber os pacientes com dengue.
A capital paulista enfrenta um surto da doença. Nos primeiros três meses do ano, São Paulo teve 4.436 casos de dengue, três vezes mais que no mesmo período do ano passado.
A hidratação é indispensável para quem tem dengue. Os médicos recomendam tomar bastante líquido, não tomar remédio sem orientação e procurar ajuda profissional. “Assim que tiverem um início súbito de febre, um quadro de dor muscular ou dor nas articulações, às vezes acompanhado de vômito, a gente pede pras pessoas procurarem o pronto-socorro”, orienta o médico Cláudio Oliveira da Silva.
A Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo anunciou que dobrou o número de agentes que atuam na prevenção da dengue, de 500 para 1.000 e que 30 médicos da Polícia Militar também vão reforçar o atendimento à população.

Economia cresceu 0,1% em 2014

A economia brasileira ficou praticamente estagnada em 2014. O Produto Interno Bruto (PIB), que é a soma de tudo que é produzido pela economia do país, cresceu 0,1%.

Em valores absolutos: o Produto Interno Bruto chegou a R$ 5,52 trilhões. Esse é o pior resultado desde 2009, ano da crise econômica internacional. Em 2013 os investimentos no país cresceram 6,1%. No ano passado, o resultado foi negativo de menos 4,4%.
Os setores que tiveram alta foram os de serviços e agropecuária. Já a indústria teve queda e uma das explicações para essa estagnação da economia no ano passado está ligada ao nosso dia-a-dia. O consumo das famílias até aumentou (0,9%), mas é a menor taxa de crescimento desde 2003.
Consumo das famílias
O comportamento dos brasileiros na hora de comprar afeta diretamente as contas do país. O consumo das famílias tem sido um dos motores da economia e ajuda a aumentar o Produto Interno Bruto (PIB). Só que nos últimos cinco anos, o consumo vem crescendo cada vez menos.
Em 2010, o aumento chegou a 6,4% no ano e a partir daí, o ritmo só diminuiu. No ano passado, o consumo cresceu apenas 0,9%. É o pior resultado desde 2003, quando houve queda.
Com os juros mais altos ficou mais difícil, por exemplo, fazer compras parceladas. A inflação também está mais alta, o que afeta o poder de compra das famílias. O Banco Central já admite que os preços vão subir ainda mais esse ano. 
“A inflação está fazendo estrago e o consumo perdendo força mostra que o brasileiro está tendo que cada dia gastar mais para tentar manter o seu padrão de consumo sem conseguir. Aí tem que pisar no freio porque ou você muda hábitos, corta coisas que você vinha fazendo como consumo para conseguir manter o seu orçamento equilibrado. Ou então você o risco de gastar mais, se endividar e pagar juros muito caros”, fala o economista do Ibmec/RJ, Gilberto Braga.
A coordenadora de contas nacionais do IBGE, Rebeca Palis, falou nesta sexta-feira (27) sobre o resultado do PIB. “O que mais puxou para baixo foram os investimentos e aí claro, o crédito influencia diretamente. O aumento da taxa de juros também, porque são dois componentes muito importantes do PIB com pesos bem relevantes e também o consumo das famílias cresceu bem menos por estes fatores, inflação, o crédito para as pessoas físicas não teve crescimento real os juros também aumentaram e isso tudo influenciou o consumo das famílias ter crescido menos em 2014 do que nos anos anteriores, afetando o PIB”.

Copiloto teve depressão há seis anos, segundo investigações

O copiloto do Airbus A-320 da Germanwings, Andreas Lubitz, estava de licença médica no dia da queda do avião nos Alpes Franceses.
Investigadores encontraram atestados médicos no lixo do apartamento de Andreas Lubitz em Dusseldorf. Um dos papéis afastava o copiloto do trabalho no dia da tragédia. Outro dizia que ele estava sem condições de trabalhar. Também foram descobertos documentos comprovando que Lubitz estava em tratamento médico. Mas a polícia não especificou qual doença ou distúrbio estava sendo tratado.
 Segundo o promotor alemão, tudo indica que o copiloto escondeu a condição dele da companhia aérea. A Germanwings confirma que não recebeu nenhum atestado médico.
Desde ontem (27), detetives vasculham a casa onde o copiloto morava com os pais, na pequena cidade de Montabáuer. Caixas e sacolas, repletas de documentos pessoais e pertences da família, já foram retiradas do local assim como um computador. Parentes, amigos, colegas de trabalho e conhecidos estão sendo ouvidos.
Tudo para tentar entender a motivação em derrubar um avião, tirando a vida de 149 pessoas. Nesta sexta-feira (27), o governo francês reforçou a certeza dos investigadores de que a queda foi deliberada.

O primeiro-ministro, Manuel Valls, chamou o desastre de incompreensível e louco. Hoje também, o jornal alemão Bild publicou mais detalhes sobre os instantes finais do voo. Ao ser impedido de entrar na cabine, o piloto teria usado uma machadinha para tentar arrombar a porta. A Germanwings informou que essa ferramenta faz parte do equipamento-padrão a bordo de um A-320.
A tragédia nos Alpes Franceses também levantou questões sobre a segurança nas cabines. Nos Estados Unidos, quando um dos pilotos precisa sair, um integrante da tripulação entra para que o outro piloto não fique sozinho.

Desde ontem, companhias europeias começaram a adotar o mesmo procedimento. A Lufthansaanunciou hoje que também vai seguir essa conduta, mantendo sempre duas pessoas na cabine.
Andreas Lubitz
O copiloto Andreas Lubitz teve depressão há seis anos e passava por acompanhamento médico regular.
O jornal alemão Bild afirma que Andreas Lubitz, por causa da depressão, fazia acompanhamento constante.  O episódio mais sério da doença foi quando ele estava terminando o treinamento para pilotos, em 2009. Ele parou esse treinamento por um ano e meio para receber tratamento psiquiátrico.

O Bild cita como fontes documentos internos do grupo Lufthansa. O porta-voz da companhia disse que a Lufthansa não vai fazer comentários sobre o estado de saúde de Andreas.

A casa dos pais de Andreas Lubitz em Montabauer está cercada por policiais e jornalistas. Ele também tinha um apartamento em Dusseldorf, a 20 minutos do aeroporto. Andreas tinha 630 horas de voo e aprendeu a voar no clube de avião em Montabauer.
A pergunta que todos fazem é o que se passa na cabeça de um piloto que decide derrubar um avião com 149 pessoas a bordo. As investigações, a avaliação de prontuários médicos, ainda vão demorar muito até que haja uma conclusão. Mas atos em que o piloto deliberadamente decide derrubar o avião são tão raros, que pesquisadores ainda não definiram padrões para estudá-los.

Buscas
Seyne les Alpes é uma cidade dedicada ao turismo. As montanhas nevadas no inverno e verdes no verão são exploradas por alpinistas, esquiadores, gente de esportes radicais.

Há décadas os habitantes estão acostumados a receber as pessoas de férias contentes pelo tempo de descanso e que querem se divertir. E de uma hora para outra o clima mudou.
As montanhas hoje trazem o pesado sentimento da tragédia. Com lágrimas nos olhos uma senhora lembra das crianças e dos bebês que estavam a bordo. “Por que alguém que quer se matar leva junto tanta gente”.
Para outra mulher a atmosfera da cidade está diferente. Uma florista que sempre vendeu agrados para aniversários casamentos nascimentos conta que agora as pessoas têm levado flores para homenagear os mortos no desastre. “Estamos profundamente chocados”, ela disse.







Atualizado 27/02/15

Moradores de SP se recuperam do dia mais chuvoso do ano

 A maior cidade do Brasil ainda tenta se recuperar do temporal. São Paulo teve o dia mais chuvoso do ano. Se por um lado, as chuvas elevam o nível dos reservatórios por outro os temporais causam vários estragos.
A chuva de ontem provocou alagamentos e uma forte ventania derrubou 24 árvores na cidade. Um homem morreu ao ser atingido por uma descarga elétrica.  
Hoje de manhã os homens da prefeitura ainda tiravam das ruas as árvores que caíram com o temporal de ontem. Uma delas ficava perto da Avenida Paulista. Foi preciso desligar a rede elétrica para remover tudo.
Ontem, no bairro do Pacaembu, região nobre de São Paulo um homem morreu eletrocutado. José Paulo Machado tinha 47 anos morava na Zona Leste.  Ele atravessou a cidade para fazer uma entrevista de emprego e estava dentro do carro, estacionado, quando uma árvore caiu em cima de outro veículo.

José Paulo se assustou e saiu do carro, mas os fios estavam energizados e ele levou um choque de 13 mil volts. Os funcionários e moradores dos prédios tentaram, mas não conseguiram reanimá-lo. 
Mais de uma hora depois do acidente que matou o administrador de empresas ainda era possível ver a fiação da rua pegando fogo. Para o irmão dele, não foi uma fatalidade.
“Fatalidade muitas vez você escorrega, bate e cai. Isso é fatalidade. Prefiro falar que isso foi negligência. Isso não é fatalidade”, diz o irmão da vítima Valmir Donizete Machado.
A queda de árvores está ficando tão comum que os moradores de alguns bairros colocam avisos nas árvores. 
Quando um alerta foi colocado, o maior receio dos moradores e comerciantes era que a queda dessa árvore provocasse novos prejuízos financeiros. Hoje o maior medo de quem mora ou passa na região é de que, se uma árvore cair provoque uma tragédia como a que aconteceu ontem, da morte do motorista.
No temporal desta quarta-feira, um transformador pegou fogo e explodiu. Os fios estavam bem pertinho da água.
A chuva trouxe ventos de mais de 50 quilômetros.  A zona leste foi a região mais atingida. Só no bairro de Vila Prudente, em três horas, choveu metade do que costuma chover em fevereiro, na cidade inteira. Muitos carros ficaram pelo caminho.
O trânsito bateu o recorde do ano. Duzentos e noventa e quatro quilômetros de filas pelas contas da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET).
Por causa da chuva a velocidade do metrô foi reduzida. A circulação de trens parou depois que a água cobriu os trilhos em Santo André, no ABC.
No terminal Barra Funda, interligação entre trens, ônibus e metrô, os vândalos se aproveitaram da confusão para agir e depredaram dois trens que estavam estacionados. Isso provocou um atraso ainda maior no restabelecimento da linha.
Depois do temporal à tarde, muitos bairros ficaram completamente no escuro. Na região do Pacaembu, quatro mil casas ficaram sem luz.  Na zona leste, a Eletropaulo diz que desligou a energia de oito mil clientes.
Hoje, a Ceagesp ficou às escuras por causa de um equipamento que quebrou. Três equipes trabalharam durante toda a manhã no maior entreposto da América Latina.
A polícia abriu inquérito para identificar os baderneiros que agiram na Estação Palmeiras-Barra Funda. O grupo destruiu um balcão e bilheterias e danificou vagões de trens. A estação ficou meia hora fechada. O Metrô e a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) ainda não terminaram o levantamento dos prejuízos.

Estradas continuam bloqueadas mesmo após determinação da Justiça

Cerca de 90 rodovias federais e estaduais ainda têm pontos de bloqueio, em sete estados. No Rio Grande do Sul, algumas rodovias foram liberadas depois da determinação judicial para o fim dos bloqueios, mas o número de trechos bloqueados aumentou.
Cerca de mil litros de leite foram jogados fora só em uma propriedade rural no norte do Rio Grande do Sul. Por causa dos bloqueios de caminhoneiros nas estradas, o produto não está sendo recolhido. E, nas propriedades, o leite começa a estragar.
Uma indústria, que produz mais de 200 mil aves por dia nem abriu hoje, porque a matéria não chega. Ontem (25), os funcionários foram liberados mais cedo. Por outro lado, terminou de manhã o bloqueio na BR-293, no sul do Rio Grande do Sul.
O ponto mais crítico do protesto no estado é na BR- 101, em Três Cachoeiras, no litoral norte. A cidade está tomada de caminhões. Quatro mil deles ocupam as ruas da cidade e estão parados ao longo da rodovia.
Por volta das 9h, os manifestantes receberam uma notificação judicial para deixar a estrada. Aos poucos, alguns caminhoneiros começaram a liberar a rodovia. Mas um deles quase atropelou os colegas quando tentava sair e foi preso.
O número de bloqueios também aumentou em Santa Catarina. Falta gasolina desde sábado em São Miguel D’Oeste. Em Chapecó, a maior cidade da região, só um posto tem gasolina. Um hospital da cidade de Videira cancelou as cirurgias eletivas, porque vários materiais já estão em falta na unidade.

“Em razão do cenário caótico que nós estamos passando, falta de entregas, de combustível, então essa decisão foi tomada ontem como medida preventiva”, fala o diretor administrativo Flamarion Lucas.
Às 8h, os manifestantes interditaram o Trevo Cataratas, uma das principais ligações entre o interior do Paraná e o Porto de Paranaguá.

Por falta de combustível, 38 cidades do sudoeste do Paraná suspenderam até amanhã o transporte escolar e as aulas nas escolas municipais.
Caminhoneiros autônomos, que voltaram a bloquear de manhã duas BRs em Dourados, Mato Grosso do Sul, dizem que querem do governo medidas concretas.
Os reflexos de uma semana de protesto nas estradas em Mato Grosso são sentidos nas revendedoras de gás de cozinha. Um depósito tem mais de 1.200 botijões vazios, mas o gerente só agenda clientes.
De manhã, os manifestantes interditaram um trecho de uma rodovia estadual paulista. Eles deixaram passar um caminhão que transportava cilindros de oxigênio para um hospital.
A Secretaria Geral da Presidência informou que o governo está acompanhando as manifestações dos caminhoneiros e espera que elas terminem ao longo do dia.

A Advocacia Geral da União disse que aguarda comunicação da Polícia Rodoviária Federal sobre as estradas onde não foi cumprida a decisão judicial de desbloqueio. A partir daí, como em qualquer decisão de reintegração de posse, o juiz pode determinar uso da força policial.

Classe C está comprando menos produtos no mercado, diz pesquisa

Alta nos preços faz com que consumidor compre menos produtos.
Custo de vida em São Paulo subiu 1,21% em janeiro deste ano.

Quase metade dos brasileiros da classe C dizem que compram menos comida hoje do que há seis meses. Esse é o principal resultado de uma pesquisa feita pelo Data Popular.
Produtos de limpeza, óleo, arroz, frutas, feijão, queijo... os preços de diversos produtos e alimentos subiram. Quando os preços aumentam, o reflexo no carrinho é imediato e ele acaba ficando mais vazio.
Segundo a pesquisa, 47% dos brasileiros da classes C disseram que hoje compram uma quantidade menor de produtos no supermercado do que em julho do ano passado. Para 41%, a quantidade continua a mesma e 12% disseram que estão comprando mais.
“O consumidor da classe C não está gastando menos, está comprando menos, porque com o mesmo dinheiro ele não consegue comprar o que comprava seis meses atrás. Como o preço da comida subiu, o da luz não para de subir e os transportes tiveram um aumento muito grande, está sobrando menos dinheiro para se comprar no supermercado”, explica Renato Meirelles, presidente do Data Popular.
Levantamento da Fecomércio sobre os preços na Região Metropolitana de São Paulo em janeiro mostra que o custo de vida subiu 1,21%, a maior alta dos últimos quatro anos. As tarifas de energia e transporte público foram as que mais pesaram. Depois, alimentação e bebida, que vêm subindo mês a mês.
A pesquisa do Data Popular também mostrou que os consumidores de classe C estão trocando marcas tradicionais por outras mais baratas e que há uma tendência entre os consumidores de formar grupos e comprar no atacado.

Estudantes reclamam que não conseguem fazer inscrição no Fies


O Jornal Hoje recebeu muitas reclamações de estudantes que não conseguem fazer a inscrição no Fies, o Financiamento Estudantil. Eles dizem que a página do Ministério da Educação está com problemas e fica muito tempo fora do ar.
Por causa dos problemas nas inscrições do Fies, uma universidade particular atrasou o início das aulas para os calouros. Os veteranos já estão estudando desde a semana passada. Mas aulas das novas turmas de todos os cursos só vão começar na próxima segunda-feira.
Ministério da Educação reconheceu que o site do Fies está instável e disse isso é resultado do grande número de estudantes que tentam se inscrever. Segundo o MEC, a página chegou a ficar algumas horas fora do ar na quarta-feira, mas voltou a funcionar no mesmo dia.

O ministério afirma que seus técnicos trabalham para garantir a estabilidade e segurança da o sistema. Este ano, o governo estipulou um prazo menor para inscrições de novos contratos. Elas começaram na segunda-feira passada e vão até 30 de abril. Antes, o estudante podia se inscrever ao longo de todo o semestre.
Mas as regras vão ficar mais rígidas a partir do dia 30 de março. A partir dessa data, o MEC vai exigir nota mínima de 540 pontos no último Enem. O estudante também não pode ter tirado zero na redação.

O Ministério da Educação informou que o estudante que já se matriculou e pagou alguma mensalidade deve ser ressarcido pela instituição de ensino, quando conseguir o financiamento do Fies. Mesmo que o contrato seja fechado em abril.




Atualizado 25/02/15

RGs roubados foram usados em mais de dois milhões de fraudes em 2014

Bandidos usaram identidades roubadas em mais de dois milhões de tentativas de fraudes em 2014, segundo a Serasa Experian. Isso significa uma tentativa a cada 15 segundos. Os golpistas costumam comprar telefone com os dados roubados para ter um endereço e comprovar residência. Com isso em mãos, eles partem para novas fraudes.
Faz quatro anos que o cozinheiro Sergio de Almeida Campos esqueceu os documentos em um caixa eletrônico. “A partir daí eu comecei a ter vários problemas, comecei a ser acionado judicialmente por crimes que eu não cometi. São dois processos na região de Campinas, onde eu sou fiador de uma pessoa que eu não conheço, em uma casa que eu não conheço, em uma cidade que eu nunca fui, que é Jaguariúna. E o outro de 2014, eu sou locatário em uma casa de campinas, mas nunca morei em Campinas", relata.
O problema mais recente de Sergio foi com o Imposto de Renda: "Eu tentei declarar e descobri que já tinha sido declarado por essa pessoa que fez isso para ter credito no mercado”.
Entre os golpes mais comuns, estão solicitar cartão de crédito com a identidade falsa ou roubada; financiar a compra de produtos eletrônicos, como TV e computadores; comprar celulares e carros e deixar a conta para a vítima; e abrir uma conta bancária ou empresa falsas.
Para não virar vítima, a principal precaução é cuidar de seus dados. “O consumidor tem que entender que os dados pessoais dele são muito importantes, que é de interesse do fraudador. Então, ele tem que tomar muito cuidado, seja com seus documentos físicos para não perder, ou nas compras virtuais, não compartilhando seus dados facilmente, só para aqueles sites que realmente tem confiança”, orienta Julio Cesar Leandro, superintendente do Serasa Consumidor.
Quem tiver os dados roubados, deve procurar um serviço de proteção ao consumidor para que lojas e empresas saibam que aquele CPF pode ser falso. No caso de Sergio, isso ajudou a monitorar os atos do fraudador, mas a dor de cabeça ainda não acabou: “Essa pessoa que fez isso vai continuar fazendo. Ele vive disso, na verdade. Enquanto ele não for pego, eu vou estar pagando as contas dele, a verdade é essa”.
Comprar celular com dados de outra pessoa é o principal golpe desses bandidos que roubam documentos ou conseguem as informações pessoais pela internet. Trinta e oito por cento das tentativas de fraude de 2014 foram com o setor de telefonia.

BC registrou mais de 17 mil queixas de clientes de banco em seis meses

 O débito indevido na conta corrente não está mais no topo das reclamações contra os bancos. Agora são os pagamentos em duplicidade, aquele que você paga duas vezes porque perde o controle e recebe a cobrança de novo. Os consumidores estão mais atentos e com isso tem crescido a cada ano o número de reclamações.
Cliente insatisfeito não fica calado e o ranking de reclamações do Banco Central prova isso. Nos últimos seis meses foram registradas mais de 17 mil queixas (17.233). O número pulou de mais de duas mil reclamações em agosto de 2014 para 3600 em janeiro deste ano.
São quase 70 tipos de reclamações diferentes. O débito indevido na conta, que por muito tempo puxou o levantamento - já não é mais a grande dor de cabeça dos clientes.
Em primeiro lugar agora aparece a segurança das operações, como cobranças feitas em duplicidade, por exemplo.
Em seguida, vem os problemas com a transferência de empréstimos e financiamentos de um banco para o outro, a chamada portabilidade, que está sofrendo restrições principalmente por causa do crédito consignado.
Esse tipo de empréstimo corresponde a 90% das operações de portabilidade realizadas em todo o sistema financeiro. Os clientes relatam que os bancos estão criando dificuldades, como, por exemplo: não fornecem informações necessárias para o cliente, não respeitam prazos ou alegam problemas técnicos para não efetivar a transação.
O Banco Central afirma que as reclamações contra a portabilidade aumentaram porque as regras para trocar a dívida de um banco para o outro ficaram mais claras para o cliente desde maio do ano passado.
“Antes, ele não poderia reclamar do prazo porque não havia definição de prazo, então agora ele tem o passo a passo definido e torna mais fácil para ele identificar que houve um descumprimento e isso representa na realidade um ganho num processo”, fala a chefe do departamento de atendimento institucional do Banco Central, Fernando Dutra.
Para ver se a portabilidade realmente vale a pena o consultor financeiro, Rogério Olegário, diz que o cliente tem que ter em mãos uma informação básica: se a prestação no novo banco vai ficar menor. Só que para isso a pessoa precisa conhecer o custo efetivo total da operação, que inclui além dos juros, taxas, despesas e encargos que são cobrados pela instituição financeira.
“Se a parcela diminui é porque o custo efetivo total desta operação foi menor, considerando evidentemente que vai se manter o mesmo numero de parcelas”, explica Olegário.
Em janeiro foram feitas mais de 40 mil operações de portabilidade. O Banco Central informa que os bancos são obrigados a ter uma ouvidoria e que os clientes também devem usar esse canal para fazer as reclamações.

Justiça está mais rígida com quem usa a internet para difamar pessoas

A justiça brasileira está mais rígida com quem usa as redes sociais e os grupos de conversas de celular para ofender, falar mal, difamar os outros. Quem posta a ofensa é punido, quem compartilha é punido e quem simplesmente entra na página e concorda com o que viu também é punido. Já tem casos em que a vítima ganhou uma indenização de R$ 20 mil de todos os envolvidos.
O mundo que se exibe numa tela, onde a vida é meio de verdade, meio de mentira, meio civilizada, meio selvagem, e cada um diz o que quer acreditando estar livre de qualquer conseqüência, a cada dia fica mais parecido com o mundo real.
Nos últimos seis anos passaram pela justiça brasileira mais de 500 casos de vítimas de ofensas virtuais. Na grande maioria quem ofendeu foi julgado criminalmente e, além disso, pagou uma multa de R$ 20 mil a R$ 30 mil.
Quem responde pelo crime virtual? Em primeiro lugar, o responsável pela internet naquele computador.
“Como no caso de automóveis, aquele que vai responder se não puder dizer que foi outra pessoa e apresentar, é o dono do veículo que tem identidade amarrada à placa o carro. A mesma coisa acontece na internet. Em termos de resultados para isso é que a internet gera mais provas. Está tudo documentado”, diz a advogada especialista em crimes virtuais, Patrícia Peck.
A publicitária Viviane Teves sabe disso e pretende entrar na justiça por causa de estranhas mensagens que vem recebendo. Ela foi estuprada, dez anos atrás e agora resolveu contar essa história numa rede social, como forma de alerta para outras mulheres.
“Deu meia-noite e eu comecei a receber mensagens no celular: ‘parabéns pelos 10 anos de estupro, espero que seja estuprada novamente, só vim aqui para te dar parabéns’”, conta.

“Alguém começa uma piada, uma brincadeira de mau gosto e as outras pessoas curtem e começam a compartilhar isso achando que 'tudo bem, não vai me acontecer nada'. Mas não é assim. Todos os que se juntam na ofensa à uma pessoa, respondem junto com a pessoa que publicou aquele conteúdo”, explica  a advogada.
Uma menina de 11 anos está sofrendo há alguns anos com ofensas de colegas de classe, pessoais e nos últimos tempos virtuais. Este ano além do grupo da rede social, os colegas criaram um grupo no celular.
“Conversava das lições tudo. Aí depois, a gente entrava num assunto começava a me chamar de chata, de gorda, de monstra”, conta a menina.
“Pretendo marcar com pais dessas crianças que fazem isso com minha filha: para pararem que a gente sabe onde isso acaba... Em depressão. Ela não vai querer mais estudar por causa disso. E coisas piores. A gente vê isso na família”, fala a mãe da menina.
“A internet promove uma certa covardia. É público, mas acaba sendo de uma forma, pelas costas, com requinte de maldade. Hoje crimes tipificáveis pelo Código Penal Brasileiro tem sido o de difamação, que seria você expor a honra, a imagem de uma pessoa pela internet, e esse crime pode estar associado a outros: incitação ao crime, por exemplo, a ameaça. Se decidir ir para justiça tem prova para punir essas pessoas”, completa  a advogada.

Bloqueio de estradas prejudica diversos setores da economia

Os bloqueios montados nas rodovias estão causando prejuízos em vários setores da economia e o cidadão já começa a sentir de perto os reflexos dessa paralisação.
No último balanço da Polícia Rodoviária Federal de hoje de manhã, 97 estradas estavam interditadas em dez estados. Em Minas, os caminhoneiros liberaram duas estradas importantes que cortam o estado por causa de uma ordem da justiça.
Na BR-081, a Fernão Dias, na região metropolitana de Belo Horizonte, o movimentado era grande, mas não tinha trecho de engarrafamento no início da tarde.
Bem diferente de hoje de manhã quando a Polícia Rodoviária Federal foi informada sobre a ordem judicial para liberar as rodovias por volta das 6h. O congestionamento chegou a 20 quilômetros. Os caminhoneiros que estavam no trecho perto de Igarapé, na saída para São Paulo, foram saindo aos poucos.
Na BR-040, que liga Belo Horizonte ao Rio de Janeiro, os caminhoneiros começaram a circular também assim que foram notificados. Já no Triângulo Mineiro, na BR-365, teve protesto com pneus queimados e os carros conseguiam passar só pelo acostamento. Mas no fim da manhã, os caminhoneiros começaram a liberar a estrada. Quem descumprir a determinação da justiça de Minas vai pagar multa de R$ 5 mil por hora para o caminhoneiro e R$ 50 mil para o sindicato.
Os reflexos do movimento dos caminhoneiros já estão chegando ao consumidor. Os centros de abastecimento não estão recebendo alguns tipos de frutas, verduras e legumes. Nas feiras livres, alguns preços estão assustando o consumidor. 








Atualizado 12/02/15

Faculdades com mensalidades acima da inflação podem sair do Fies

 As faculdades que reajustaram as mensalidades com índices acima da inflação podem ficar de fora do Fies, o Fundo de Financiamento Estudantil. Esse é um dos motivos que tem dificultado o acesso de milhares de pessoas ao fundo de financiamento estudantil.

No site, a informação é a mesma desde o início do ano: o sistema do Fies está aberto para contratos já existentes. Para novos contratos, no entanto, a informação é que as inscrições estarão disponíveis em breve, mas não há previsão.
Segundo o Ministério da Educação, 1,9 milhão de estudantes já participam do Fies. Mas até agora, só 280 mil conseguiram renovar os contratos. Um dos motivos é o valor da mensalidade. As faculdades que reajustaram os preços acima de 4,5% vão ter que dar explicações ao MEC. Só depois disso, vão poder voltar a oferecer o financiamento para os alunos.
O ministro da Educação, Cid Gomes, garante que nenhum aluno será prejudicado. “Quem já está no Fies não tem que ter nenhuma preocupação. Todos serão renovados”. 
O ministro considera razoável o teto de 4,5% para os reajustes. “Nós temos aí é alguns casos em que instituições aumentaram os preços das mensalidades num percentual acima do que seria a inflação e nós estamos, nesses casos, querendo saber das instituições por qual razão elas aumentaram sua matrículas”, fala o ministro.
A presidente da federação que representa 1.500 mil universidades e faculdades particulares, Amábile Tácios, diz que os reajustes não se baseiam no índice da inflação.
“A lei nos permite a fazer esse reajuste mediante nossa planilha. Portanto, nós temos a liberdade de estipular o nosso preço. E esse semestre em particular a gente tem a negociação com os professores. E todas as instituições irão prestigiar o professor, portanto todo mundo aumentou em mais de 4,5%”, diz Amábile.
O MEC não diz quando vai abrir as inscrições para os novos contratos. A estudante Ingrid Azevedo entrou agora na faculdade, já está assistindo às aulas e ainda não sabe como vai pagar as mensalidades.
“Prejudica porque no caso eu estou dependendo do Fies. Aí fica chato, você fica esperando, não sabe quando voltar, se vai voltar e tem medo de acabar perdendo a oportunidade”, fala.

Na tarde desta quinta-feira (12), o Mec deve anunciar novas regras sobre o Fies. Isso inclui mais rigor na qualidade de ensino das faculdades credenciadas para receber o financiamento. Vai ser dada prioridade para as faculdades que oferecem cursos considerados estratégicos, como engenharia, física e matemática. E, deve ser mantida a exigência da nota mínima no Enem, que desde dezembro passou a ser de 450 pontos.

Frentista mata jovem que protestava contra aumento da gasolina no D

Um adolescente de 15 anos é morto durante um protesto num posto de gasolina, perto de Brasília. Os motoristas eram contra o aumento no preço dos combustíveis e o menino foi morto com dois tiros dados pelo frentista.
O frentista trabalhava em um posto em Planaltina, perto de Brasília. As imagens foram feitas pouco antes do crime. O posto estava cheio, tinha cerca de 50 pessoas. No meio do grupo, estava Lucas da Luz Alves, um adolescente de 15 anos.
O rapaz participava de uma manifestação pacífica contra o aumento do preço da gasolina. Um grupo de pessoas se mobilizou por uma rede social para ir ao posto no mesmo horário abastecer R$ 0,50 e pagar no cartão.
Foi o que irritou o frentista que, em vez de R$ 0,50, colocou R$ 50 em um dos carros, e disse que não ia mais abastecer nenhum veículo com pouco combustível. No meio da discussão, segundo os manifestantes, ele sacou uma arma e deu dois tiros em Lucas, que morreu na hora.
“Uma coisa assustadora. Perde a vida por causa de, a gente nem sabe por que, uma discussão banal”, fala o técnico de informática Renato Dias.
O frentista, Emerson dos Santos Feitosa, de 26 anos, foi preso em flagrante. Ele disse à polícia que andava armado por medo de trabalhar à noite no posto. Não tinha ficha criminal e, agora, vai ser indiciado por homicídio doloso e porte ilegal de arma.
“Uma pessoa para trabalhar, está preparada para matar uma pessoa por nada, uma criança, ele está preparado para fazer qualquer coisa. Ele não está preparado para trabalhar no meio da sociedade”, fala a amiga de Lucas, Flávia Regina Costa.







Atualizado 11/02/15

Duas pessoas são condenadas por racismo e injúria racial no DF

Na semana passada, um ex-policial civil e a irmã dele receberam as maiores penas já aplicadas em crimes de racismo. A discriminação é uma prática antiga no Brasil. A novidade agora é que as vítimas denunciam o crime.

A advogada Josefina Santos, ex-secretária de igualdade racial do Distrito Federal, estava caminhando quando viu quatro jovens sendo abordados por policiais militares. Após a revista, ela foi conversar com um dos garotos que era negro e aí ouviu xingamentos de uma policial branca.
“Quando eu falei que era advogada ela falou: ‘essas neguinhas quando aprendem alguma coisa acham que é gente’”, fala a advogada Josefina Serra dos Santos.
Já para produtora de eventos, Claudenilde Chagas, o racismo aconteceu dentro de uma boate.  As duas entraram na justiça contra os agressores.  Elas querem a condenação criminal e uma indenização.  “Ele disse para mim: você já se olhou no espelho? Você parece uma macaca. Você é feia e não é para estar nesse tipo de lugar. Eu comecei a chorar”.
Esses casos são considerados injúria racial. É quando alguém ofende uma pessoa com o uso de palavras depreciativas por causa da cor.
O crime permite fiança e tem pena de até três anos.  Já o racismo é a discriminação de um grupo por causa da cor ou da religião. Acontece quando alguém é proibido de entrar em algum lugar por causa da raça, por exemplo. O crime é inafiançável e tem pena de até cinco anos.
Na semana passada, saiu a maior pena já aplicada para os dois crimes no Distrito Federal. 
O ex-policial civil Welingthon Guimarães e a irmã dele Eliane Guimarãess foram condenados por racismo e injúria racial.
Eles tiraram o sossego dos moradores da casa que fica atrás de uma oficina. O mecânico Raimundo Nonato Carvalho viu uma das ofensas. “Ele falava que não gostava de preto, entendeu”, conta. 
A família registrou queixa na delegacia.  As denúncias motivaram o Ministério Público a entrar com uma ação na justiça. Segundo o processo, a irmã do ex-policial xingou e ameaçou o filho do dono da casa. "Vou matar esse macaco que você chama de filho”. "Esse negro que parece um chimpanzé".
O ex-policial passou também a amedrontar os vizinhos.  De acordo com os depoimentos, ele arrombou o cadeado e invadiu o lote com uma arma na cintura e uma barra de ferro na mão e fez ameaças à família. Dentro da casa estavam a dona da casa e uma criança. Depois disso, todos decidiram se mudar às pressas.
O ex-policial foi condenado a três anos e quatro meses e a irmã a quatro anos, os dois em regime aberto.
“Esperamos que possamos chegar um dia que se vire essa página e que deixemos de ter casos de racismo e de discriminação na nossa sociedade”, fala o promotor Tiago Pierobom.
A família que foi vítima do ex-policial e da irmã dele não quis gravar entrevista. Por questão de segurança, ela teve que se mudar para outra cidade.

Menino de três anos cai do terceiro andar de hotel no litoral do RS

Um menino de três anos caiu do terceiro andar de um hotel em Capão da Canoa, no litoral do Rio Grande do Sul. Ele está internado em estado grave. A criança veio da Argentina com a família passar férias no Brasil e no fim de semana tinha sido flagrado pendurado na sacada do hotel.
O garoto caiu de uma altura de quase sete metros. A mãe disse à polícia que tinha deixado a criança sozinha no quarto para tomar café com os outros dois filhos mais velhos. “Ela alegou que a criança estava dormindo profundamente e que não imaginou que ela pudesse acordar ou ter meios de abrir a janela ou a porta como, ao que tudo indica, acabou acontecendo”, explica a delegada Valquíria Meder.
Adriano Benfica, recepcionista do hotel, ouviu o barulho e encontrou o menino desacordado.  Foi ele quem prestou os primeiros socorros: “Ele estava sem respirar, eu fiz a massagem cardíaca nele, fiz a respiração, botei um arzinho no pulmão dele e na quarta ou quinta vez ele voltou a si”.
O mesmo menino já tinha sido flagrado pendurado na sacada do hotel no sábado (7). Uma foto tirada pelo corretor de imóveis Wilson Grebien mostra o menino brincando na varanda com o irmão de nove anos. “Até dei um grito de lá, mas acho que eles não entenderam. Argentinos, né? Aí no caso deixei assim, não fui adiante, mas eu previ que podia acontecer aquilo ali e acabei tirando a foto. Infelizmente aconteceu isso aí”, relata.
A foto tirada por Wilson foi anexada ao inquérito aberto para investigar as causas da queda. Segundo a polícia, a mãe deve ser indiciada por lesão corporal culposa e por negligência. 
O garoto foi levado para um hospital de Capão da Canoa, mas precisou ser transferido de helicóptero para Porto Alegre. Ele sofreu fraturas em várias partes do corpo e está em estado grave.
"Foi diagnosticado que ele teve uma contusão pulmonar e, além disso, o mais grave, que o deixou em coma, foi o fato de ele ter tido uma fratura de base de crânio, na parte de baixo do crânio, e no osso paretal esquerdo, com inchaço muito grande cerebral",  explica a médica Rossana de Carli






Atualizado 10/02/15

Motoristas buscam soluções para driblar aumento no preço da gasolina

Com a alta no preço do álcool e da gasolina, os motoristas estão fazendo de tudo para economizar. Há várias maneiras de gastar menos combustível e até a hora de mudar a marcha pode fazer a diferença.

O aumento de preço da gasolina assustou o representante comercial Vladimir da Costa: “Eu ia pôr gasolina. Tá R$ 3,32, aí eu resolvi pôr álcool, que ta um pouco mais barato”.
Abastecer com álcool só vale a pena em postos onde ele custar menos de 70% preço da gasolina. A técnica de enfermagem Dilma Ferreira prefere outra estratégia: “O jeito é olhar o posto que tiver com preço mais em conta mesmo para poder abastecer no lugar”.
O taxista Adail Miguel de Almeida tem 30 anos de experiência na praça e sabe que a maneira de dirigir também pode ajudar a gastar menos. Por exemplo, usar a marcha correta e não fazer muitas mudanças de câmbio. “Outra dica é acelerar menos, porque quanto mais você acelera, mais gasta combustível”, afirma.
Pesquisadores comprovaram isso no laboratório de engenharia mecânica da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Eles têm um motor de testes que simula a aceleração de um carro. Para economizar, é preciso respeitar a regulagem de fábrica.
“As fábricas já regulam os motores para um consumo eficaz. Na cidade, em velocidades entre 30 e 60 km/h, e na estrada entre 80 e 110 km/h”, explica o professor Eduardo Barros, professor de engenharia mecânica da UFMG.
A queima do combustível ocorre dentro do cilindro, no motor. O combustível é queimado completamente quando a aceleração é constante. Já a aceleração brusca ou em excesso provoca o surgimento de uma chama que indica o desperdício de combustível. “Quando a gente acelera o motor, esse movimento se incrementa, vai aumentando a velocidade, a combustão do motor”, diz Eduardo.
Além disso, os cuidados com o carro fazem diferença. Ar condicionado desregulado e programado para muito frio exige mais combustível para o funcionamento do motor. Velas e filtros velhos também. Pneus carecas e mal calibrados aumentam muito o consumo. “Isso força o motor a desenvolver uma potência maior, devido a falta de aderência com o solo, e o motor forçando mais o combustível acaba sendo consumido mais”, explica Valmir dos Santos Medeiros, professor de mecânica.
O estudante Marcelo Abreu pretende seguir esses cuidados e mais: aderir ao transporte solidário: “Fazer uma carona com os amigos para tentar compensar esse aumento da gasolina”.
De acordo com a última pesquisa da Agência Nacional do Petróleo (ANP), a gasolina está mais cara no estado do Rio de Janeiro, onde o litro está sendo vendido por R$ 4,51. A mais barata está custando R$ 2,35 em Goiás. Clique aqui e confira o preço da gasolina pelo Brasil.

Mulheres comandam um terço das pequenas e micro empresas do Brasil



As mulheres já comandam um terço das pequenas e micro empresas do Brasil. Levantamento do Sebrae mostra que o número de mulheres empreendedoras cresce mais do que o de homens.
Produzir salgadinhos integrais, sem leite e sem ovos, foi a ideia da empresária Jordana Saldanha para deixar a profissão de jornalista e abrir há cinco anos uma fábrica com a mãe. Como também é ex-atleta, ela viu na alimentação saudável uma boa área pra investir. As vendas começaram no atacado. Dos nove clientes iniciais, hoje já são mais de 150. Sem contar os clientes da loja, aberta há cinco meses. O faturamento mensal é de R$ 150 mil.
“Eu enxerguei um mercado super promissor. Eu era atleta também, minha mãe já tinha uma produção de salgados tradicionais, de massa branca. Eu enxerguei a possibilidade de lançar um novo produto no mercado, que era o salgado integral. A questão de empreender e não ter limite pra crescer. Foi o que me atraiu”, conta Jordana.
Entre 2002 e 2012, a quantidade de pessoas que montaram o próprio negócio cresceu 11% e foi bem maior entre as mulheres. O número de empreendedoras subiu 18% e o de homens empreendedores 8%.
Apesar de as empresas lideradas por eles ainda concentrarem a maior parte da mão de obra, a quantidade de mulheres empregadoras, segundo o Sebrae, aumentou 19% e a de homens empregadores apenas 3%.
Segundo o Sebrae, a tendência é que as mulheres continuem cada vez mais se inserindo no mercado de negócios. Um dos motivos é adaptação da vida pessoal à vida profissional. É perto de casa que as mulheres estão enxergando as oportunidades e uma forma de complementarem a renda.
Além de estarem montando o próprio negócio e empregando mais gente, as donas das micro e pequenas empresas também contratam mais mulheres. “A mulher é detalhista, organizada, pontual e tem um fator que eu considero mais importante, ela é mais aberta ao conhecimento. Ela está procurando o conhecimento, a informação, a capacitação. Portanto, a mulher tem uma qualidade decisiva hoje que é se atualizar constantemente”, analisa Luiz Barreto, presidente do Sebrae.












Atualizado 09/02/15

Traficantes escondem drogas em carros que circulam pela via Dutra

As apreensões de drogas nas rodovias federais de São Paulo cresceram 300%, no ano passado. A Via Dutra é a mais usada pelos traficantes. Na última apreensão, a Polícia Rodoviária encontrou 50 kg de maconha. O motorista levava a droga para abastecer uma cidade do litoral paulista, durante o Carnaval.
No balanço divulgado hoje pela Polícia Rodoviária Federal, no ano passado, as apreensões de
cocaína aumentaram 34% em todo o Brasil e as de maconha, 43%. Em 2013 foram 116 mil kg, contra 168 mil kg de maconha, no ano passado. No estado de São Paulo as apreensões de maconha nas rodovias federais saltaram de três mil kg para 12 mil kg, em 2014. Um aumento de mais 300%.
Uma das maiores apreensões de drogas, no ano passado, da Polícia Rodoviária Federal, foi no trecho do Vale do Paraíba da Via Dutra. Meia tonelada de cocaína foi encontrada em um carro. E é escondida em veículos que muitos bandidos tentam transportar a mercadorias entre as cidades do país.
Vídeos feitos pela Polícia Rodoviária Federal mostram os locais preferidos pelos traficantes para esconder a droga. Em um carro eles prenderam os pacotes de maconha atrás da roda.  Os policiais tiveram de desmontar toda a porta.
Em outro carro, os tijolos de maconha estavam debaixo do banco. A maioria dos traficantes é homem e usa carros para levar a droga. Mas segundo a polícia, o numero de mulheres     usadas para transportar drogas está crescendo. Uma delas foi presa em flagrante num ônibus, levando armas e drogas presas na cintura. Assista ao vídeo.
A Polícia Rodoviária também revelou que em 2014 foram registrados mais de 168 mil acidentes nas estradas federais. A boa notícia é que houve uma redução de 15,3%, em relação ao ano anterior. O número de feridos caiu 9,2% e a redução no número de mortos nas estradas federais chegou a 8,4%.

Registro de roubo de celular em SP vai incluir o bloqueio dos aparelhos


A polícia de São Paulo criou uma medida com o objetivo de diminuir o roubo de celulares. A partir de agora, a própria polícia vai ficar responsável por pedir pras operadoras o bloqueio do aparelho roubado.
O telefone celular virou um trauma na família de uma escritora, que prefere não se identificar. Em uma semana, o filho dela foi assaltado duas vezes em um ponto de ônibus em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo. O mesmo ladrão levou dois celulares e ameaçou de morte o rapaz de apenas 16 anos.
“O maior prejuízo foi a depressão que ele caiu. Porque ele vê um cara de moto com um capacete cor de rosa e ele fala: ‘mãe se ele amanhã me ver num ônibus, ele vai tirar minha vida’”.
O celular é o bem mais roubado. No ano passado, o número de casos aumentou quase 150% no estado de São Paulo - 20,6% dos bens roubados são os telefones móveis.
A quantidade de celulares em circulação atrai os bandidos. São 280 milhões em todo o país. Quase cinco milhões de aparelhos roubados foram bloqueados pelos próprios donos. Agora, a polícia de São Paulo decidiu assumir a tarefa.
Até a semana passada, o dono de um celular roubado ou furtado tinha que ligar para a operadora e pedir o bloqueio do chip, da linha e do aparelho. Isso poderia levar dias.
Agora, quando um roubo for comunicado numa delegacia de São Paulo, a polícia vai usar o IMEI (Número de Identificação Internacional de Equipamento Móvel), que é o número de série do aparelho para fazer o bloqueio.
IMEI é o número de identificação internacional de equipamento móvel. Ele vem escrito na nota fiscal de compra e numa etiqueta colada no aparelho, que pode ser vista quando se tira a bateria. Outra forma de descobrir o IMEI é digitar no teclado do celular o código *#06# Como precaução, é bom anotá-lo. Só com o IMEI a vítima poderá fazer o Boletim de Ocorrência.
“No minuto que você realizar a informação que seu celular foi roubado ou furtado, registrar o Boletim de Ocorrência, basicamente questão de horas pelo menos já vai ser efetuado todos os bloqueios. A partir dessa medida, você está desestimulando o comércio. Por quê? O criminoso fica com algo na sua mão que não tem valor econômico nenhum. Não vai funcionar”, fala o delegado especialista em cibercrimes, José Mariano Araújo Filho.
O dono de um celular que foi roubado também pode pedir o bloqueio do aparelho nas operadoras. É só dizer o número de série, o IMEI. O serviço funciona no país inteiro.













Atualizado 06/02/15

Presos fogem no MT após agentes serem seduzidos e dopados

Os agentes de uma penitenciária de Cuiabá, no Mato Grosso, foram dopados durante uma festa dentro do presídio. Depois disso, 27 presos fugiram. Até agora, sete presos foram achados e voltaram pra cadeia.
Dois agentes prisionais foram seduzidos por duas mulheres, uma delas é casada com um dos detentos. Eles fizeram uma festinha particular dentro de uma das unidades. Os agentes foram encontrados dopados, algemados e nus.
Segundo a delegada que investiga o caso, depois que os agentes ficaram desacordados, a chave foi entregue a um dos detentos, que abriu todas as celas da cadeia.
A polícia só ficou sabendo da fuga depois que a tia de um dos presos ligou para a delegacia.
Agora, eles estão fazendo buscas na região. Segundo a Secretaria Estadual de Direitos Humanos, os fugitivos respondem por crimes como homicídio, roubo e tráfico de drogas.
A segurança foi reforçada em todas as unidades prisionais do estado. Os dois agentes e o diretor da cadeia foram autuados em flagrante por facilitação de fuga.

Inflação fica em 1,24% em janeiro e é a maior dos últimos 12 anos


A inflação em janeiro estourou o limite da meta e, segundo o IBGE, ela é a maior dos últimos 12 anos. Em janeiro, o IPCA, índice que mede a inflação oficial, chegou a 1,24%.
Nos últimos 12 meses, o aumento de preços chegou a 7,14%, valor bem acima da meta definida pelo governo, que é de 4,5% de inflação para 2015. “Essa é a primeira vez desde 2011 que o IPCA registra uma taxa de 7%”, afirma Eulina Nunes, gerente do IBGE.
As despesas com moradia tiveram a maior alta de preços em janeiro, influenciada principalmente pela energia elétrica, que ficou 8,27% mais cara em relação a dezembro do ano passado. Os gastos com transporte subiram 1,83%. Tudo isso deixou o orçamento das famílias ainda mais apertado para enfrentar as despesas com os alimentos, que também subiram bastante: 1,48%.
Em uma feira livre em Goiânia, por exemplo, já tem alface custando R$ 5, chuchu a R$ 6 e tomate custando quase R$ 8 o quilo. Esses preços assustam até os feirantes. “A gente também acha carp, mas a gente compra na Ceasa, que também está caro”, diz um feirante.
No supermercado, a situação também preocupa. Um levantamento da Secretaria do Planejamento de Goiás revelou que na capital do estado o preço do arroz subiu 3,11% em janeiro. Mas nada se compara à inflação do feijão: 14,36%. O mesmo levantamento revelou que em Goiânia as famílias que recebem de um a cinco salários mínimos gastaram um terço da renda só com alimentos em janeiro.






Aldemir Bendine deve ser o novo presidente da Petrobras

A grande expectativa hoje é saber quem será o novo presidente da Petrobras. O anúncio oficial vai ser feito pelo conselho administrativo da estatal, que está reunido num prédio da empresa em São Paulo. Oficialmente o nome do novo nome só poderá ser divulgado no fim da tarde desta sexta-feira (6) depois do encerramento do pregão da Bolsa de Valores.

A informação de que o novo presidente da Petrobras dever ser mesmo o Aldemir Bendine foi dada hoje, em primeira mão, pela comentarista política da Globonews, Cristiana Lôbo.
O nome foi uma escolha pessoal da presidente Dilma Rousseff. Ele foi uma espécie de "nome secreto" que a presidente Dilma guardou enquanto avaliava outros nomes como Luciano Coutinho, presidente do BNDES e Murilo Ferreira, da Vale.
Bendine é ligado ao PT e considerado um executivo que cumpre missões dadas. Ele leva para a diretoria financeira da Petrobras Ivan Monteiro, que ocupava a mesma área no Banco do Brasil.
A diretoria da Petrobras ele deve formar com nomes da carreira da casa da Petrobras, que pode ser uma diretoria interina.
O conselho administrativo atual vai mudar. O presidente atual é o ex-ministro da Fazenda, Guido Mantega, e o desafio da presidente Dilma Rousseff é escolher pelo menos mais um conselheiro para assumir a presidência do conselho. Dilma está procurando alguém com o perfil do Bendini, que venha do sistema financeiro.

Perfil
O novo presidente da Petrobras, Aldemir Bendine, é funcionário de carreira do Banco do Brasil.
Aldemir Bendine assumiu a presidência do Banco do Brasil em abril de 2009, ainda no governo Lula. Foi colocado no cargo para reduzir os juros e impulsionar a política de concessão de crédito da instituição.
Graduado em administração de empresas, Aldemir Bendine tem formação especifica em finanças e formação geral para altos executivos. Ele é funcionário de carreira do Banco do Brasil, com 37 anos de casa. Entrou no banco como estagiário, aos 15 anos.

Antes de chegar à presidência, atuou como vice-presidente de varejo e distribuição, foi secretário-executivo do conselho diretor e gerente-executivo da diretoria de varejo da área de cartões. Bendine nasceu em Paraguaçu Paulista, no interior de São Paulo, e tem 52 anos.
Sob o comando de Bendine, o Banco do Brasil voltou a ser a maior instituição financeira do país e começou a comprar bancos no exterior. O nome dele para a presidência da Petrobras deve ser confirmado hoje à tarde.
Mercado
A provável escolha de Aldemir Bendine pra presidente da Petrobras derrubou as ações da empresa na Ibovespa. As ações já abriram o dia em queda e quando o nome de Aldemir Bendine ficou mais forte elas aceleraram a desvalorização.
No início da tarde, a Petrobras era a empresa com a maior movimentação na bolsa e puxa a queda do Ibovespa, que é o principal índice da Bolsa de Valores. Para o mercado a solução foi caseira, tomada sem tempo hábil.
Segundo alguns analistas, o Banco do Brasil é bem administrado, mas o mercado queria alguém de fora, para levar a experiência do setor privado para a estatal. A escolha, portanto, passa uma imagem ruim apesar de não ser um nome ruim.

Anvisa proíbe venda de dois antibióticos genéricos da EMS

 A Anvisa proibiu a fabricação de dois antibióticos genéricos produzidos pela empresa EMS. Parte da fábrica em Hortolândia, onde esses remédios são produzidos, foi interditada.
Os remédio são: Clavulanato de Potássio, muito usado no tratamento de doenças respiratórias  e a Rifamicina spray, usada no tratamento de feridas.
Eles foram suspensos, porque segundo a Anvisa, o fabricante alterou o processo de produção dos medicamentos. No caso da Amoxicilina, por exemplo, foi usada uma substância diferente. Uma outra foi sintetizada também de forma diferente do que foi aprovado pela Anvisa.
Assim, fica a dúvida se os remédios mantém a mesma eficácia e qualidade. A empresa está proibida de fabricar e deve recolher todos os estoques das farmácias dos lotes a partir de fevereiro de 2013. Quem está em tratamento deve interromper o uso do medicamento e procurar o médico.

A venda do outro remédio, da Rifamicina spray, não foi proibida, só a fabricação porque segundo a Anvisa, a empresa aumentou dez vezes a produção sem  autorização. A EMS informou que segue padrões rigorosos de produção e que está tomando as medidas necessárias.

Quarenta mil crianças e adolescentes desaparecem por ano no Brasil

Todos os anos 40 mil crianças e adolescentes desaparecem no Brasil. Para as famílias, a investigação é lenta e muitas vezes cai no esquecimento.

Stephany Souza Lopes tinha seis anos quando desapareceu em 2002 na zona leste de São Paulo. A menina foi brincar na casa da vizinha e nunca mais foi vista pela família.  A mãe nunca deixou de procurar pela menina.
“Eu não deixei minha filha largada. Eu tenho dois filhos, muito bem criados, formados, e eu sempre fui uma boa mãe”, conta Zeni, mãe de Stefhany Souza Lopes.
Por ano 40 mil  crianças e adolescentes desaparecem no Brasil. Mães e entidades ligadas aos direitos humanos criticam a lentidão das investigações e a desistência na procura pelos desaparecidos depois de alguns anos.
Em 19 anos, a ONG Mães da Sé conseguiu encontrar 4.152 mil pessoas desaparecidas. A ONG foi criada por Ivanise Esperidião da Silva quando a filha dela, Fabiana desapareceu aos 13 anos de idade. Hoje ela estaria com 33 anos.
“Minha filha está desaparecida há 19 anos. Se eu for na delegacia hoje tenho certeza de que caso da minha filha está arquivado. O problema é tratado com descaso, com abandono muito grande”, conta.
Para o advogado Ariel de Castro há muitas falhas. A lentidão para registrar o desaparecimento, a falta de integração entre os estados e até a própria lei quando permite que adolescentes depois dos 12 anos possam viajar sozinhos sem a permissão dos pais.
“Nós entendemos que o princípio do Estatuto da Criança e Adolescente é a proteção integral na medida que esse adolescente pode viajar para qualquer lugar do país, eles estão desprotegidos. E isso acaba facilitando os casos de desaparecimento de adolescentes no Brasil”.

Nova fase da operação Lava Jato investiga 26 empresas


A Polícia Federal começou uma nova fase da operação Lava Jato, que investiga a corrupção naPetrobras. Os policiais federais e os servidores da receita cumprem mandados de busca em 26 empresas, a maioria de fachada. A Polícia Federal levou o tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, para depor em São Paulo.
Até agora, duas pessoas foram presas. Os policiais não divulgaram o nome deles. Duzentos policiais federais participaram desta operação, que tem duas frentes, uma ligada a operadores e outra a uma empresa metalúrgica que fabrica tanques de combustível para indústria e abastecimento de aviões.
Três mandados de prisão temporária são contra executivos de uma empresa, que fica em piçarras, no litoral catarinense. Dois foram presos, eles vão para sede da Polícia Federal em Curitiba. O outro está nos Estados Unidos, sendo monitorado pela polícia que já sabe que ele deve voltar hoje ao Brasil. Na sede da empresa, os agentes encontraram muito dinheiro, e ainda estão contando os valores.
Na outra frente da operação a polícia identificou 11 operadores que atuavam de forma semelhante ao doleiro Alberto Youssef, mas na diretoria de serviços da Petrobras. Uma diretoria era comandada por Renato Duque.
A Justiça decretou a prisão temporária de um desses operadores, no Rio de Janeiro, mas ele não foi encontrado até agora. De acordo com o Ministério Público Federal, as informações de Pedro Barusco, que trabalhava com Renato Duque na diretoria, ajudaram muito nas investigações. Assista ao vídeo.














Atualizado 04/02/15

Sistema hidráulico planejado guarda 1.500 litros de água para reutilização

Marcio Boucinha é servidor público, morador de Casemiro de Abreu, no Rio de Janeiro. Sua casa ecológica foi planejada em 2007, com uma tubulação para água potável e outra exclusiva para água de reuso, que vem da máquina de lavar e da chuva.
Durante a construção da casa, o tempo de instalação do sistema foi de três dias, dois para escavar o local de aterro do reservatório e um para a instalação hidráulica. A quantidade de água que cabe na caixa de captação é de 1000 litros e no reservatório distribuidor ficam mais 500 litros.
Marcio acredita que a economia pode chegar a 72.000 litros de água reutilizada em um ano.  Além disso, sua família tem outros hábitos que ajudam na economia. O banho não passa de cinco minutos e todas as torneiras têm arejadores. “A maior mudança que aconteceu na minha família foi a conscientização”.
O servidor público fez as contas da obra e garante que vale a pena. “O custo foi de aproximadamente R$ 617. Dependendo do consumo da família, em seis meses o investimento retorna. Posso dormir tranquilo por não jogar água tratada em vaso sanitário e calçadas”

Casa da Mulher Brasileira é inaugurada em Campo Grande (MS)

A primeira unidade da Casa da Mulher Brasileira foi inaugurada, nessa terça-feira (3), em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul. O projeto é uma inovação no atendimento à mulher que sofre qualquer tipo de agressão, porque reúne no mesmo espaço todos os serviços necessários, desde o acolhimento a essa mulher e aos filhos, apoio psicológico, delegacia para ela prestar queixa e órgãos do juizado e Ministério Público. A ideia é levar o projeto para vários estados.
“Para que ela possa fazer a denúncia, para que ela possa receber todos os serviços que ela veio procurar de uma maneira que se sinta apoiada e fale: ‘aqui eu vou ter apoio, aqui eu posso realmente denunciar, aqui vão me dar toda a segurança que eu preciso’”, diz Liz Derzi de Mattos, secretária municipal de Políticas Para as Mulheres.
“Teve um aumento do número de assassinatos de mulheres, diminuiu a tentativa, mas aumentou os assassinatos. Portanto, esses são os desafios que estão colocados aí para a Casa da Mulher Brasileira e para os profissionais que atuarão aqui dentro”, afirma Aparecida Gonçalves, secretária nacional de Enfrentamento à Violência Contra às Mulheres.
Agressões no Brasil
O número de denúncias de agressão contra a mulher aumentou 40% em 2014. São mais de 1,3 mil queixas por dia de todo tipo de agressão, inclusive a psicológica. A sala que funciona o “Ligue 180”, o disque-denúncia que atende mulheres de todo o país vítimas de violência, é um lugar sigiloso e de pouco acesso. A central telefônica funciona todos os dias da semana, 24 horas por dia.
Todas as atendentes são mulheres, treinadas para fazer com que a vítima, do outro lado da linha, se sinta mais acolhida, segura para fazer a denúncia. O número desses atendimentos não para de crescer.
A maior parte das denúncias (51,6%) é de violência física. Em seguida, está a violência psicológica (31,8%) e a violência moral (9,6%). As denúncias de violência sexual aumentaram 20% no ano passado em comparação a 2013 e a central registra, em média, três casos de estupro por dia.
Em 2014, o telefone 180, da Central de Atendimento à Mulher se transformou em disque-denúncia e os casos mais graves de violação passaram a ser encaminhados direto para o Ministério Público ou para a polícia. Desde que o serviço foi criado, em 2005, o “Disque 180” já realizou mais de quatro 4,1 milhões de atendimentos.
O serviço telefônico recebe histórias como a de uma mulher que durante nove anos foi vítima de violência doméstica na aldeia onde morava, no Mato Grosso do Sul. No dia em que o marido a ameaçou de morte, ela decidiu fugir e denunciou o caso à polícia, mas ele nunca foi preso. “Eu disse que se eu não tomasse uma atitude, meus filhos ficariam sem a mãe deles. Então, a atitude partiu de uma mãe, de uma mulher e no fundo de ser a corajosa que eu fui. Isso pra mim dói, falar do que eu passei, porque eu consegui dar a volta por cima, mas muitas ainda não conseguiram”, relata.   

Uma outra mulher foi abordada na rua quando voltava do trabalho. Ela foi estuprada em um terreno baldio, denunciou e o homem foi preso: “Ele me ameaçou todo o tempo com a faca falando que ia me dar três facadas e eu falava pra ele que eu não tinha dinheiro na bolsa, mas mesmo assim ele me guiava. Eu fiquei com ele durante uns 40 minutos ou mais. Foi bem complicado”.
Mesmo com os avanços, a coordenadora do disque-denúncia, Laisa Spagna, diz que ainda há muito que fazer para proteger a mulher da violência: “São várias amarras culturais que criam essa ideia de que uma diferença entre homens e mulheres permite uma dominação de homem sobre a mulher, pela violência inclusive, uma das armas utilizadas é a violência”.

Brasileiros estão mais confiantes nas compras pela internet, diz pesquisa

O consumidor brasileiro está mais confiante quando compra pela internet. Uma pesquisa feita no país inteiro mostrou que só 8% dos entrevistados ainda têm medo de comprar no mercado virtual. Quem compra, está satisfeito. Para os organizadores do estudo, o consumidor está mais experiente e os fornecedores estão oferecendo um serviço mais seguro e de melhor qualidade.
As lojas preferidas da radialista Juliana Paiva são aquelas que não fecham nunca. Ela compra tudo pelo computador. Roupas, livros e até esmaltes. Tudo mesmo. Uma das compras mais diferentes foi um presente.
“Comprei um cachorro para minha mãe. Vi imagem do animal, mandei e-mail, conversei com a dona. Ela me explicou sobre o animal. Aí dei o sinal para reservar e fui buscar. Deu tudo certo. Deu tudo certo. Hoje é a alegria da família", conta Juliana.
As lojas virtuais são do tipo mais perto impossível. A maior parte das pessoas que adotou o computador como centro de compras fez a escolha por uma questão de comodidade. Da internet dá para comprar quase tudo sem fila, sem trânsito. Economiza gasolina e estacionamento e não é só isso.
Comprar em lojas virtuais caiu no gosto do brasileiro. As vantagens são muitas de acordo com uma pesquisa feita pelo Serviço de Proteção ao Crédito, o SPC Brasil, e a Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas.

Metade dos entrevistados alega que os preços na telinha são melhores - 33% disseram que economizam tempo; 23% citaram como vantagem a facilidade para pesquisar produtos e comparar preços, e 19% o fato de poder comprar a qualquer hora.
Eletrônicos, livros e calçados são os campeões de venda na internet e hoje o consumidor mais experiente já se sente mais seguro, menos desconfiado na hora de dar o clique final.
"A pesquisa mostrou que 93% das pessoas que compram online usam a internet há mais de três anos. Ou seja: o consumidor está mais experiente ao mesmo tempo que os fornecedores estão mais maduros. É uma seqüência de boas experiências de compra. Se a pessoa compra, ela compra de novo, ela volta no mesmo site - ela vê que não teve nenhum problema ela se torna um consumidor habitual", fala Flávio Borges, gerente financeiro do SPC Brasil.

17% dos entrevistados disseram já ter ficado com o nome sujo por causa de compras feitas na internet.

Graça Foster renuncia ao cargo

A presidente da Petrobras, Graça Foster, e outros cinco diretores da empresa renunciaram a seus cargos hoje. A informação foi divulgada pela estatal em um comunicado aos investidores.
O comunicado da Petrobras é curto: "A Petrobras informa que seu conselho de administração se reunirá na próxima sexta-feira (06), para eleger nova diretoria, face à renúncia da presidente e de cinco diretores”. A nota não cita nem os nomes dos outros cinco diretores demissionários.
O comunicado foi em resposta a uma solicitação da Comissão de Valores Imobiliários, que pediu esclarecimentos a respeito de informações publicadas na imprensa sobre a renúncia de Graça Foster.
As ações da Petrobras, que ontem subiram 15% por causa das noticias sobre a possibilidade da saída de Graça Foster, subiram mais de 6% com a confirmação.

Graça Foster sempre disse que só soube das denúncias de corrupção na Petrobras com as investigações feitas pela operação Lava-Jato.
Foram 35 anos de carreira na Petrobras. Maria das Graças Silva Foster entrou como estagiária e ocupou vários cargos executivos na empresa. Foi diretora da área de gás e energia e presidiu a Gaspetro, a Petroquisa e a BR Distribuidora.

Assumiu a presidência da estatal em fevereiro de 2012, indicada pela própria presidente Dilma Rousseff. Elas se conheceram nos anos 90 e trabalharam juntas entre 2003 e 2005, quando Dilma foi ministra de Minas e Energia e Graça Foster secretária de Petróleo e Gás.
Ao substituir Sérgio Gabrielli, indicado pelo presidente Lula para o comando da Petrobras, o desafio era impulsionar o crescimento da estatal e fazer uma gestão mais técnica.
Graça Foster foi a primeira mulher no mundo a comandar uma petroleira. Nos três anos em que ficou na presidência da Petrobras, foi apontada como uma das executivas mais poderosas do planeta, mas não resistiu ao avanço das denúncias de corrupção na estatal, reveladas pela operação Lava-Jato.
Graça esteve no Congresso para prestar esclarecimentos a parlamentares sobre as denúncias. No ano passado, a Petrobras adiou por duas vezes a divulgação do balanço do terceiro trimestre. Os dados só foram divulgados na semana passada, sem a assinatura dos auditores externos contratados pela estatal. O balanço não incluiu as perdas com corrupção, mas estimou que empreendimentos da companhia estavam superavaliados em R$ 88 bilhões.
A renúncia de Graça Foster repercutiu no Congresso Nacional e a oposição conseguiu reunir assinaturas suficientes pra instalar uma nova CPI da Petrobras na Câmara.
O pedido de CPI tem 182 assinaturas de deputados de dez partidos, inclusive da base de apoio ao governo, já conferidas e validadas. Como o Congresso foi renovado nas eleições de outubro, foi preciso apresentar esse novo pedido.
A oposição quer que sejam investigados supostos atos ilícitos e irregulares na Petrobras entre os anos de 2005 e 2015. Para que a CPI seja instalada é preciso que o presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha, assine um ato. Aí os partidos terão um prazo para indicar representantes.
No Senado a oposição também começou a recolher assinaturas para criar mais uma CPI mista sobre o mesmo assunto.













Atualizado 29/01/15

Troca de bebês em maternidade vira mistério em Goiânia

A confusão foi descoberta depois que uma das mães decidiu fazer um teste de DNA. O marido, moreno, suspeitava que o filho não era dele porque é branco. Uma desconfiança que destruiu o casamento deles.

Foi um ano de sofrimento. O marido e a família dele suspeitavam de que o bebê era de outro homem. A mãe, de 22 anos de idade prefere não mostrar o rosto. “A família dele simplesmente jogava na minha cara que não era dele por não parecer com a família”.

Quatro meses depois de ser abandonada pelo marido, a vendedora fez um teste de DNA para acabar com a desconfiança. Aí veio a surpresa. Ela também não era a mãe da criança.

“Tava assim: não são os pais biológicos da criança. Aí eu entrei em estado de choque, comecei a chorar. Pedindo para Deus por que? O tanto que eu sofri na separação, fui pisada, fui humilhada”.

O filho, que nasceu numa maternidade particular de Goiânia, está hoje com um ano. A direção do hospital afirma que está colaborando com a investigação sobre a possível troca de bebês.

Em 2008, a maternidade também foi acusada do mesmo erro. Uma enfermeira foi indiciada depois que ficou provado que ela trocou as pulseiras de identificação de dois bebês. E essa mesma enfermeira, segundo a polícia, estava de plantão no dia em que a vendedora deu a luz.

Naquele dia, 25 de março de 2009, outras quatro crianças nasceram na maternidade Santa Lúcia. Uma era menina e outros três meninos. Mas só um deles nasceu num horário bem próximo do parto da vendedora. Foi pela família dele, que mora na zona rural de uma cidade próxima à Goiânia, que a polícia começou a investigação de paternidade. O resultado do exame pode sair ainda hoje.

A delegada da Infância e Juventude, Adriana Accorsi, diz que se o exame comprovar a paternidade, os bebês devem ser destrocados. “O direito da criança em ser criada pelos pais biológicos se sobrepõe a qualquer sentimento ou desejo dessas famílias. Se elas não quiserem fazer isso na delegacia com certeza a justiça determinará em forma liminar em poucos dias, melhor que seja feito o quanto antes”.

A vontade da mãe é outra. “Eu amo demais, a cada dia. Ele é tudo para mim, a única coisa boa que restou de um casamento infeliz”, chora a mãe.

A mãe do outro bebê que nasceu no horário próximo ao parto da vendedora disse à polícia que nunca desconfiou que o bebê pudesse ser de outra pessoa, MAS aceitou fazer o exame de DNA para esclarecer o caso. Se o resultado der negativo, os outros bebês também serão submetidos ao teste.

Consumidor infarta esperando ser atendido por call center

Um consumidor sofre um infarto e morre após enfrentar uma longa espera para ser atendido pelo call center de uma operadora de telefonia. Esse episódio abriu um precedente no Rio Grande do Sul: a Justiça decidiu que a empresa indenize a família da vítima em R$20 mil reais. 

Foram três meses tentando cancelar o serviço de banda larga. A família lembra da noite em que a ligação durou 45 minutos. Carlos, que era hipertenso, começou a sentir-se mal. 

"Dizia que estava apertando o pescoço dele, que tinha subido a pressão e quando foi na sexta ele enfartou" conta a viúva Elaine Bulling. 

Carlos foi levado ao hospital, mas não resistiu. 

Em Porto Alegre, a Justiça condenou a empresa a pagar R$20.400 de indenização à viúva de Carlos. A decisão foi unânime. Para os juízes, o mal súbito que levou o cliente à morte foi provocado pela indignação de ter que se submeter ao improdutivo sistema de atendimento da companhia. 

O relator do processo diz que empresas de telefonia estão entre as líderes de reclamações dos consumidores. 

"Se trata de serviço de concessão do Estado, seja pela atenção às regras do código de defesa do consumidor. Impõe-se que essas empresas atentem para a necessidade de melhor atender o consumidor", afirma o juiz Carlos Eduardo Richinitti 

Para a família, a sentença será um exemplo: "Trazê-lo de volta a gente não vai, mas pelo menos a gente ta fazendo uma coisa que as pessoas que tão se incomodando hoje procure correr atrás", diz Miriam Bulling, filha De Carlos. 

Como ainda cabe recurso no Supremo Tribunal Federal, a operadora disse que não comenta ações judiciais em andamento.

Entenda como funciona a mente de um psicopata

A polícia de Goiás divulgou hoje (14) a causa da morte dos seis garotos assassinados pelo pedófilo de Luziânia.
Os seis garotos morreram com pancadas na cabeça, segundo o IML. Em Brasília, a Polícia Federal já começou os exames de DNA para identificar os corpos.

Na quinta-feira, a CPI da Pedofilia vai ouvir o ministro da Justiça sobre o caso. No começo da tarde desta quarta-feira, a CPI decidiu convocar a psiquiatra que assinou um laudo dizendo que Adimar Jesus da Silva não tinha problemas mentais.

Sem data marcada, os senadores convidaram o juiz que liberou o pedreiro da prisão, apesar de outro laudo de psicólogos indicando que Adimar Jesus era agressivo e dava sinais de ser um psicopata.

Mas afinal, o que é um psicopata? 
Quando vemos cenas de violência, como a que marido matou a mulher, em Belo Horizonte, Minas Gerais, nosso corpo reage. O coração acelera, a pele transpira, sentimos um frio na barriga. São essas sensações que nos diferenciam dos psicopatas.

O cérebro deles não apresenta alterações estruturais, mas funciona de forma diferente. Para o professor de neurologia é possível dimensionar falhas nessa região do cérebro, considerada um marcador corporal da emoção.

“Pode existir uma falha da transmissão química entre os neurônios, uma falha da atividade elétrica dos neurônios. Esse indivíduo tem uma linguagem normal, uma noção normal, uma percepção normal e um raciocínio lógico normal. O único problema dele é que ele viola as nossas normas morais e sociais. Mais do que isso: ele não se arrepende”, explica Benito Damasceno, neurologista da UNICAMP.

Os cientistas ainda não descobriram o que causa essa deficiência no funcionamento cerebral.

O ser humano nasce ou não com uma tendência biológica a psicopatia, mas o que define se ela vai se manifestar e em que grau é o tipo de criação. A estrutura da nossa personalidade é formada até os 8, 10 anos de idade, principalmente, nessa fase a criança precisa se sentir amada, protegida e acima de tudo receber limites e aprender a seguir regras.

“Pais que não colocam limites nos filhos, que deixam os filhos fazerem tudo que querem... Esses pais estão criando futuros psicopatas”, fala a psicóloga, Maria de Fátima dos Santos.

Por vinte anos Maria de Fátima trabalhou no sistema prisional e avaliou criminosos que haviam cometido estupros e assassinatos em série. Segundo ela, 90% deles são psicopatas e a grande maioria sofreu violência na infância. “Ele teve lá na infância alguma coisa que o fez se tornar insensível”.

De acordo com os especialistas 30% das pessoas são psicopatas. Gente que transgride regras, costuma ser agressiva, de humor inconstante e tem dificuldade para controlar seus impulsos. “Aquele que tem a insensibilidade muito forte, em que a raiva é o sentimento predominante... Quando ele se vê frustrado, vai, agride de uma forma violenta e mata”.






Atualizado 27/01/15

Ministra defende que Bolsa Família não defina prazo para excluir beneficiários

A ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, defendeu nesta terça-feira (13) que o Programa Bolsa Família não defina prazo para excluir os beneficiários. Para ela, não é importante o tempo que a família receba o benefício e sim os resultados gerados por ele.
— O Bolsa Família está interferindo no desenho de manutenção da pobreza a longo prazo. As crianças não terão o mesmo passado dos pais. Estão na escola, comendo na escola. Isso é o resultado que nos interessa. São crianças que não estão na rua.
Tereza disse ainda que o governo não trabalha com uma meta, um dia em que o Bolsa Família não seja mais necessário. A ministra, no entanto, diz que em dez anos, o Brasil terá um cenário diferente.
— Hoje, nós temos a primeira geração de crianças que viveram sem fome e na escola. E isso transformará o Brasil, daqui a dez anos, em um Brasil que nunca existiu. Nós nunca repetiremos a tragédia de uma criança que nunca foi à escola. Nós vamos ter outro padrão de adultos. É isso que estamos construindo.
A ministra defendeu os beneficiários do programa e expôs dados sobre a empregabilidade de quem recebe o benefício. “Não é verdade que quem está no Bolsa Família não trabalha. São 75% de adultos trabalhando e as crianças agora estão na escola, não trabalham”.
Tereza Campello ainda reforçou que o Brasil deve continuar investindo em políticas sociais e acha que o Brasil ainda tem muito a melhorar.
— Nós temos que crescer. A gente tem que continuar construindo uma agenda de desenvolvimento e de políticas sociais.

Piloto e copiloto do avião que caiu com Eduardo Campos não tinham treinamento exigido




A investigação realizada pelo Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos) aponta que nem o piloto nem o copiloto da aeronave que caiu matando o ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), tinham a habilitação exigida para pilotar o avião. De acordo com a apuração da Aeronáutica, divulgada nesta segunda-feira (26), a permissão do piloto o credenciava a comandar uma aeronave de modelo diferente e por isso seria necessário que ele fizesse um treinamento. Já o copiloto precisaria de um curso completo.

Aeronáutica descarta colisão ou fogo durante voo no acidente que matou Eduardo Campos

De acordo com a investigação, os aviônicos, que são as telas no painel de controle das aeronaves, mudam de um modelo para outro. A aeronave que os pilotos tinham permissão para pilotar e o avião que caiu tinham configurações diferentes, os aviônicos emitiam sinais diferentes. No entanto, o investigador do Fator Operacional, major Carlos Henrique Baldin, afirma que ainda não é possível afirmar que o problema na habilitação dos pilotos seja a causa do acidente.

— Isso tudo nós vamos analisar, estamos entrando nessa fase. Pode ser que sim, isso tenha sido um fator contribuinte, pode ser que não. Nós estamos apresentando a coleta de dados, agora nos precisamos interpretá-los. Agora não temos condições de dizer se [a falta de habilitação específica] contribuiu ou não. Mas, pode ser uma condição de risco para acidentes.

O Cenipa entende que a falha na habilitação não seja, necessariamente, responsabilidade dos pilotos. De acordo com os investigadores da Aeronáutica, é possível que no momento em que piloto e copiloto realizaram a renovação de suas permissões de voo, os treinamentos exigidos fossem outros, uma vez que as regras mudam e há um período de transição e atualização das habilitações.

Baseada nisso, a Cenipa emitiu uma recomendação em novembro do ano passado, pedindo que a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) assegure que os pilotos recebam o treinamento correto para operar no Brasil a aeronave envolvida no acidente de Campos. Além disso, a Aeronáutica também recomenda que, ao emitir as licenças para os pilotos, seja checado se foi realizado um correto treinamento de “familiarização” ou de "diferenças" com outros modelos de aeronaves parecidas.

Rota diferente
Além da falta de atualização nas habilitações dos pilotos, o Cenipa também identificou que o avião realizou os trajetos da descida e da arremetida de forma diferente do que estava previsto na carta de voo. A investigação aponta ainda que a informação que o piloto passou sobre o posicionamento da aeronave no momento da arremetida também apresenta problemas.

O trajeto feito pela aeronave, captado pelos satélites e baseado em relatos de observadores, mostra um posicionamento bastante diferente do relatado pelo piloto minutos antes do acidente. No entanto, o Cenipa ainda não tem condições de afirmar quais os motivos da divergência entre a trajetória e o relato do piloto.

O que está descartado até o momento são falhas técnicas na aeronave. O investigador responsável, Tenente-Coronel Raul de Souza, afirmou que não há nenhuma evidência que aponte para problemas materiais e que o Cenipa trabalha agora com hipóteses de falha humana ou operacional.

— A aeronave estava na condição e voo. Completamente pronta para voar. Da parte material, não há nenhuma evidência que tenha contribuído para o acidente até o momento, mas é claro que pode aparecer. A partir de agora nós vamos trabalhar com o fator operacional e o fator humano.

Hipóteses descartadas
A Aeronáutica concluiu a coleta de dados, primeira das três fases de investigação que deve apontar as causas do acidente aéreo. Até o momento, estão descartadas as hipóteses de colisão ou fogo na aeronave durante o voo. De acordo com o brigadeiro Dilton Schuck, nenhuma hipótese das causas do acidente foi elaborada, mas colisão com animais, com outro veículo aéreo, ainda que não tripulado, ou com qualquer outro obstáculo são hipóteses completamente descartadas.

O Cenipa informou ainda que não há indícios de incêndio no avião antes da queda, descartando a hipótese de que a aeronave tenha pegado fogo antes de cair, como muitas testemunhas disseram ter visto. Mas, o brigadeiro Dilton Schuck fez questão de lembrar que o objetivo não é apontar culpados, e sim identificar fatores de risco para evitar novos acidentes.

— Não há ainda qualquer conclusão factível em cima do que nós coletamos e nenhuma hipótese foi ainda desenvolvida ou criada. Não é objeto do nosso trabalho aqui identificar culpados ou responsáveis pelo o que aconteceu, e sim condições que devem ser evitadas para que novos acidentes não ocorram.

Após a fase de coleta de dados, que levou cerca de 5 meses para ser finalizada, a Cenipa vai iniciar a fase de análise e interpretação das informações e depois entra na fase conclusiva para elaborar o relatório final. No entanto, não há prazo para encerrar as investigações.











Atualizado 26/01/15

Ar-condicionado sem manutenção pode provocar vários riscos à saúde



O calor das últimas semanas transformou o ar condicionado em um equipamento indispensável para muitas pessoas. Mas o cuidado com a manutenção é fundamental para que o aparelho refresque o ar no carro, em casa ou trabalho sem causar riscos para a saúde.
A pessoa que tem ar condicionado em casa ou no carro e não faz a limpeza adequada do aparelho pode estar respirando fungos, ácaros, vírus e bactérias. Esses microorganismos, que são invisíveis, ficam suspensos no ar e podem se acumular nos filtros dos aparelhos. O ideal é lavar os filtros a cada 15 dias. 
A falta de cuidado é ruim para saúde e para o bolso. “Gasta mais energia porque ele precisa de muito mais tempo para refrigerar o ambiente. Ele ficando ligado muito mais tempo, ele consome mais energia”, calcula Kimura.
Os motoristas que não se preocupam com a manutenção do ar condicionado se assustam quando constatam o resultado de tanto descuido. O filtro que estava no carro há sete anos e nunca havia sido trocado acumulou muita sujeira e poeira.
Para Elisabete Alves Pereira, que estuda a poluição ambiental na Universidade Federal de São Carlos, o ar condicionado sujo deixa de ser um aliado para se tornar um vilão quando a manutenção não é feita. Quem respira o ar sujo pode ter crises de rinite, sinusite, asma, bronquite e até pegar doenças graves, como pneumonia. Para evitar problemas, o cuidado vai além da manutenção.
“Quando o ar não está sendo utilizado, a gente precisa de uma renovação no ambiente. Então, manter as portas e janelas abertas. É importante que a gente tenha luz solar também nos ambientes para eliminar microorganismos, como fungos e ácaros", alerta Elisabete.
A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) exige testes periódicos nos aparelhos de ar em locais públicos, com grande circulação de pessoas. Esses testes devem ser feitos pela vigilância sanitária dos municípios para comprovar que o ar não está contaminado. A multa em caso de falta de manutenção pode chegar a R$ 200 mil.












Atualizado  24/01/15

Vacina experimental contra o ebola começa a ser testada na Libéria

A primeira vacina experimental contra o ebola deve chegar, nessa sexta-feira (23), a Libéria, na África. A vacina foi desenvolvida por uma empresa britânica, em parceria com uma instituição americana. Os primeiros testes mostraram que ela é segura, mas ainda falta avaliar se é eficiente.
Trinta mil voluntários, entre eles médicos e outros profissionais que lidam com os pacientes de ebola, vão receber a vacina ou um placebo, um produto sem efeito. Depois, os resultados dos dois grupos vão ser comparados. Se os resultados mostrarem que a vacina funciona, começa a imunização nas áreas afetadas no oeste da África.

Governo admite pela 1ª vez que pode implantar racionamento de energia


O Governo Federal admitiu pela primeira vez que pode racionar energia. No Sudeste e Centro- Oeste, regiões que produzem a maior parte da eletricidade consumida no Brasil, o nível das represas já é 39% menor do que em 2001, ano em que o Brasil sofreu um apagão.
A água nos reservatórios para a geração de eletricidade chegou a níveis preocupantes. Pela primeira vez o governo admitiu que pode implantar o racionamento de energia.
"Nós temos energia para abastecer o Brasil. É obvio que se nós tivermos mais falta de água, se nós passarmos do limite prudencial de 10% nos nossos reservatórios, aí estamos diante de um cenário que nunca foi previsto em nenhuma modelagem. A partir daí nós teríamos problemas graves, mas nós estamos longe disso", fala o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga.
Na verdade segundo o ONS, a situação só é tranquila no Sul. Em todas as outras regiões, o nível das represas hoje é muito menor do que no ano passado. No Sudeste e Centro-Oeste, que produzem 70% da energia do país, o volume d’água caiu para menos da metade. Represas importantes como Furnas, Nova Ponte e Três Marias, estão com pouco mais de 10% de sua capacidade, nível que o ministro das Minas e Energia chamou de limite mínimo.
“Nós já estamos num processo que podemos chamar de apagão. Essa é a nossa situação. A situação é muito crítica. O período chuvoso vai chegar ao fim sem recuperação dos reservatórios e a partir daí nós vamos ter uma crise no fornecimento de energia elétrica”, diz o professor de engenharia hidráulica da UFMG, Carlos Barreira.
Segundo o ONS, em 2001 quando o Brasil teve de racionar energia, o nível das represas do Sudeste e Centro-Oeste estava em 28%. Hoje ele está com 40% a menos.
 
Naquela época, o brasileiro teve que mudar seus hábitos para reduzir o consumo. Os banhos ficaram curtos e de preferência fora do horário de pico. As donas de casa aprenderam a acumular a roupa antes de lavar e de passar. Agora, o brasileiro precisa retomar esses cuidados.
Volume morto
A usina da represa de Paraibuna, no interior de São Paulo, parou de funcionar porque o nível de água chegou no volume morto. A usina gera 85 megawatts de energia, suficiente para abastecer uma cidade com 127 mil residências. Desde ontem (22), quando a represa atingiu 0% da capacidade, a usina deixou de funcionar.
A represa de Paraibuna, o maior reservatório do Rio Paraíba do Sul, atingiu o menor volume desde que foi criada, em 1970.
Toda a água que ainda é possível ver é do chamado volume morto, que equivale a 46% do total do reservatório. Uma quantia que só é usada em casos extremos, como agora, mas que não deve durar muito tempo.
“A previsão mais favorável do cenário mais favorável, feita pela ONS, é que em dezembro de 2015 este volume morto estaria esgotado”, fala Luís Roberto Barreti, do Comitê de bacias do Rio Paraíba.

A tulipa, uma estrutura de concreto, é usada para escoar a água, quando a represa está com 100% da capacidade. A última vez que isso aconteceu foi em 2010. Hoje ela está completamente fora da água. Desde a última vez que a água verteu pela tulipa, há cinco anos, a situação em Paraibuna só piorou.
Dos 104% em janeiro 2010, o nível foi caindo nos três anos seguintes. Há um ano o volume era de 54% e agora é zero.
A bacia do Paraíba abastece 184 cidades em três estados: São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. Para evitar que falte, a água é reservada em represas, ao longo da bacia.
A represa de Santa Branca é um dos três reservatórios do Rio Paraíba no estado de São Paulo. Hoje ela está com 0,6% da capacidade, a água nem chega perto das comportas da usina que tem na represa e o volume morto dela é 15 menos que o de Paraibuna.
Além de Paraibuna e Santa Branca, o Rio Paraíba recebe águas da represa de Jaguari, que está com menos de 2% da capacidade (1,93%).
Em entrevista, hoje cedo, ao Bom Dia Rio, o secretário estadual do Ambiente do Rio, André Correa, não descartou a possibilidade de racionamento de água no estado. “Nós vivemos um momento crítico, nós vivemos o pior momento dos últimos 84 anos ou a gente tem essa consciência coletiva ou a gente não descarta nenhum possibilidade”.
“A vantagem, se é que dá para dizer assim, é que esse período vai ser de grande ensinamento para população. Nós temos que aprender com isso a usar melhor os recursos que a gente tem, para a gente ter no futuro”, avisa Barreti.















Atualizado 23/01/15

Nomes de profissionais famosos são usados para aplicar golpes

Os golpistas encontraram mais uma maneira para tentar enganar suas vítimas. Agora, usam nomes de profissionais reconhecidos e famosos para tentar dar credibilidade aos golpes.

Em São Paulo um professor assistente da Faculdade de Medicina da USP e a advogada que fez parte da comissão que redigiu o Código de Defesa do Consumidor foram vítimas das quadrilhas.
“Começo de ano, você com todos os impostos para pagar, cai um dinheiro desses na sua conta”, fala a aposentada Maria Teresa Santos Tortelli.
No começo dessa semana chegou uma carta avisando que a aposentada tinha direito a R$ 72,3 mil de uma ação coletiva contra um antigo crédito previdenciário. Para receber era fácil.
“Deveria pagar o total de R$ 8.350 mil para eles e fazer um depósito a título de imposto de renda, a título de honorários advocatícios e a título de pagar o oficial de justiça que ia fazer todo esse trâmite para mim”, conta Maria Teresa.
O golpe todo é muito bem feito. Os bandidos chegam a depositar um cheque que até aparece no extrato, mas é tudo mentira. Um cheque desse valor demora um dia para ser liberado, mas o golpista pressiona para a vítima não esperar e insiste para que ela faça o depósito depressa.
Se a vítima depositasse iria descobrir que o cheque foi devolvido porque não tinha fundos. A aposentada não caiu no golpe. Desconfiou, falou com a filha e procurou informações sobre o nome que aparece na carta que ela recebeu e encontrou na verdade, mais uma vítima.
É a advogada Maria Elisabeth de Menezes Corigliano, de 70 anos. Ela tem um escritório conhecido em São Paulo, é uma profissional respeitada, trabalha há 36 anos. Especializada em direito civil e tributário. Fez parte da Comissão de Juristas que elaborou o Código de Defesa do Consumidor e foi uma das autoras do Estatuto do Idec.
O nome dela foi usado pelos criminosos.  O golpe começou em dezembro. A advogada recebeu ligações de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná, Brasília e até do Rio Grande do Sul.

E ela ajudou a evitar que várias pessoas se tornassem vítimas, explicando que os bandidos estavam usando seu nome indevidamente. Maria Elisabeth chegou a ligar para os golpistas.
“Eu liguei, eu mesma, perguntei pela doutora Maria Elizabeth, disseram: ela está numa audiência. Fiquei quieta, fui a uma delegacia, registrei um B.O contanto o caso que estava acontecendo e mandei um ofício para a OAB com cópia de tudo o que tinha recebido pra resguardar meus direitos”, conta a advogada Maria Elizabeth de Menezes Corigliano.
A advogada também foi no endereço que os criminosos colocaram na carta. “Um endereço que eu já fui checar e não existe”, fala Maria Elisabeth.
Usar nomes de profissionais famosos é a nova estratégia dos bandidos. Eles usam nomes de pessoas renomadas, conceituadas e sérias para dar credibilidade ao golpe.
O médico Igor Padovesi é outra vítima. Ele tem 30 anos, é ginecologista, obstetra, especialista em endometriose. Formado pela USP, hoje é professor assistente da Universidade de São Paulo e trabalha nos hospitais mais conceituados do Brasil. No ano passado descobriu que seu nome está sendo usado por bandidos em bate papos sobre abortos na internet.
Alguém se passa pelo médico e oferece uma consulta para realizar o aborto. Um casal chegou a ir ao consultório dele pedindo informações sobre o procedimento.
“Dava todos os meus dados como se eu tivesse fazendo parte do negócio. São golpes de estelionato. Tentam obter depósitos e pegam na internet - provavelmente acharam meu site, viram aparência de credibilidade e passaram a usar isso, como soube depois que me faziam com outros médicos também”, fala o médio Igor Padovesi.

O médico também registrou um boletim de ocorrência. Hoje ele e a advogada sentem a mesma angustia e têm a mesma esperança.
“Você constrói um nome. Eu ensinei isso para os filhos, para advogados, nome é o que mais deve prezar. Me sinto insegura porque não sei quem está fazendo isso comigo. Espero que a polícia descubra”, fala Maria Elisabeth.

Aumento no IOF entra em vigor e compras a prazo ficam mais caras

Entrou em vigor, nesta quinta-feira (22), o aumento do Imposto Sobre Operações Financeiras (IOF), uma das medidas que o governo anunciou esta semana para tentar conter a inflação. A partir de agora, comprar a prazo ficou mais caro.
O aumento da inflação está mudando o comportamento do brasileiro. A técnica de enfermagem Irlanda Oliveira gasta R$ 40 a mais para fazer a feira da semana. Para dar conta das despesas, ela teve que cortar algumas regalias dos filhos: “Passeios para shoppings, saidinhas para o cinema... As crianças também vão de ônibus pra escola, essas coisas”.
Na casa de Simone, a economia é no supermercado, cortando os produtos supérfluos: “Eu diminuí um pouco nas guloseimas das crianças”, relata.
Para controlar a inflação, o Banco Central aumentou a taxa básica de juros da economia. A taxa Selic subiu 0,5% e agora está em 12,25% ao ano. Essa relação é direta com o aumento dos juros, já que circula menos dinheiro nas mãos das pessoas e das empresas. Com isso, as pessoas são forçadas a diminuir o consumo, o que evita que a inflação suba ainda mais.
Além dos novos juros, a alíquota do IOF dobrou: passou de 1,5% para 3% ao ano. Na prática, financiamentos, cheque especial e crediários vão ficar mais caros. A Associação Nacional dos Executivos de Finanças fez os cálculos: um empréstimo pessoal no valor de R$ 3 mil, em 24 parcelas, vai aumentar R$ 67 no total.
Por exemplo, uma geladeira de R$ 1,5 mil, dividida em 12 vezes, que tinha parcelas de R$ 171, terá agora uma prestação de R$ 174. O valor total vai ser de R$ 2.087, R$ 36 a mais. Já um carro de R$ 25 mil, financiado em três anos, vai custar agora R$ 35,8 mil. Aumento de mais de R$ 700 no total.
Para o economista Jorge Arbache, o aumento de impostos é a forma mais rápida para colocar as contas do país em dia, mas para ele esta solução não resolve os problemas da economia a longo prazo: “A médio e a longo prazo isso passa pelo aumento dos investimentos aqui no Brasil, pelo aumento da eficiência, sobretudo pelo aumento da produtividade”.
Além da alteração do IOF, o governo também anunciou aumento de tributos sobre combustíveis e sobre produtos importados. Com isso, a equipe econômica espera arrecadar R$ 20,6 bilhões.

Brasil desperdiça 37% da água tratada

De acordo com os dados do relatório do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento do Ministério das Cidades, 37% de toda a água tratada pelas companhias de saneamento do país são desperdiçados. Entre as principais causas estão os vazamentos em tubulações dessas distribuidoras de água. Os especialistas ouvidos pelo Jornal Hoje dizem que o índice é muito alto e o aceitável seria uma perda de até 15%.
Em meio à escassez de água, uma imagem de desperdício chega a ser uma afronta. A água de uma rede de abastecimento jorrava com muita força hoje de manhã em Realengo, na zona oeste do Rio de Janeiro. A companhia de água do estado disse que fez o conserto, mas que vândalos voltaram a atacar a tubulação.
E mais água limpa jorrou durante quase três horas em Suzano, na região metropolitana de São Paulo. As imagens foram gravadas ontem (21) pelo telespectador Caio Borba. A companhia de saneamento básico do estado de São Paulo disse que já consertou o vazamento.
Além desses vazamentos bem aparentes, muita água limpa, pronta para beber, desaparece sem que ninguém veja. Por estar escorrendo embaixo e não se vê. É água que sai das estações de tratamento, mas não chega à casa das pessoas por problemas nas tubulações, encanamentos velhos, obras mal feitas. Segundo um relatório do Ministério das Cidades, o Brasil desperdiça 37% da água tratada.
A região Norte é a que tem o pior índice: (54,3%). Depois vem as regiões Nordeste (46,1%), Sul (35,9%) e Sudeste (32,3%). A que menos desperdiça é a Centro-Oeste, com 29% (29,4%) de perdas. Os extremos do desperdício são: Amapá com 76% (76,5%) de perdas e Distrito Federal com 27% (27,3%).
“É muito alto. Para qualquer lugar do mundo esse item seria absurdo. Países desenvolvidos trabalham em uma faixa de no máximo 18%, 20%. O normal é na faixa de 15%. É como se você fosse dono de uma padaria, fizesse 10 pães e jogasse quase quatro fora todo dia e achasse isso normal”, fala Edíson Carlos, presidente do Instituto Trata Brasil.
Segundo especialistas, a primeira medida a ser adotada nessa época de crise é gastar menos água. Numa ponta, o distribuidor tem que reduzir perdas, e na outra o consumidor precisa usar com responsabilidade.
“Hoje nós temos no mercado, bacia sanitária que tem dupla descarga. Você tem uma descarga para limpeza mais leve que usa três litros e a descarga para limpeza mais pesada que usa seis litros, e obviamente as torneiras, duchas, entre outros dispositivos hidráulicos”, explica  professor da Escola Politécnica da USP, José Carlos Mierzwa.
Numa casa com dois banheiros, uma cozinha e uma área de serviço, a economia de água pode chegar a 32%. No chuveiro a gás, a vazão cai de 16 para 12 litros por minuto. No vaso sanitário, a cada descarga, o consumo diminui de seis para três litros e na torneira, a vazão reduz de 10 para seis litros por minuto toda vez que ela é aberta.
Num dia, o consumo por pessoa cai de 160 para 120 litros, no chuveiro; 36 para 21 litros no vaso sanitário; 13 para oito litros na torneira do banheiro; de 50 para 30 litros na torneira da cozinha e 25 para 15 litros na torneira da área de serviço.
De acordo com o cálculo do professor José Carlos Mierzwa, o consumo de água estimado, por pessoa, sem equipamentos economizadores, é 284 litros por pessoa. Na casa econômica, o volume cai para 194 litros.
“Embora possa existir um certo investimento no início, você vai ter a recuperação desse investimento depois com a redução do consumo de água e também de energia. Em prédio, se você reduzir o consumo de água, você reduz significativamente o consumo de energia, seria do bombeamento da água do solo até o teto”, fala o professor.

“Não há água pra todo mundo. Você imagina uma cidade paralisada por falta de água - a industria e o comércio. Nada é mais caro do que esse custo de paralisar uma sociedade desse tamanho”, fala Edíson.







Atualizado 22/01/15

Quer um aumento? Salário de Alckmin, Dilma e parlamentares teve reajuste. Veja quanto eles ganham

Você já recebeu aumento em 2015? Uma legião de políticos já estão com o salário mais gordo desde 1º de janeiro. Os últimos a sancionar aumento para si próprios foram os governadores de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), e do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori (PMDB). Mas a lista é bem mais extensa e inclui a presidente da República, ministros de Estado e ministros do STF (Supremo Tribunal Federal). Saiba quanto Dilma, Alckmin e os ministros ganham nas próximas fotos

Mensaleiro petista José Dirceu critica economia e diz que País caminha para a recessão


O ex-ministro e preso em regime semiaberto por crimes no mensalão José Dirceu teve um texto publicado em seu blog onde critica a economia brasileira após o anúncio de medidas pelo governo nesta segunda-feira (19). O petista se referiu à data do anúncio, a segunda-feira (19), como uma sexta-feira 13, em alusão aos filmes de terror.
Dirceu diz que, com as medidas, caminhamos "para uma recessão com todas as suas implicações sociais e políticas". Ele ainda declara esperar que isto ocorra de maneira consciente por parte do governo.
O texto do político do PT foi postado pela equipe do blog, responsável pela administração e atualização da página.
"Quando a inflação cair…se cair…"
No texto, a queda da inflação, "se cair", só deve ocorrer se for pela queda "violenta" da demanda, e não pela elevação da taxa de juros. No texto, Dirceu ataca as autoridades monetárias brasileiras, pelo "silêncio" sobre a taxa Selic, de 11,75%.
A volta da CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação ou Transmissão de Valores e de Créditos e Direitos de Natureza Financeira) também é alvo de Dirceu no blog. Com a possibilidade de aumento dos impostos, que seriam vistos de melhor maneira do que taxações sobre os ricos e suas rendas, o governo se mantém silencioso quanto à volta desta tributação, relata o blog.
Leia abaixo a íntegra do post no blog de José Dirceu:
"Caminhamos para uma recessão. Com o governo consciente disso, esperamos
Que 2ª feira! Calor, aumento de impostos num pacotaço anunciado pelo ministro da Fazenda, de juros e queda de energia em importantes cidades do país causada pela onda de calor inédita no pais…Ontem nem parecia uma 2ª feira, estava mais para uma 6ª feira 13. Só noticias ruins.
O aumento de impostos e dos juros são apenas consequências, desdobramentos da busca de um superavit de 1,2% do PIB este ano. A elevação dos juros visa derrubar a demanda e vem casada com o aumento do IOF – Imposto sobre Operações Financeiras para os empréstimos às pessoas físicas. Aí, também refreando o consumo.
Caminhamos assim – conscientemente, espero, por parte do governo – para uma recessão com todas as suas implicações sociais  e políticas. Fica evidente, empiricamente, pela prática, que o aumento dos juros não refreou a inflação cujas causas estão fora do alcance da politica monetária do Banco Central (BC), mas nos preços administrados, serviços e alimentos.
Quando a inflação cair…se cair…
Assim, quando a inflação cair – se cair… – será pela queda violenta da demanda e não pela alta dos juros. O que espanta é o silêncio de nossas autoridades sobre os efeitos da atual taxa Selic de 11,75% – o sonho de consumo do mercado financeiro -e sobre o serviço da divida interna de R$ 250 bi ao ano, ou o correspondente a 6% do PIB nacional. É a maior concentração de renda do mundo no período de um ano e para uma minoria detentora dos títulos públicos de nossa divida interna.
Como a arrecadação cairá com a recessão é preciso de novo que nossas autoridades expliquem como farão o superávit e manterão os investimentos públicos e os gastos sociais.  Têm de explicar: como o pais voltará a crescer?
Fora o fato que as autoridades da área econômica diariamente criticam abertamente os bancos públicos e seu papel de vanguarda no financiamento subsidiado (porque necessário) de nossa indústria, agricultura, infraestrutura social e econômica. A pergunta que não cala é: quem os substituirá, quem continuará a desempenhar esse papel dos bancos oficiais?
Semana começa com muita apreensão sobre os rumos do País
Sobre o efeito maléfico e daninho dos juros altos na valorização do real e nas contas externas também nada, nem uma palavra… Nossa indústria que se vire. A semana começa, assim, com muita apreensão pelos caminhos do país. Mas podem ter certeza, com muita festa no mercado financeiro e nas redações de nossa mídia.
Mesmo que haja algum choro e ranger de dentes pelo aumento dos impostos, no fundo dirão, melhor assim que uma reforma tributária que taxe os ricos, o patrimônio e a renda, as fortunas e heranças e os fantásticos lucros financeiros. Isso, talvez, explique o silêncio dos responsáveis pela política econômica e pelo governo sobre a volta da CPMF ou de algum outro imposto ou tributo equivalente e que cumpra seu papel."






Atualizado 21/01/15

Governo anuncia 1,5 mil MW de energia a mais para atender Sudeste

Depois de afirmar que o apagão da segunda-feira (19) não foi causado por falta de energia, o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, convocou uma coletiva nesta terça (20) em Brasília para anunciar medidas que, segundo ele, devem elevar a oferta de eletricidade na região Sudeste em cerca de 1,5 mil MW (megawatts). Na mesma tarde, o diretor do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), Hermes Chipp, se reuniu no Rio de Janeiro com agentes envolvidos para analisar o corte de energia.
Entre as medidas anunciadas por Braga está a transferência de um adicional de 300 MW da usina de Itaipu e aceleração da manutenção em termelétricas da Petrobras, para que voltem a operar e gerar energia antes do previsto. Essas térmicas devem agregar outros 867 MW até 18 de fevereiro.
Sistema de proteção e possíveis causas do problema
Durante a coletiva, Braga voltou a afirmar que o apagão teve como causa original uma falha em um conjunto de capacitores na rede de transmissão de energia entre o Norte e o Sudeste do país. Segundo ele, porém, ainda não é possível especificar o exato ponto do problema e nem o que o provocou.

Braga informou que usinas geradoras de energia foram desligadas de maneira “indevida” por seus sistemas de proteção. De acordo com o ministro, a falha não deveria ter acionado esses mecanismos. No Rio deJaneiro, Hermes Chipp afirmou que "houve um desligamento preventivo de carga para não causar um mal maior". "Eu considero atuação incorreta da proteção em função do desvio de frequência", disse.
Entre as usinas que registraram o problema estão a Governador Ney Braga, administrada pela Copel, do Paraná, e que tem capacidade para 1.260 MW. Para evitar que o problema volte a ocorrer, o sistema de proteção dessa hidrelétrica foi desabilitado até que seja feita uma avaliação.

Outra usina que sofreu desligamento foi Angra I, no Rio de Janeiro, “pela atuação de proteção de subfrequência.” Segundo o ministro, “a possibilidade de alteração desse ajuste está sendo investigado pela Eletronuclear”, que administra Angra I.
Braga disse que "não há previsão de racionamento" de energia no país e não soube responder se houve falha humana capaz de provocar o blecaute ocorrido em vários estados das regiões Norte, Sul, Sudeste e Centro-Oeste. No Rio, Hermes Chipp afirmou que "não houve falha humana", citando uma falha do sistema de proteção das usinas. "Esses ajustes que hoje nós identificamos e vão ser investigados. Isso eu não considero falha", explicou, ao ser questionado sobre as declarações do ministro de Minas e Energia.
Braga voltou a negar que a falta de luz, que atingiu 11 estados e o Distrito Federal por cerca de 1 hora, foi provocada por falta de energia para atender à demanda crescente, principalmente no Sudeste, devido ao calor intenso dos últimos dias.
"Buscamos compreender a intercorrência para aprimorar o sistema. Não estamos fazendo aqui caças as bruxas, estamos tentando entender o que aconteceu em pormenores", afirmou Braga.
Durante a coletiva, o ministro disse que sua equipe faz "um esforço para ter um sistema [de energia] mais confiável, cada vez mais robusto e confiante". Ele citou uma ocasião em que ficou horas em Nova York sem energia elétrica e nem por isso as bolsas norte-americanas sofreram com a queda de luz. No Brasil, a Bovespa reagiu com queda após a falta de energia, e preocupações sobre a questão continuaram influenciado a bolsa nesta terça. Para Chipp, o "corte seletivo" de energia não foi de grandes proporções é "normal" em outros países.

“Pode assegurar ao povo e aos trabalhadores brasileiros que nos temos energia para atendê-los”, disse o ministro, complementando que o país vive “um extremo climático de auto rigor no ritmo hidrológico”, que vem reduzindo sensivelmente o armazenamento de água nos reservatórios das principais hidrelétricas do país.
Entretanto, Braga disse que, para garantir esse fornecimento de energia no país em 2015, é preciso contar com a ajuda de Deus. “Deus é brasileiro, temos também que contar que ele vai trazer um pouco de umidade, um pouco de chuva, para que a gente possa ter mais tranquilidade ainda”, disse.
apagão (Foto: Editoria de Arte/G1)
Apagão
No apagão desta segunda-feira, houve interrupção da circulação de trens no metrô de São Paulo e algumas estações da Linha 4-Amarela chegaram a ficar fechadas. O secretário-executivo do Ministério de Minas e Energia, Márcio Zimmermann, afirmou também durante a coletiva que a falta de energia que paralisou o metrô e trens de São Paulo na segunda, no horário do apagão, não teve relação com o problema quer atingiu outros estados. De acordo com o secretário-executivo, os trens foram afetados por uma falha “local.” No Rio de Janeiro, a usina nuclear de Angra 1foi desligada devido à oscilação de energia.

O corte de luz foi feito por ordem do ONS e ocorreu às 14h55, segundo registro do órgão. Nota divulgada pelo operador afirma que houve “restrições na transferência de energia das regiões Norte e Nordeste para o Sudeste" que "aliadas à elevação da demanda no horário de pico, provocaram a redução na frequência elétrica”.
As distribuidoras de estados das regiões Norte, Sul, Sudeste e Centro-Oeste afirmaram que a redução no fornecimento de luz foi feita por orientação do próprio operador nacional. O ONS disse que adotou "medidas operativas em conjunto com os agentes distribuidores das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, impactando menos de 5% da carga do Sistema".
"Corte programado"
Zimmermann, afirmou também durante a coletiva que, após “desajuste de proteção” na hidrelétrica Governador Ney Braga, o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) “fez corte programado” de energia em vários pontos do país para evitar que o apagão fosse maior.
Na segunda, distribuidoras em estados das regiões Norte, Sul, Sudeste e Centro-Oeste já haviam informado que reduziram o fornecimento de luz após uma orientação do ONS, o órgão responsável pela gestão de energia no país. Uma das distribuidoras, a Companhia Paulista de Força e Luz (CPFL), afirmou em nota que o corte foi programado, por determinação do ONS.